terça-feira, 26 de novembro de 2019

Assembleia Estadual Local 28/11


Atenção Categoria!
A Regional 4 convoca a Rede Estadual para Assembleia Local nesta quinta-feira, dia 28 de novembro às 18 horas na sede da Regional.
Endereço: Rua Cardoso de Morais, 145. Sala 1007. Bonsucesso, RJ.

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

PLENÁRIA AEI: 25/11! NENHUM AEI É INCONSTITUCIONAL!


NENHUM AEI É INCONSTITUCIONAL!

SÓ A LUTA DAS AEI’S PODERÁ GARANTIR INCORPORAÇÃO DA GDAC, CORREÇÃO DA ESCOLARIDADE e ADEQUAÇÃO VENCIMENTAL!

TODAS À PLENÁRIA DOS AEI’S DIA 25/11 - ÀS 18H NO SEPE-RJ

As AEI’s não podem mais uma vez serem penalizados pelos desmandos do governo municipal.  O governo promete e não cumpre! A cada semana envia um novo projeto de lei para a Câmara e em seguida retira de votação.

Há 11 anos as AEI’s aguardam um justo reconhecimento do Município do Rio de Janeiro mas, até agora, o governo não garantiu a incorporação da GDAC, a correção da escolaridade e o reconhecimento da função de magistério das AEI’s.  

 A decisão do Tribunal de Justiça na ADIN sobre as AEI’s não é definitiva e, portanto, não impede o atendimento das reivindicações da categoria pois ainda está em fase de recurso, sendo que o julgamento final só ocorrerá com a apreciação pelo Supremo Tribunal Federal de recurso extraordinário já interposto que não sabemos quando ocorrerá.

 A categoria dos AEI’s não aceita aguardar mais tempo, é preciso resolver já a situação dos AEI’s e garantir a incorporação da GDAC, a correção da escolaridade e o reconhecimento da função de magistério dos AEI’s.  O ano de 2019 está chegando ao fim, no ano que vem tem eleições e mudanças na Câmara e no governo. 

 Não é possível esperar mais. Sabemos que é prerrogativa do prefeito o encaminhamento dessas demandas, basta haver vontade política. Assim, mais que nunca, a categoria precisa estar em mobilização permanente e pressionar o governo e a Câmara para garantir o atendimento das reivindicações dos AEI’s ainda esse ano. 

 Vamos à luta para nos fazer ouvir pelo governo e a Câmara Municipal! 

TODOS À PLENÁRIA DOS AEI’S DIA 25/11 - ÀS 18:00H NO SEPE-RJ

BASTA DE VIOLÊNCIA E FEMINICÍDIO!



BASTA DE VIOLÊNCIA E FEMINICÍDIO!

A violência contra as mulheres não para de crescer, somente nos primeiros seis meses de 2019, o Ligue 180 recebeu 46.510 denúncias de violência, um aumento de mais de 10% em relação ao mesmo período do ano anterior, já os registros de feminicídios aumentaram 211%.
Chega, não podemos mais aceitar tanto machismo e violência, por isso dizemos: parem do nos matar!

Ø  O feminicídio é um crime de ódio contra mulheres
Ø  Oito em cada dez casos de feminicídio acontece dentro de casa
Ø  A maior parte dos criminosos é um familiar ou conhecido da vítima
Ø  Geralmente os crimes acontecem quando as mulheres decidem romper uma relação abusiva
Ø  Nem a metade desses criminosos é presa
Ø  6 entre 10 mulheres assassinadas são negras
Ø  O número de estupros também vem crescendo
Ø  Foram 66 mil casos de violência sexual em 2018, um estupro a cada 8 minutos
Ø  Mais da metade das vítimas de violência sexual têm até 13 anos e três quartos conhecem seu agressor

Ampliação da Lei Maria da Penha sem dinheiro não é ampliação, é demagogia!

Os serviços de assistência às mulheres vítimas de violência vêm sofrendo desmonte e sucateamento há vários anos, pois falta dinheiro para sua manutenção e ampliação. 90% dos municípios brasileiros contam sequer com delegacias especializadas, sendo que o orçamento do programa de proteção à mulher em 2019 foi seis vezes menor que o de 2015.
Bolsonaro não tem compromisso com as mulheres, pois, apesar de ter sancionado o projeto de ampliação da Lei Maria da Penha, reduziu as verbas para o combate à violência.
No último dia 13 de novembro, o presidente emitiu um decreto que desobriga o governo federal auxiliar na manutenção das Casas da Mulher Brasileira. Assim não dá!
Precisamos nos levantar e lutar contra os abusos que sofremos diariamente nesse sistema que oprime e retira os direitos da mulher, inclusive o direito à vida!
Não vamos ficar caladas enquanto somos violentadas!
Exigimos mais investimento em políticas públicas que garantam nossas vidas!
Exigimos emprego e salário digno!


O machismo e o capitalismo estão nos matando!

A desigualdade e a violência vitimam todos os dias milhares de mulheres trabalhadoras. São em especial as mulheres negras que sofrem as mazelas desse sistema capitalista que nos oprime e explora. A reforma da previdência de Bolsonaro e seu novo pacote de medidas atacam os direitos dos trabalhadores e condenam as mulheres trabalhadoras a mais miséria e violência.

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

NOTA SOBRE A ESCOLA MUNICIPAL CLOTILDE GUIMARÃES


NOTA SOBRE A ESCOLA MUNICIPAL CLOTILDE GUIMARÃES


Em menos de 12 horas duas escolas da rede municipal foram atingidas pela violência.
Se não é no entorno pelos tiroteios constantes é pela vulnerabilidade devido à falta de profissionais.

Em uma das escolas, Clotilde Guimarães em Ramos, um aluno faz a diretora de refém usando uma faca.
Um dos maiores problemas que assola a educação pública é falta de  segurança. Isso demonstra o grau de vulnerabilidade que os profissionais vivenciam no cotidiano.

A escola onde ocorreu o fato,  fica localizada na Av. Brasil na altura da cracolândia e sequer possui porteiro. Profissionais além de cumprir a sua função precisam se dividir em abrir o portão de entrada e garagem.  

A iluminação ao seu redor é péssima, muros com sérios problemas e lixo no entorno. Muitas vezes pessoas que ficam  ao redor escalam os muros da escola e jogam pedras.

Profissionais constantemente sofrem para trabalhar correndo risco de serem assaltados tanto durante o dia quanto a noite o que não se difere dos alunos, principalmente no horário do PEJA.

A partir das 14:30 às 18h a escola fica com maior vulnerabilidade pois o portão da frente fica encostado deixando todos os profissionais a mercê da boa sorte. Afinal, faltam profissionais!

A ronda escolar que nesse ponto seria de extrema importância sequer é cogitada.
Em dias de confronto apesar da unidade ser do outro lado da Maré, o local é feito como ponto de encontro da PM antes da incursão dentro da comunidade.

Os alunos que frequentam a unidade na sua maioria são moradores da Maré que já sofrem no seu cotidiano com a violência do Estado.

É necessário o Programa Interdisciplinar de Apoio às Escolas Municipais do Rio de Janeiro – PROINAPE que são equipes de assistentes sociais, professores e psicólogos para atender esses alunos.

O SEPE cobra sempre em audiências por concursos de porteiros e demais funcionários para que se tenha mais segurança e mais qualidade no atendimento ao aluno. Entretanto, para a prefeitura não é prioridade a vida dos professores, funcionários e alunos.

Não podemos esquecer que essa negligência é uma prática dos governos. Como não lembrar   da chacina da Escola Municipal Tasso da Silveira em 2011, onde a rede se encontrava na mesma situação, sem porteiro e demais profissionais?

A SME é responsável pela falta de segurança!

Para além disso, seu dever de  zelar pela integridade física dos profissionais das unidades/alunos, proporcionando medidas eficiente que assegure melhores condições de trabalho para que se possa ter uma educação pública de qualidade.

POR MAIS INVESTIMENTOS NA EDUCAÇÃO PÚBLICA!
CONCURSO PARA PORTEIROS, JÁ!
POR MAIS CONCURSOS DE FUNCIONÁRIOS !
                                                                                   
SEPE REG.IV

terça-feira, 5 de novembro de 2019

PLENÁRIA DE AGENTES DE EDUCAÇÃO INFANTIL (dia 4/11)




Nesta segunda-feira (dia 4/11) o Sepe realizou uma Plenária de Agentes de Educação Infantil. Veja o que foi discutido durante o encontro:
 • Unificação da luta
 • Que as regionais façam mobilizações formando grupos para correr escolas e creches a fim de mobilizar a categoria para meia paralisação no dia da votação do substitutivo do Projeto de Lei 591/2017
 • Que as regionais possam garantir passagem para os companheiros que se integrarem à corrida as escolas.
 • Participação da categoria na assembleia do dia 09/11
 • Confecção de panfleto sobre a situação das AEIs e a questão do horário parcial
 • Lutar pela valorização através da mudança de escolaridade para Ensino Médio na modalidade Normal
 • Integração nas lutas gerais.
 Veja pelo link abaixo o vídeo com a chamada para participação na luta e na assembleia do município no sábado (dia 9/11):

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores