quinta-feira, 14 de março de 2013

Carta da Escola Municipal Manoel Bonfim denuncia falta de climatização na unidade


Os profissionais da Escola Municipal Manoel Bonfim, em Inhaúma, fizeram uma carta para a comunidade, denunciando a falta de climatização na unidade e as péssimas condições de trabalho e ambientais a que a categoria e os alunos estão submetidos. Veja o texto abaixo: 


À Comunidade da Escola Municipal Manoel Bomfim

Temos vivido tempos muito difíceis nas escolas da rede municipal do Rio. Apesar de todas as dificuldades vividas, entre as quais estão os nossos baixos salários e a falta de liberdade de criarmos nossas próprias aulas, lutamos, a cada dia, para realizarmos dignamente o nosso trabalho. Certamente os senhores responsáveis, trabalhadores como nós, entendem bem o que queremos dizer.

São muitas as dificuldades existentes, mas hoje o que nos faz escrever esta carta, é o calor excessivo com o qual temos padecido nas salas de aula. Nós, professores, alunos e funcionários, sofremos diariamente com a sensação térmica acima de 40º C. Os escassos e barulhentos ventiladores das salas de aula param constantemente de funcionar com o aquecimento do motor, só voltando a trabalhar após um tempo, quando ocorre o esfriamento do mesmo.

Sabemos que a correria do dia a dia de trabalho leva à diminuição do tempo de conversa da família, mas se os pais perguntarem a seus filhos como têm sido as suas aulas, terão a certeza de que se elas acontecem é porque somos muito perseverantes e resistentes. Mas sofremos, já que o ambiente não é nada propício a ensinar e aprender. Como nossas cabeças podem funcionar bem, como podemos nos concentrar, raciocinar e construir conhecimento enquanto o suor escorre pelo nosso corpo? Como pode haver concentração para o trabalho pedagógico diante de todo o desconforto, que tem provocado quedas de pressão arterial e outros males em diversos professores e alunos.

A Câmara dos Vereadores do Rio já aprovou a climatização das salas de aula das escolas municipais para a temperatura considerada adequada, entre 20 e 23º C, através da lei 5498 de 17/8/2012. Porém, até agora nada de concreto aconteceu, e tudo o que sabemos é que a Prefeitura do Rio pretende terceirizar a instalação de sistemas de ventilação por gotejamento, ao invés de providenciar a instalação de aparelhos de ar condicionado que façam parte do patrimônio permanente da escola. A terceirização não é uma boa saída porque com a mudança de governo o contrato de aluguel do equipamento de ventilação pode ser suspenso, e voltaríamos ao suplício do calor!

Além de o equipamento terceirizado custar mais caro aos cofres públicos que o adquirido permanentemente como patrimônio da unidade escolar, a ventilação por gotejamento não vai abaixar a temperatura das salas de aula a 20º C durante o quentíssimo verão carioca. Além disso, a umidade nas salas de aula irá danificar os equipamentos eletrônicos existentes, como computadores e datashows, e os próprios materiais escolares dos alunos, como cadernos, livros e apostilas.

Diante de tudo que expusemos até aqui, convocamos toda a comunidade escolar a assinar o abaixo-assinado pelo imediato cumprimento da referida lei, em defesa da climatização das salas de aula das escolas municipais do Rio, com instalação de equipamento adequado para que se atinja a temperatura estabelecida na mesma.

Profissionais da Escola Municipal Manoel Bomfim

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores