segunda-feira, 10 de junho de 2019

WITZEL SEGUE AOS ATAQUES À EDUCAÇÃO ESTADUAL IGUAL A BOLSONARO


Os ataques à educação pública não se limita somente em Bolsonaro com os cortes no orçamento. O governo do Estado segue com ataques e a política de fechamento de turmas, turnos e UE's não é a toa. Witzel e Pedro Fernandes em nada diferem dos governos que os antecederam, pois a otimização de turmas é,  na verdade, uma exigência da burguesia. Afinal, com o aumento do desemprego a reforma do ensino médio vai ser aplicada a todo vapor. A educação pública interessa para a burguesia quando a mão de obra se faz necessária, porém quando não precisa querem destruir rapidamente com a privatização. Deixando de lado o direito do filho do trabalhador a uma educação.
Na atual conjuntura de crise em que se encontra o capitalismo, a ordem é, não apenas cessar os investimentos, mas, desmontar não só a educação pública mas o serviço público que garante o atendimento a população pobre e negra.
A otimização de Witzel e Pedro Fernandes aprofundará a super-lotação das turmas, além, de ocultar a carência de professores e funcionários. O resultado disto, todos nós sabemos: a piora na qualidade da educação.
Nestas condições, trabalhadores da educação estarão cada vez mais sobrecarregados, sem condições de oferecerem a educação que os nossos alunos merecem.
Para impedir mais este ataque do governador e seu secretário  a luta se faz necessária. Não existem atalhos para a construção de uma educação de qualidade. Dia 29 de junho, professores e funcionários da rede estadual realizarão mais assembleia. A participação da categoria é fundamental para que possamos organizar a luta e derrotar Witzel &Cia.
- Pelo fim do fechamento de turmas, turnos e UE's.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores