quarta-feira, 31 de julho de 2013

Vergonha: Prefeitura do Rio anuncia reajuste de apenas 6,75% para os serviodres municipais

A Secretaria Municipal da Casa Civil anunciou ontem (dia 30), no Jornal O Dia que o decreto oficializando um reajuste de apenas 6,75% - que correponde ao período de julho de 2012 a julho de 2013 e não traz qualquer ganho real - será publicado hoje no Diário Oficial do Município. 

O índice está bem abaixo das reivindicações da rede municipal de Educação, que se encontra em estado de greve e tem paralisação e assembleia marcadas para o dia 8 de agosto, quando a categoria poderá decidir por entrar em greve. Os profissionais das escolas municipais reivindicam um reajuste de 19% e a implantação imediata de um plano de carreira unificado e que corresponda aos anseios da categoria.

Desde o início da sua gestão, o prefeito Eduardo Paes tem mantido uma política de reajustes salariais que não trazem ganhos reais para o funcionalismo e acabam provocando a perda do poder aquisitivo das diferentes categorias de servidores municipais. 

No caso da educação municipal, que possui a maior rede pública da América Latina, os profissionais sofrem ao longo dos anos com sucessivos governos que aplicam uma política de arrocho e desvalorização dos nossos salários. O resultado disto é que muitas redes de municípios com arrecadações bem menores que a do Rio de Janeiro estão pagando salários maiores do que os da rede municipal do Rio.

Por este motivo, a participação da categoria na paralisação de 8 de agosto e a ida em massa à assembleia da rede, a partir das 10h, na sede do América Futebol Clube (Rua Campos Sales 118 - Tijuca) é fundamental para mostrar ao prefeito e à secretária Claudia Costin, que a rede está mobilizada e pronta para exigir o atendimento das suas reivindicações por valorização salarial e melhores condições de trabalho nas escolas.

Professores de 40h devem entrar com Pedido de Prorrogação de Posse, na SME

De acordo com as informações obtidas pela direção da Regional 6, junto à Secretaria Municipal de Educação, os professores que vão tomar posse sob regime de 40h, com Dedicação Exclusiva, devem ir à SME e dar entrada num “Pedido de Prorrogação de Posse, aguardando Parecer”, no setor de Admissão, com a professora Terezinha. Essa medida visa adiar a posse, sem perda da vaga, até que a Câmara dos Vereadores vote a favor do fim da Dedicação Exclusiva na Rede Municipal de Ensino.

Segundo a SME, os editais que oferecem carga horária de 40h continuam saindo com regime de Dedicação Exclusiva porque isso é exigência da Procuradoria e só quando os vereadores votarem pelo seu fim é que a secretaria poderá retirar a DE dos futuros editais. O Sepe entrará em contato com alguns vereadores para que eles entendam a urgência da situação e possam trabalhar pela rapidez da votação.

Contra redução das aulas presenciais, Sepe entrega pauta ao presidente do Conselho Estadual de Educação

Uma comissão formada pela direção do Sepe, uma representante da AERJ e profissionais de educação foi recebida nessa a terça-feira (30/07), no Conselho Estadual de Educação (CEE), pelo seu presidente, Roberto Guimarães Boclin. A Comissão entregou uma pauta de reivindicações e um conjunto de propostas, com criticas à redução em 20% do número de aulas presenciais nos colégios estaduais. A direção do sindicato questionou esse projeto, que leva ao roubo de conhecimento dos alunos da rede pública, desvio de verba pública para empresa privada, além de não resolver a questão da carência de professores na rede estadual.

Nossa proposta é a seguinte: carência se resolve com concurso público, valorização dos profissionais de educação, com política salarial digna, e com a garantia de uma matrícula uma escola. O projeto da Secretaria Estadual de Educação (SEEDUC) retira dos nossos alunos o direito a uma educação pública de qualidade. O presidente do CEE reafirmou à comissão de profissionais que o projeto foi retirado de pauta e que o secretário de Educação foi informado sobre essa retirada.

O presidente se comprometeu, ainda, em avisar ao Sepe se uma contraproposta for enviada pelo governo.

Por último, o sr. Boclin informou que o secretário de Educação comprometeu-se em realizar uma audiência o mais breve possível com a direção do sindicato.

Clique nos links abaixo para ler na íntegra a pauta de reivindicações:


Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores