quarta-feira, 28 de junho de 2017

REDE MUNICIPAL: ASSEMBLEIA 01/07 NO SINPRO RIO


O Sepe convoca os profissionais da rede municipal para a assembleia geral que será realizada no sábado, dia 1º de julho, no auditório do SINPRO RIO (Rua Pedro Lessa, 35 - Centro), a partir das 10h.
Lembramos que é necessário a apresentação de contracheque da rede para o credenciamento.

terça-feira, 27 de junho de 2017

ASSEMBLEIA MUNICIPAL LOCAL


DIA 28 DE JUNHO - DIA INTERNACIONAL DO ORGULHO LGBT





28 DE JUNHO 
DIA INTERNACIONAL DO ORGULHO LGBT

A Rebelião de Stonewall, aconteceu no dia 28 de junho de 1969 e foi o movimento LGBT mais importante na história. LGBT’s cansadxs de tantas humilhações se rebelaram pela constante repressão policial e durante seis noites se enfrentaram. As ruas foram ocupadas com confrontos policiais, trincheiras, incêndios e com várias manifestações com enfrentamentos  que deram origem ao dia 28 de junho – dia do orgulho LGBT!

Apesar das inúmeras lutas ao longo dos tempos até hoje os direitos dxs LGBT’s trabalhadorxs precisam avançar. A violência física é contínua e são exclusxs do mercado de trabalho e do estudo. Sua orientação sexual e sua identidade de gênero muitas vezes é escondida por causa de uma sociedade que impõe padrões heteronormativos.

Este setor representa milhões de desempregadxs, na sua maioria são terceirizadxs e estão em postos precarizados, principalmente quando são negras e negros!

No governo de Dilma a PLC 122 que criminaliza a LGBTfobia  foi vendida ao setor fundamentalista e o kit anti homofobia foi usado como moeda de barganha para esquecer a citação de Pallocci relacionado à corrupção.

É necessário ressaltar que apesar de todas as debilidades mulheres, negras e negros tiveram leis que caracterizam algum tipo de violência seja por gênero ou raça, entretanto o setor LGBT não teve nenhum avanço!

De FHC a Dilma foi contabilizada 4.003 mortes de LGBT’s, sendo que no governo Lula/Dilma triplicou o número de mortes.  No governo de Michel Temer nada se modificou, são 345 mortes desde que assumiu a presidência da República.

O Brasil é o primeiro país no mundo em assassinatos LGBT’s com requinte de crueldade. A expectativa de vida de uma mulher trans é de 35 anos e estima-se que um LGBT é assassinado por dia.Na maioria das vezes os dados estatísticos são imprecisos por não ter órgãos competentes caracterizando os assassinatos. Caracteriza-se que são 500.000 casos de violência no Brasil contra LGBT’s incluindo estupro “corretivo” realizado em lésbicas, bissexuais, transexuais que tem como objetivo “corrigir” a orientação sexual e identidade de gênero.

Para revertermos estas estatísticas é importante que profissionais da educação se empenhem e lutem para que dentro das escolas/creches se tenha uma educação libertária, livre de preconceitos e para que isso se torne concreto, a educação sexual dentro dos ambientes educacionais se torna um dos maiores pilares de sustentação para que possa se respeitar e entender a orientação sexual e a identidade de gênero de todxs!

A educação atualmente passa por um dos maiores ataques, o Projeto Lei “Escola sem Partido” conhecido como “A Lei da Mordaça” que entre várias proibições encontra-se também  a proibição da discussão de gênero e orientação sexual.

É fundamental saber que o machismo anda de braços dados com a LGBTfobia e quando negamos esta informação não se permite o desenvolvimento adequado além de negar a informação, contribui com a violência!

As reformas trabalhistas/previdência e a terceirização precariza a situação LGBT. Mulheres, negros e LGBT’s são os que ficam nos piores postos de trabalho além de receberem os menores salários!

É necessário afirmar que  o sistema capitalista  não acaba com as opressões ou sequer ameniza. Logo, é primordial que os setores oprimidos se unifiquem como parte da classe trabalhadora e tomem em conjunto esta luta para derrotar o capital que divide a classe através do machismo, racismo e LGBTfobia para poder dominar.

Mesmo com todos os ataques temos como tarefa avançar e arrancar mais direitos como nome social, identidade de gênero, criminalização a LGBTfobia, despatologização trans entre outros direitos específicos.

Neste ano de 2017, o dia internacional do orgulho LGBT será marcado dois dias antes da Greve Geral marcado para 30 de junho.

O dever da classe trabalhadora é abraçar a pauta LGBT e lutar contra as reformas que atacam direitos das mulheres, negros e LGBT’s,


         A NOSSA LUTA É TODO DIA! CONTRA O MACHISMO, RACISMO E LGBTfobia!

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Relato da Regional IV sobre ida a 4ª CRE




No dia 26 de junho, mais de 100 profissionais de educação da Maré, estiveram na reunião da 4ª CRE e SME.
Depois de tudo que ocorreu na segunda-feira, precisávamos falar sobre os problemas que enfrentamos, as condições em que trabalhamos, ser ouvidos, ouvir.
Mantendo a pauta prioritária, reivindicamos que fosse realizado um levantamento técnico dos problemas estruturais das escolas, EDI’s e creches, para serem realizadas obras. O secretário informou que já havia sido feito pelas diretoras.
Continuaremos reivindicando que seja um levantamento técnico, com estudo de especialistas, para realizar as reformas tão necessárias para rede.
Solicitamos que a Prefeitura garanta reunião com a Secretaria Estadual de Segurança, que cobre esclarecimentos sobre os motivos do atraso do Corpo de Bombeiros e responsabilização de quem autorizou a operação do dia 19 de junho. O secretário informou que a Prefeitura tem tentado, mas não consegue agendar reunião com a SES.
Por fim, gostaríamos de pontuar que é inadmissível a forma como o secretário entrou na reunião. No cenário de crise que enfrentamos é tarefa também das educadoras e educadores combater a intolerância e todas as formas de opressão.

SEPE/Regional IV

terça-feira, 20 de junho de 2017

Professora de EDI no Complexo da Maré atingida por bala perdida

Uma professora do Espaço de Desenvolvimento Infantil Azoilda Trindade, localizado no Complexo da Maré, foi atingida de raspão por uma bala perdida durante confronto do lado de fora da unidade. A professora foi atingida no momento em que ajudava outros profissionais a tirar as crianças das salas de aula para protegê-las no corredor. Segundo a SME, ela passa bem.
Relatos de outros profissionais e moradores dão conta que outra unidade, localizada na frente do EDI pegou fogo e o incêndio, por causa da demora da chegada dos bombeiros foi combatido por moradores e profissionais. Os bombeiros finalmente chegaram, acompanhados por blindados da polícia, o que gerou o tiroteio que culminou com o ferimento na professora do EDI.
Mais uma vez nos vemos diante de uma situação de violência que coloca em risco a vida dos profissionais e alunos que atuam em escolas localizadas em áreas de risco. Tais acontecimentos, como o que recentemente vitimou de forma fatal a aluna Maria Eduarda, causam traumas profundos em todos: profissionais, alunos e moradores, que perdem a segurança de deixar seus filhos nas escolas, locais onde os alunos deveriam estar supostamente seguros. 
Por isso, é importante que amanhã, 8 horas, profissionais das escolas, edi's e creches atingidas sejam recebidos na 4° CRE para que sejam discutidas medidas para garantir a segurança das unidades.  
E no dia 22/06, às 17 h, no Museu da Maré, vamos todas e todos à plenária de profissionais que trabalham em EDI’s, creches e escolas da Maré.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Atenção: Plenária em defesa da Greve Geral do dia 30/6 no Sepe

O Sepe reafirma o compromisso do sindicato e da categoria que já aprovou na assembleia da rede estadual, rede municipal do Rio e diversas outras redes municipais a construção e participação da greve geral do dia 30/06 contra Temer e suas reformas, e não medirá esforços para sua realização. 
Para isso, convocamos uma plenária unitária 21/06, no Sepe (Rua Evaristo da Veiga 55 - 7º andar), a partir das 18h, com todas as entidades que se colocam pela manutenção da greve geral do dia 30/06.
Fora Temer e suas reformas!
Em defesa da Greve Geral!

Sepe está coletando dados sobre fechamento de turmas na rede estadual

Atenção, rede estadual! Diante de mais uma série de denúncias de fechamento de turmas, turnos e até mesmo escolas em pleno final de 2º bimestre, solicitamos que sejam enviadas ao email da Secretaria do Sepe (secretaria@seperj.org.br) as seguintes informações:

1 - Nome da escola
2 - Endereço da escola 
3 - Metropolitana
4 - Nº de turmas fechadas
5 - Séries
6 - Telefone de contato

Não vamos aceitar mais esse ataque!

CONTRA O FECHAMENTO DE TURMAS E O CANCELAMENTO DAS MATRÍCULAS dos ALUNOS! UMA MATRÍCULA, UMA ESCOLA!


Politica do governo PMDB de fechamento de escolas

Os profissionais de educação da rede estadual denunciam: desde o final do ano passado, a politica implementada pela SEEDUC, fechando turmas, turnos e escolas da rede estadual de educação. Esta semana profissionais de educação e comunidades escolares foram surpreendidas com o fechamento de turmas ao final do 2º bimestre do ano letivo.

Levando a rede ao caos e ao desmonte, tal ação impacta a vida funcional dos professores onde muitos hoje já se encontram em várias escolas, causando grave prejuízo pedagógico aos alunos da rede estadual.

Uma matrícula e uma escola é direito assegurado e conquistado pelos profissionais de educação durante a greve de 2016. Um direito que contribui para a qualidade do ensino. Algo que o Governo e a Secretaria de Educação demonstram ignorar, colocando milhares de alunos em situação vulnerável de aprendizado, lotando mais ainda as turmas, além de levar parte significativa dos professores da rede a procurarem novas escolas.

O fechamento de turma não irá resolver a carência da rede. Uma carência que se arrasta há anos com a ausência da convocação dos concursados e novos concursos públicos. Hoje essa carência ultrapassa as salas de aula, são escolas sem porteiros e sem funcionários, sem estrutura. O que se apresenta é uma política de Estado mínimo, onde a vida funcional do professor não tem importância.

Tal impacto chega as metros levando ao caos. Professores entraram no famigerado termo de “excedentes” no meio do ano letivo, prejudicando, em muitos casos, de modo irreparável, toda uma carreira construída no serviço público. Alunos sem professores, turmas fechadas e professores sem turmas, tendo sua carga horária alterada.

Trata-se de uma situação inadmissível, que o Sepe já vem denunciando na imprensa; além disso, o fechamento de turmas, os consequentes cortes de alunos e a perda de origem dos professores foram oficializados por meio da Circular Interna da Seeduc nº 33, que vem causando uma verdadeira destruição na Educação estadual.

O Sepe também orienta que todos os professores prejudicados, que tiveram suas turmas fechadas, além dos alunos, pais e responsáveis, entrem em contato com os núcleos e Regionais do sindicato e compareçam às sedes das Regionais e Metropolitanas da SEEDUC já na segunda-feira, dia 19.

O Sepe, em todas as audiências com o secretário Victer questionou o fechamento de turnos, turmas e EJAs. Essa situação vem prejudicando os alunos e levando professores a trabalhar em quatro, cinco escolas e com isso, a Seeduc descumpre o compromisso assumido na ALERJ, na greve de 2016, de uma matrícula uma escola. O fechamento de turmas e turnos tem levado ao agravamento dessa situação. Essa situação vem sendo denunciada constantemente pelo SEPE na Comissão de Educação da Assembleia Legislativa.

O fechamento de turmas no final do segundo bimestre está desorganizando a comunidade escolar e atrapalhando a formação dos alunos. Isso demonstra que a SEEDUC não está preocupada com o processo pedagógico desenvolvido nas escolas estaduais.

Mais uma vez denunciamos que não houve diálogo com a comunidade escolar antes de serem tomadas tais medidas que punem alunos e professores e exigimos a imediata abertura das turmas fechadas e realocação dos alunos que tiveram suas matrículas canceladas. O lugar das nossas crianças e jovens é nas escolas!

Servidores municipais farão protocolaço no dia 29 de junho no PREVI-RIO


O Movimento Unificado em Defesa do Servidor Público Municipal (MUDSPM) está convocando os servidores para um Protocolaço no PREVI-RIO, no dia 29 de junho, a partir das 14h. os servidores cobram do prefeito Marcelo Crivella os benefícios aprovados na lei orçametária de 2017, mas que até agora não foram executados. São mais de R$ 45 milhões em benefícios destinados aos servidors e dependentes, destinados ao auxílio educação, à moradia, a medicamentos, à natalidade, entre outros, que, até agora não foram creditados para o funcionalismo.

Por este motivo, o MUDSPM convoca os servidores para o Protocolaço, para o qual deverão ser levados os seguintes documentos: originais e cópias do RG, CPF e contracheque de dezembro e Declaração escolar original. Nos casos de matrícula em escola particular, a declaração deve informar o número do CNPJ e a portaria que autoriza o funcionamento.

Veja o panfleto do MUDSPM com detalhes sobre o assunto:

http://www.seperj.org.br/admin/fotos/boletim/boletim1751.pdf

ATENÇÃO REDE ESTADUAL: TODOS À AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE MOBILIDADE NA ALERJ NO DIA 28 DE JUNHO

O Sepe está convocando os profissionais da rede estadual para participarem da audiência pública sobre mobilidade de professores excedentes por causa do fechamento de turmas, turnos e escolas da rede estadual. A audiência será realizada no dia 28 de junho, às 10h, na ALERJ. Lembramos que a participação de todos é muito importante para que possamos barrar mais este ataque do governo estadual/SEEDUC contra a educação estadual.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Rede municipal do Rio: Cartaz convocando para votação do PME no dia 20/6

O cartaz com a convocação apra a realização de paralisação no dia 20 de junho na rede municipal do Rio, data da votação do Plano Municipal de Educação na Câmara de Vereadores já está à disposição no nosso site. Para acessar utilize o link abaixo:



Rede municipal do Rio de Janeiro vai parar dia 20/06 contra a votação do Plano Municipal de Educação


Conheça 15 motivos para participar da greve de 24 horas, em 20/06, dia previsto para a proposta do Plano Municipal de Educação do Rio de Janeiro ser votada na Câmara de Vereadores. Nesse dia, vamos ocupar as galerias da Câmara de Vereadores bem cedo, a partir das 07h.
1 - Defender um plano de carreira unificado da educação;
2 - Implementar 1/3 de atividade extraclasse;
3 - Garantir a jornada de 30 horas para funcionários;
4 - Corrigir a escolaridade e enquadrar o AEI no quadro do magistério;
5 - Garantir nossa autonomia pedagógica;
6 - Reduzir o número de criança/estudante em sala;
7 - Reduzir a proporção do número de estudante por funcionário;
8 - Valorizar a formação continuada com licença para estudo
em todos os níveis;
9 - Barrar a meritocracia! Por uma avaliação que valorize
as especificidades de cada UE;
10 - Eleger democraticamente as direções das Ues;
11 - Garantir o direito pleno de ensino do estudante
deficiente: contra a terminalidade;
12 - Defender a laicidade e a diversidade de gênero, etnia,
geração e orientação sexual;
13 - Lutar por concurso público em todos os cargos da educação;
14 - Garantir a data-base da categoria;
15 - Aprovar 35% do orçamento municipal para a educação.

VAMOS LOTAR AS GALERIAS!


sexta-feira, 9 de junho de 2017

Reunião do Coletivo de Aposentados 19/06

A próxima reunião do Coletivo de Aposentados da Regional 4 será segunda-feira, dia 19 de junho às 14 horas na sede da regional.


REDE ESTADUAL FARÁ PARALISAÇÃO COM ASSEMBLEIA E MARCHA AO PALÁCIO NO DIA 13/6

Os profissionais das escolas estaduais farão uma paralisação de 24 horas na próxima terça feira (dia 13/6). Neste dia, a categoria realizará uma assembleia de aposentados na ABI, a partir das 9h. Às 11h, será a vez da assembleia geral da rede estadual, no mesmo local. Depois da assembleia, está definida uma passeata do Largo do Machado até o Palácio Guanabara, com início da concentração previsto para as 14h. Os profissionais da rede estadual irão ao Palácio cobrar do governador Pezão o fim dos ataques aos direitos dos servidores e regularização do calendário de pagamentos dos servidores ativos e aposentados. Vamos deixar claro para o governo do estado que a educação não aceitará nenhum direito a menos.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Rede municipal do Rio: Veja modelo do recurso administrativo para o 1/3 de planejamento

No início de 2015, realizamos um protocolaço na prefeitura do Rio de Janeiro, questionando o não cumprimento da lei que reserva 1/3 da carga horária para planejamento extraclasse. Na ocasião, todos os prazos para a aplicação da reserva de horário já tinham vencido, e o recurso do governo não possuía efeito suspensivo, ou seja, o governo não estava, assim como ainda não está, cumprindo a lei. 
No início deste ano, os professores começaram a  receber as repostas dos processos administrativos. Ao arrepio da lei, a prefeitura do Rio alega que está cumprindo a reserva, usando como cálculo a hora cheia, apesar de o parecer da justiça ser bem explícito sobre a inadequação dessa forma de cálculo. 
Orientamos a categoria a discordar do resultado do processo administrativo e solicitar recurso seguindo o modelo elaborado pelo nosso departamento jurídico. 
Convidamos todos a manter a mobilização em torno dessa pauta tão importante para todos nós.
Veja pelo link abaixo o modelo de recurso administrativo para ser entregue na SME. 

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Rede estadual: ato na Seeduc na quinta (8) e paralisação de 24 horas no dia 13




A rede estadual realiza ato na Seeduc na quinta-feira, dia 8, às 10h (sem paralisação). No dia 13 de junho, ocorrerá uma paralisação de 24 horas, com assembleia de aposentados às 9h e assembleia geral às 11h, ambas na ABI. Em seguida, haverá uma marcha da educação até o Palácio Guanabara - concentração no Largo do Machado, 14h.


O protesto na Seeduc vai denunciar o agravamento da situação da rede estadual: os docentes II estão sendo obrigados a pegarem turmas depois de terem ficado anos como extraclasse devido à extinção do ensino fundamental pelo governo do estado.



Outra situação relativa aos DOC II é que vários professores estão sendo obrigados a se habilitarem em várias disciplinas mesmo sem autorização do MEC. A SEEDUC está habilitando professores de Educação Física para Artes, de História para dar aula de Geografia e Filosofia, um verdadeiro caos gerado pela politica de redução de gastos do secretário Wagner Victer e do governo do estado, que vem trazendo graves prejuízos pedagógicos aos alunos e desorganizando totalmente a vida dos professores, num flagrante descumprimento ao compromisso firmado na Greve de 2013.



Além disso, foi noticiado que o governo não irá garantir a progressão funcional, o que fere frontalmente o Plano de Carreira da Educação – o Sepe entrará com um mandado de Segurança para garantir o cumprimento da Progressão Funcional.



ANIMAÇÃO CULTURAL

Na quinta-feira, dia 8, haverá uma audiência na Comissão de Trabalho sobre a Animação Cultural na ALERJ, às 13h.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores