terça-feira, 21 de agosto de 2018

NINGUÉM VAI SER ALVO!



Na manhã de segunda-feira dia 20/08/2018,  deu início a operação militar federal nas favelas do Complexo da Maré, da Penha e do Alemão. A violência nessas áreas é visível e cotidiano é produto de um caos social e que interfere na vida da população pobre, preto, mais excluídos e explorados da nossa sociedade. Isso significa a militarização das favelas, mais violência e o aprofundamento da atual política de segurança falida, cujos os símbolos foram a Unidades de Polícia Pacificadora(UPP's) do governo de Cabral, Picciani e Pezão.

Seu caráter é de uma segurança pública assassina, corrupta e racista. Na educação o impacto é maior! São escolas, Edis e Creches fechadas, comprometendo todas atividades pedagógicas, muitos não tem aonde deixar os seus filhos para irem trabalhar e coloca profissionais da educação, alunos, crianças e pais em risco.

De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente no artigo 17, toda criança tem direito a inviolabilidade da integridade física, o que significa que se qualquer coisa nesse momento de confronto acontecer algo com a criança  dentro da unidade escolar, a Prefeitura e o Estado são responsáveis!

Logo, é necessário que os profissionais das  unidades tenham como orientação a realização das atas e coloquem a responsabilidade da integridade física dos alunos e profissionais nas costas da Prefeitura e do Estado! Caso a direção não permita a ATA deve denunciar no SEPE!

A SME e SEEDUC não se posicionaram e não deram com clareza quantos unidades deixaram de abrir em função dos confrontos e qual o total de alunos que ficaram sem atendimento nas unidades da Rede Municipal do Rio de Janeiro. Muitas dessas operação militar federal nessas áreas conflagradas são iniciadas sem nenhum aviso prévio da SME ou pela secretaria de segurança pública. 

 É um absurdo!! Muitos Além disso, mulheres, jovens e a população em geral são submetidos a um abusivo assédio diário, atos de violência, passam por constrangimentos de serem revistados. Não podemos deixar de lembrar, que essa intervenção militar cumpre o seu papel de contenção social, e a mesma tropa que serviu de laboratório para Haiti a mando do governo anterior e que vai aumentar a violência nas favelas e comunidades. É verdadeira guerra aos pobres. Por isso repudiamos qualquer a intervenção federal no Rio de Janeiro. Abaixo a intervenção! Queremos emprego, saúde e educação!!!

Boletim da Rede Municipal - Regional IV

A Regional IV está distribuindo nas Unidades Escolares o nosso Boletim da Rede Municipal fechado no dia 17.08 e nosso Panfleto da Campanha Permanente sobre a Violência Contra a Mulher. Caso queira visualizar nosso material clique nos links abaixo. Você pode baixar, compartilhar ou imprimir.

Boletim da Rede Municipal

Panfleto Campanha Permanente sobre a Violência contra Mulher

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores