terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Violência contra a Escola Pública

Sepe entrega hoje dossiê da violência contra a escola pública no Ministério Público

O Sepe vai entregar ao Ministério Público Estadual nesta segunda-feira (dia 30/11) um dossiê com uma série de denúncias sobre o aumento da violência nas escolas públicas. O documento que será encaminhado para o MP contém uma série de denúncias que mostram o descaso das autoridades estaduais e municipais no tocante às condições de segurança e de funcionamento das escolas públicas estaduais e municipais. Além do MP, o documento também será encaminhado à Câmara de Vereadores, acompanhado da exigência para que o Legislativoi faça projetos de leis que garantam a melhoria nas condições das escolas.

Volta da aprovação automática: Eduardo Paes e Cláudia Costin são reprovados pela opinião pública

A secretária Cláudia Costin tentou disfarçar, mas aprovação automática vai continuar na rede municipal

O anúncio nesta sexta, pelo Jornal Extra, da volta da aprovação automática disfarçada de uma prova que os alunos que tiveram média global I (insuficiente) durante o ano letivo terão que fazer em março de 2010 recebeu condenção unânime dos leitores do jornal. A edição eletrônica do Extra (http://extra.globo.com/geral/casosdecidade/#245029) já publicou a nota do Sepe denunciando o estelionato eleitoral do prefeito, que jurou na campanha eleitoral que o seu primeiro ato depois de eleito seria acabar com a aprovação automática (o que ele realmente fez, em janeiro). Na parte do comentário dos leitores sobre as medidas anunciadas hoje e que significam a volta da aprovação automática, Eduardo Paes e Cláudia Costin foram reprovados de forma unânime pelos leitores do jornal, que se sentiram enganados por este prefeito que não tem qualquer tipo de compromisso com a educação pública de qualidade.

Ao lançar uma resolução que mascara uma forma de aprovação automática na rede municipal logo no final do ano letivo, a secretária Cláudia Costin trouxe de volta o pesadelo de profissionais de educação e responsáveis. Depois de muita luta, a categoria e o conjunto da sociedade conseguiram afastar o fantasma do fim da reprovação nas escolas municipais. Mas agora, uma nova fórmula criada pela SME a mando do prefeito Eduardo Paes, depois da repercussão negativa do anúncio da volta da aprovação automática na última semana, desrespeita dinda mais os profissionais e alunos.

Com a nova medida, um aluno avaliado com I em Língua Portuguesa, Matemática, História, Língua Estrangeira, Educação Artística, Educação Física, poderá ser aprovado a partir de uma única prova de múltipla escolha, aplicada por outro professor que não conhece o aluno, durante as férias escolares.

Como a nota deste professor pode passar por cima do conceito do professor regente que, durante o ano inteiro:

- aplicou e corrigiu pelo menos três provas vindas do governo;

- aplicou, no mínimo, quatro provas ou testes durante o ano;

- preencheu seguramente mais de 30 relatórios por bimestre sobre o desenvolvimento dos seus alunos;

- fez inúmeras discussões pedagógicas com o grupo da escola em COCS e reuniões sobre os alunos.


O Sepe vai exigir esclarecimentos da secretária municipal de Educação, Cláudia Costin, e do prefeito Eduardo Paes sobre o anúncio da medida que visa retardar ou reverter a reprovação dos alunos das escolas municipais no Rio. Segundo Cláudia Costin, o estudante que tirar conceito global (média de todas a disciplinas) Insuficiente (I) receberá uma “segunda chance” em março de 2010: ele só será reprovado se for mal em uma nova prova que será aplicada no início do ano letivo. Para o sindicato, tal medida contraria totalmente as promessas do prefeito Eduardo Paes, durante toda a campanha eleitoral de 2008, de acabar com a aprovação automática na rede municipal.

Em janeiro deste ano, Paes chegou a publicar uma resolução no Diário Oficial do município decretando o fim da aprovação automática, medida polêmica, adotada na gestão do ex-prefeito César Maia e que provocou protestos dos profissionais de educação, responsáveis e demais integrantes da sociedade que chegaram a reunir mais de cinco mil pessoas num protesto na porta da prefeitura em 2007.

Para o Sepe, o anúncio da secretária Cláudia Costin é uma tentativa do governo municipal de aumentar os índices de aprovação na rede, já que os resultados dos exames do último “Provão” das escolas municipais (testes bimestrais implementados desde o segundo bimestre do ano para avaliar o desempenho dos alunos) apresentaram uma baixa nos índices das notas de Português e Matemática nos alunos do 4º, 7º e 8º anos em comparação com os exames anteriores. Tal resultado aumenta os risco de aumento nas reprovações de alunos, o que pode implicar na redução de investimentos federais na educação municipal.

Não existem outros termos para explicar o que Paes e Cláudia Costin fizeram: Eles mentiram para a categoria e para o povo do Rio de Janeiro

Paes e Costin não vão conseguir mascarar a quebra de compromisso com toda a sociedade do Rio de Janeiro, pois uma das pedras fundamentais da campanha do atual prefeito foi o fim da aprovação automática na rede municipal, tema de debates eleitorais e incontáveis propagandas políticas, quando o então candidato chamava a aprovação automática de César Maia de "vergonha". Agora, eles querem com um prova no início do ano letivo jogar para o alto todo o processo educativo dos nossos alunos: como aqueles que apresentarem conceito insuficiente ao longo do ano vão poder "recuperar" o tempo perdido em apenas uma prova?

Fica claro o caráter político que se mascara por tás desta "reviravolta" promovida pelo prefeito e pela secretária de Educação. Infelizmente, mais uma vez os interesses políticos atropelam o interesse de promover uma educação de qualidade para mais de 750 mil estudantes da rede municipal.

O sindicato já registrou um aumento da insatisfação dos profissionais em várias escolas da rede municipal com o anúncio desta aprovação automática disfarçada. Em 2006, ano em que o ex-prefeito César Maia lançou a resolução que decretava o fim das reprovações na rede, a categoria realizou diversas paralisações e protestos, juntamente com alunos e responsáveis, contra a medida que prejudica o desenvolvimento pedagógico dos cerca de 750 mil alunos matriculados nas 1.060 escolas municipais do Rio, a maior rede municipal da América Latina.


(fonte SEPE RJ)

08/12 - Encontro de lideraças de aposentados

A Secretaria de Aposentados do Sepe convida as lideranças deste segmento da categoria para participar do Encontro de Lideranças, que será realizado no dia 08 de dezembro, no Sepe Central, das 9h às 13h.
PAUTA:
9h-Bate- papo e café solidário
10h-Avaliação do 33º Encontro
11h-Avaliação 2009
12h-Organização da Secretaria de Aposentados para 2010
13h-Confraternização
Almoço
Amigo Oculto

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores