quarta-feira, 12 de junho de 2013

(Vídeo) Protesto na educação: Profissionais usam vermelho em luta por reajuste salarial

Mais de 500 profissionais da educação estão neste momento (atualizado às 16h do dia 12/06) na escadaria da Câmara de Vereadores em protesto por melhores condições de trabalho na rede municipal e reajuste salarial de 19%. Eles, em sua maioria vestem roupas vermelhas simbolizando a luta da categoria e o amor pela escola pública na data que se comemora o dia dos namorados (12/06).


 

 A direção do Sepe percorre a Câmara para entregar a minuta do Plano de Carreira unificado e retirada de pauta do PL Nº1565* (ver explicação abaixo). A situação na rede municipal é tão grave, que merendeiras carregam seus contracheques, em tamanho ampliado, com o valor líquido recebido pelas profissionais, que é de R$572,13. Mais cedo, em assembleia, a categoria votou por entrar em estado de greve, com paralisação marcada para os dias 13 e 14 de agosto. 

 * Agentes Auxiliares de Creche – Questionamos o Projeto de Lei 1565 que cria a categoria de Agente de Apoio à Educação e extingue os Agentes Auxiliares de Creche. A SME pontuou que o problema dos AAC’s está no concurso que exigiu apenas o nível fundamental de escolaridade. Reafirma que não há possibilidade de transformação do cargo para Professor. Esclarecemos que muitos AAC’s concluíram o Pró-infantil e possuem formação de nível médio ou superior. A criação de uma nova categoria, que além das inúmeras funções, terá as mesmas atribuições dos AAC’s com salário maior, é no mínimo conflitante.

Assembleia na ACM hoje (dia 12/6): Rede municipal do Rio lota auditório da ACM decide entrar em estado de greve!

Em assembleia com mais de 600 pessoas, os profissionais das escolas municipais do Rio decidiram entrar em estado de greve (prontidão para a entrada em greve a qualquer momento, caso as negociações não avancem e as reivindicações da categoria não sejam atendidas). A plenária também deliberou por uma paralisação de 48 horas nos 13 e 14 de agosto. 
A mobilização de hoje, quando a rede faz uma paralisação de 24 horas mostrou que a luta por reajuste salarial, plano de carreira unificado e contra a política meritocrática da prefeitura e da SME ganha corpo a cada dia e que a categoria está pronta para dar uma resposta ao prefeito e à secretária Cláudia Costin que implementam uma política pedagógica que desvaloriza professores e funcionários e oferece péssimas condições de trabalho nas escolas.
A mobilização de hoje na rede municipal foi uma prova da insatisfação da categoria para com a política de Eduardo Paes e Cláudia Costin. Salários cada vez mais baixos e condições de trabalho degradantes, com turmas superlotadas, falta de estrutura e de materiais, além da abertura das escolas para ONGs e fundações privadas retratam atual situação da rede. 
A categoria, revoltada com tamanha situação, não aguenta mais os desmandos da prefeitura e as últimas mobilizações em 2013, desde a deflagração da campanha salarial deste ano, mostram que o movimento cresce a cada dia e que os profissionais das escolas municipais estão dispostos e prontos para dar o troco ao prefeito e à secretária. 
Hoje, a paralisação de 24 horas fechou inúmeras unidades escolares e o comparecimento massivo na assembleia é uma prova de que a rede está bastante mobilizada.

Veja fotos do ato na Cinelândia


Relatório das ações coletivas do Município do Rio de Janeiro já se encontra no site

O Relatório das ações coletivas do Município do Rio de Janeiro já se encontra no site na seção jurídico. Para acessar o link direto clique aqui.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores