segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Prefeito quer atacar direito à aposentadoria de professores e funcionários!

O prefeito Eduardo Paes quer que os vereadores aprovem projetos de lei que atacam a aposentadoria dos servidores públicos municipais, o PLC 41/2010 e o PL 1005/2011. Nós, professores e funcionários das escolas públicas, entendemos que isso também significa um grande ataque aos serviços públicos. Se os professores, funcionários, merendeiras, porteiros, médicos, enfermeiros etc. têm condições de trabalho ruins e salários baixos, isso também se reflete na qualidade do ensino público e na saúde pública, por exemplo.

O direito à aposentadoria tem sido atacado no mundo inteiro nos últimos anos. Isso ocorre porque organismos internacionais poderosos (como Banco Mundial, FMI, BIRD) têm determinado o ataque aos direitos dos trabalhadores. No Brasil, esses ataques aos aposentados também têm acontecido. Precisamos lutar contra isso, lutar por nossos direitos.

Os professores e funcionários das escolas públicas municipais do Rio vão fazer paralisação das atividades no dia 30/08 (uma terça-feira) para protestar e defender nossa aposentadoria. Contamos com o apoio dos pais, responsáveis, verdadeiros amigos da escola e todos os que apóiam a educação pública. O Sindicato dos Profissionais de Educação sempre estará ao lado das lutas de todos os trabalhadores por seus direitos!

Apóie a luta dos professores e funcionários! Apóie a paralisação do dia 30/08! Compareça ao ato na Cinelândia (em frente àmara Municipal), no dia 30/08, às 13h!

Assembleia das escolas estaduais decide continuar em estado de greve

A assembleia dos profissionais das escolas estaduais realizada no sábado, na ACM (Lapa), decidiu que a categoria continua em estado de greve, aguardando a sanção por parte do governador Cabral da Lei nº 677, sanção esta prevista para hoje, devendo ser publicada em D.O. amanhã. O estado de greve é também um protesto contra as denúncias de retaliação aos grevistas em várias unidades por parte de direções e Metropolitanas, que impedem uma melhor negociação da comunidade escolar em relação à reposição, além de problemas de lotação e até GLP. Amanhã, dia 30, às 10h, o Sepe convoca os profissionais que estão sofrendo estas retaliações a comparecerem a um ato público em frente à Seeduc - a direção do sindicato vai pedir uma reunião com a Secretaria e tentar resolver os problemas.

A assembleia também decidiu que ocorrerá paralisação no dia do Saerjinho. A assembleia reforçou a orientação de que os professores devem boicotar o sistema.

Uma nova assembleia está marcada para o dia 24 de setembro, às 14h, em local a ser confirmado.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores