segunda-feira, 21 de maio de 2012

Ato em defesa dos bombeiros exonerados: Profissionais de educação participaram de passeata na Praia de Copacabana


Mais de 500 manifestantes participaram do ato em apoio dos bombeiros exonerados pelo governo Cabral, que foi realizado na manhã de domingo (dia 20/5), na Praia de Copacabana. Os profissionais de educação também marcaram a sua presença e aproveitaram para denunciar a campanha de repressão promovida pelo governo estadual nas escolas estaduais, lembrando as punições sofridas pelos professores Mauro Célio e Felipe Proença, que responde a inquéritos administrativos por apoiar a luta por melhores condições de trabalho na rede. O Sepe também integra a campanha contra a criminalização dos movimentos sociais, que o governo do estado tem promovido na tentativa de calar a mobilização da população contra as políticas públicas de cunho neoliberal



Mobilização faz SEEDUC recuar e reabrir turma no Ciep 128

A mobilização da comunidade escolar do CIEP 128, no bairro de Magepe Mirim, Magé, acabou obrigando a SEEDUC a recuar e a reabrir a turma 2006 do Curso de Formação de Professores, que havia sido fechada na semana anterior, provocando a revolta de alunos e profissionais de educação. O Sepe foi convocado para apoiar a mobilização da comunidade escolar e ajudou na organização da luta, que incluiu uma ida dos alunos à sede da Coordenadoria Regional Serrana IV para reivindicar a reversão do fechamento da turma.

IBGE comprova: Professores tem os piores salários entre as categorias com nível superior


Estudo divulgado pelo IBGE mostra que os salários dos professores da educação básica com terceiro grau são os profissionais de nível universitário com os piores salários no Brasil. Uma tabulação feita pelo jornal O Globo, publicada na edição de hoje (dia 21/5) mostram que a renda média de um professor do ensino fundamental equivalia, em 2000, a 49% do que ganhavam os demais trabalhadores também com nível superior. Dez anos depois, esta relação aumentou para 59%. Entre os professores do ensino médio, a variação foi de 60% para 72%. 


Entre as áreas do ensino superior com ao menos 50 mil formados na população, os menores rendimentos foram verificados entre brasileiros que vieram de cursos relacionados à área da Educação, principalmente Pedagogia e formação de professor para os anos iniciais da educação básica.  Veja a matéria completa pelo link:


Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores