terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Rede estadual fará paralisações de 24 horas nos dias 28/2 e 14/3: Veja o que foi decidido na assembléia geral no sábado (dia 11/2) na ACM


   Os profissionais da rede estadual realizaram uma assembleia geral no sábado (dia 11), no auditório da ACM, no Centro. A plenária votou pela realização de paralisações de 24 horas nos dias 28 de fevereiro e 14 de março, dando início à mobilização em torno da campanha salarial 2012 e a luta pela conquista dos nossos direitos.
   No dia 28 de fevereiro, além da paralisação, a categoria realizará uma assembléia geral, no auditório da ABI (Rua Araújo Porto Alegre 71 - 9º andar) e  um ato público na Alerj, à tarde, do qual participarão o MUSPE e suas entidades representativas, inclusive os setores da segurança pública. Ainda neste dia, a rede estadual lançará a campanha salarial de 2012, tendo como reivindicação emergencial, além da incorporação de todas as gratificações ainda existentes para professores e funcionários, um reajuste de 36%.
   A assembleia também aprovou que o Sepe disponibilizará todo o apoio político e juridico que for possível aos profissionais que procurarem o sindicato em busca de proteção contra a perda de lotação escolar original.

Rede municipal do Rio vai parar por 24 horas no dia 14 de março: Veja deliberações da assembléia do sábado (dia 11/2)


     Os profissionais das escolas municipais do Rio realizaram uma assembleia geral na manhã do último sábado (dia 11/2), no auditório da ACM e decidiram fazer uma paralisação de 24 horas on dia 14 de março. Neste dia, a categoria fará um ato público na Cinelândia, em frente à Câmara Municipal, com concentração no local, a partir das 10h. A partir das 14h, a categoria realizará uma nova assembleia geral em local a confirmar. A assembleia aprovou um índice de reajuste de 20% a ser reivindicado do governo municipal pela campanha salarial da rede municipal em 2012.

     Os profissionais presentes na assembleia aprovaram que o sindicato deverá tomar todas as medidas judiciais que sejam possíveis para a deffesa das sic iplinas que tiveram sua oferta legal limitada peloas últimas resoluçoes curriculares da SME caso não exista recuo administrativo da secretaria até o final desta semana. A plenária também autorizou todo o apoio jurídico para defender os profissionais que perderam lotação por causa da Circular 01/2012 da SME ou que tenham sofrido retaliação/assédio moral por não terem corrigido as avaliações institucionais da prefeitura no ano de 2011.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores