quinta-feira, 31 de outubro de 2013

REDE ESTADUAL: DESCONTO DESTE MÊS SERÁ DEVOLVIDO EM FOLHA SUPLEMENTAR

O subsecretário de Gestão de Pessoas da SEEDUC, Luiz Carlos Becker, entrou em contato com o Sepe hoje à tarde e confirmou que os descontos que ocorreram nos contracheques dos profissionais de educação da rede estadual serão devolvidos em folha suplementar no próximo dia 4 de novembro.

Pela manhã, durante a reunião com a Comissão de Educação e Cultura da Alerj, o Sepe cobrou do governo o desconto nos contracheques, já que havia uma garantia de que os profissionais não seriam prejudicados por conta dos dias de paralisação. 

O subsecretário Luiz Carlos Becker ficou de verificar a questão e dar um retorno ao longo do dia. À tarde ele entrou em contato com o Sindicato confirmando o pagamento em folha suplementar.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Reposição: Veja as propostas do Sepe para as redes estadual e municipal

Veja abaixo as propostas de reposição das aulas nas redes Estadual e Municipal serão por conteúdo, respeitando a autonomia pedagógica das escolas. A greve e as razões do movimento serão explicadas aos alunos.

REDE ESTADUAL
A reposição das aulas será por conteúdo, respeitando a autonomia pedagógica das escolas. Os profissionais devem realizar reuniões com alunos e responsáveis para decidir a melhor forma de reposição.


REDE MUNICIPAL
A reposição será por conteúdo e carga horária, respeitando-se a autonomia de cada escola no seu planejamento, seguindo as seguintes premissas:
- Incluir o tempo do 1/3 para planejamento para a realização da reposição;

- Não utilizar domingos, feriados e todo o mês de janeiro, garantindo-se o direito às férias.

- Início do Recesso de Natal e Ano Novo em 20 de dezembro, com retorno após as férias, para o encerramento do Ano Letivo de 2013.

- Início do Ano Letivo de 2014 na segunda semana de março.

- Respeitar a necessidade de alguns segmentos que precisam do resultado final dentro do ano de 2013, por conta dos prazos para a matrícula no Ensino Médio.

- O calendário, planejado pelas escolas, será válido também para os funcionários, respeitando-se os 30 dias de férias.

- O calendário deve ser apresentado à Comunidade Escolar.

O SEPE solicitará audiências urgentes com a SME e a SEEDUC para protocolar e apresentar as propostas de reposição.

domingo, 27 de outubro de 2013

Site do Sepe sofreu ataque de hackers

O Sepe informa que a página do sindicato foi atacada por hackers na madrugada deste sábado (26/10) e, por conta disto, várias notícias foram deletadas do nosso noticiário. Pedimos desculpas ao profissionais de educação pelo contratempo e estamos trabalhando para atualizar o site novamente.

Entre as informações perdidas, o post sobre o resultado da assembleia da rede municipal de ontem (dia 25), que decidiu pela suspensão da greve nas escolas municipais do Rio. 

Assembleia da rede municipal decidiu suspender a greve da categoria

Os profissionais de educação da rede municipal do Rio, em assembleia realizada no Clube Municipal na tarde de ontem(dia 25), decidiram pela suspensão da greve da categoria, iniciada no dia 8 de agosto, interrompida no dia 10 de setembro e retomada no dia 20 de setembro.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Rede estadual: assembleia vota pela suspensão da greve

Profissionais de educação da rede estadual votam pela suspensão da greve 

Veja as principais deliberações da assembleia da rede estadual que suspendeu a greve da categoria

Em assembleia realizada na tarde desta quinta-feira (24/10), os profissionais de educação da rede estadual decidiram suspender a greve da categoria. A plenária que decidiu pela suspensão da paralisação iniciada no dia 8 de agosto também decidiu que a rede estadual ficará em estado de greve.
Quanto à reposição das aulas, a decisão da assembleia foi a de que os profissionais farão a reposição de conteúdos, respeitando a autonomia pedagógica de cada escola. Os profissionais devem promover reuniões com alunos maiores de idade ou responsáveis no mais curto espaço de tempo possível para decidir conjuntamente os conteúdos que serão repostos. 

A próxima assembleia será realizada no dia 9 de novembro, às 13h, em local a confirmar.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

REDE MUNICIPAL: Assembleia local - 24/10, 5ª feira, 14 horas no York Esporte Clube


Audiência de conciliação ontem no STF: Veja o que foi discutido e as atas da reunião

Sepe enviou cinco ônibus para Brasília, onde haverá audiência de conciliação marcada pelo STF

Uma caravana de cinco ônibus com profissionais de educação partiu na tarde de segunda-feira (21/10)  em direção à Brasília.

O objetivo era acompanhar a audiência de conciliação marcada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para ontem, dia 22/10, entre o Sepe e o governo.

A principal reivindicação da categoria é que o plano de cargos proposto pela prefeitura seja revisto. Já na rede estadual, os profissionais reivindicam 20% de reajuste e a exigência de que o professor dê aulas em apenas uma escola, que nenhuma disciplina tenha menos de dois tempos por semana e um terço da carga horária seja dedicada ao planejamento de aulas.


Sobre a audiência de conciliação realizada até o final da noite de ontem, no STF, em Brasília, o Sepe informa à categoria:
  • .A audiência foi um fato inédito no âmbito do Supremo Tribunal Federal e só foi possível porque o Sepe-RJ recorreu da decisão do TJ em relação ao corte de ponto da Rede Estadual. Assim, o Ministro Luiz Fux entendeu por bem  chamar também o Município do Rio de Janeiro por conta da comoção social que a greve causou. 
  • .No caso da rede estadual , a liminar que o Ministro concedeu suspenderia o corte de ponto  até hoje, e, não havendo o acordo, o corte de ponto seria julgado pelo pleno do STF.
  • .No caso do Município não há decisão nesse sentido , valendo até o presente momento, a decisão da Presidente do TJ , Dra Leila Mariano, que deu ganho de causa ao Município, mantendo a votação do plano de carreira e o corte de ponto da categoria.
  • .Os acordos firmados estabelecem a apreciação e aprovação dos mesmos pelas assembleias das respectivas redes para sua efetivação.
  • . Nos dois acordos assinados, foram suspensas todas as ações punitivas como corte de ponto, inquéritos administrativos da greve e descontos já feitos.
  • .Também avançaram em grupos de trabalhos em relação a pontos da pauta de reivindicações das duas redes. 
  • Apesar da intransigência dos governos em determinados pontos, como no caso do plano de carreira da rede municipal e do reajuste do estado (para esse ano ainda), conseguimos abrir caminhos para a continuidade das discussões em relação a esses pontos .
  • .O debate será longo e a luta é permanente. Cumprimos mais uma etapa. Vamos avaliar os acordos assinados sempre tendo em conta que a palavra final é da categoria em asssembleia e que deixamos isso firmado diante de todos no STF.
  • .Por último foi firmado o compromisso de retirada das multas do sindicato sobre os dias de greve, resguardando  a representatividade da categoria através de seu sindicato-o SEPE.


Todos às assembleias da rede estadual e municipal nos dia 24 e 25 de outubro respectivamente. Vamos decidir juntos os rumos da nossa luta.

Para maiores detalhes, o sindicato solicita que a categoria compareça às assembleias das redes estadual (nesta quinta, às 14h, no Clube Municipal) e municipal (sexta-feira, 13h, local a confirmar). Nestas plenárias, os profissionais poderão avaliar os resultados da audiência e decidir os rumos da nossa mobilização.

VEJA AS ATAS DA AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO COM O MINISTRO DO STF LUIZ FUX ONTEM (DIA 22)

Veja no link http://seperj.org.br/admin/fotos/boletim/boletim349.pdf as atas da audiência de conciliação ocorrida ontem, 22/10, em Brasília, com o ministro Luiz Fux.

Confira o calendário da greve na Rede Municipal do Rio de Janeiro (23 a 25/10)

Milhares de profissionais de educação se reuniram nesta terça-feira, dia 22/10, em assembleia, no clube municipal, para definir os rumos da mobilização na rede municipal do Rio de Janeiro. 

A categoria votou pela continuidade da greve. A próxima assembleia será na sexta-feira, dia 25/10, às 13h, em local a confirmar. 

Confira abaixo outras datas importantes:

Calendário da greve na Rede Municipal

23/10 - 9:30 - Participação na audiência pública de apresentação da LOA da educação 2014;

24/10 - Visitas às escolas, atos, assembleias pelas regionais (na REGIONAL 4 a assembleia local será no York Esporte Clube, Avenida Nova Iorque, 336 - Bonsucesso  (na rua da Casa & Vídeo, próximo a Avenida Brasil).

24/10 - 18h - Conselho deliberativo da rede municipal. Local: Sepe Central;

25/10 - Assembleia Rede Municipal - Clube municipal, às 13h.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

REDE MUNICIPAL: Profissionais votam pela continuidade da greve e fazem vigília na Cinelândia


Milhares de profissionais de educação se reuniram nesta terça-feira, dia 22/10, em assembleia, no clube municipal, para definir os rumos da mobilização  na rede municipal do Rio de Janeiro.  A categoria votou pela continuidade da greve. 

A próxima assembleia será na sexta-feira, dia 25/10, às 13h, em local a confirmar. Ainda hoje, a partir das 17h, a categoria inicia uma vigília, na Cinelândia, aguardando o resultado do encontro de conciliação do Sepe no Supremo Tribunal Federal (STF).

Categoria faz Vigília na Cinelândia
Após a assembleia, centenas de profissionais de educação das redes municipal e também da rede estadual, realizaram vigília para esperar os resultados da audiência de conciliação, que estava sendo realizada nesta terça (22/10), no STF, em Brasília.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

CALENDÁRIO DE GREVE DA REDE MUNICIPAL (21/10 e 22/10)

21/10, segunda-feira - 12 h, atividade em frente ao Mercado Guanabara, na Penha.

21/10, segunda-feira - 14 h, assembleia local no York Esporte Club (Avenida Nova York 336, próximo a Avenida Brasil).

22/10, terça-feira - 14 h, assembleia da rede municipal ( horário e local a confirmar).

Reunião com responsáveis dos alunos discute os rumos da greve e delibera a criação de uma Associação para acompanhar o dia a dia nas escolas

Nesta sexta-feira (18/10) foi realizada, na sede do Sepe/RJ, a segunda plenária de responsáveis das escolas públicas. Todos estão muito preocupados com os rumos do movimento, iniciado no dia 8 de agosto.

Através de uma Comissão, os responsáveis têm buscado um encontro com o governo a fim de solicitar a abertura de negociações com o Sindicato e o fim das ameaças e punições impostas à categoria.

Além disso, a plenária deliberou a criação de uma Associação que possa acompanhar o dia a dia das escolas públicas, na intenção de garantir uma escola de melhor qualidade para seus filhos.

A próxima plenária será realizada no dia 25 de outubro, às 10h

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

CALENDÁRIO DE GREVE DA REDE MUNICIPAL (15/10 A 22/10)

17/10, quinta-feira - 10 h, passeata em Olaria, concentração na Praça Belmont.

17/10, quinta-feira - Dia Nacional de Mobilização contra o Leilão do Pré-sal. No Rio de Janeiro, passeata vai da Candelária até a Cinelândia para exigir o cancelamento da criminosa privatização do petróleo brasileiro.

18/10, sexta-feira - 10 h, panfletagem no IAPI da Penha.

19/10, sábado - 08 h,  panfletagem durante as reuniões de responsáveis.

19/10, sábado - 09:30 h,  ato na Praça Dois, no Jardim América.

21/10, segunda-feira - 12 h, atividade em frente ao Mercado Guanabara, na Penha.

21/10, segunda-feira - 14 h, assembleia local no York Esporte Club (Avenida Nova York 336, próximo a Avenida Brasil).

22/10, terça-feira - 14 h, assembleia da rede municipal ( horário e local a confirmar).

sábado, 12 de outubro de 2013

REDE MUNICIPAL OBTÉM VITÓRIA NA JUSTIÇA COM A SUSPENSÃO DA SESSÃO QUE APROVOU O PLANO DE CARREIRA

Ato Público pela Educação, 07/10, 50 mil nas ruas. "Amanhã vai maior ainda!"


A juíza Roseli Nalin da 5ª Vara de Fazenda Pública acatou uma liminar do Sepe e de vereadores da bancada de oposição e suspendeu, nesta sexta-feira (dia 11) a sessão plenária da Câmara  que aprovou a proposta do Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações (PCCR) para servidores da rede municipal de ensino, enviada pelo prefeito Eduardo Paes para ser votada em regime de urgência. A liminar foi concedida pela juíza Roseli Nalin, de acordo com o Tribunal de Justiça (TJ), após pedido de anulação da sessão impetrado pelo sindicato e mais  nove vereadores. Desta forma, a lei sancionada pelo prefeito Eduardo Paes está suspensa. A decisão é em primeira instânicia, segundo o TJ, e a presidência da Câmara por recorrer.

Com a decisão de hoje, fica comprovada a razão dos profissionais de educação da rede municipal, que foram impedidos de assistir a sessão que aprovou a proposta do prefeito, ao questionarem a aprovação do Plano em um dia no qual as forças de segurança impetraram um verdadeiro estado de sítio no entorno do prédio da Câmara e atacaram os professores e funcionários que reivindicavam a entrada nas galerias para assistir a sessão e protestar contra a proposta da prefeitura, que foi enviada sem uma negociação prévia com os profissionais, como o prefeito Eduardo Paes havia se comprometido.

Decisão fortalece disposição da categoria para o grande ato do dia 15 no Centro do Rio

Com a vitória de hoje, a rede municipal fortalece a sua disposição para a grande mobilização em torno da assembleia do dia 15 (terça-feira), às 10h, e da passeata unificada da Educação, que será realizada no Centro do Rio, com concentração às 16h. Neste sábado, a categoria fará uma atividade na Quinta da Boa Vista de esclarecimento à população sobre os motivos da greve.

Veja no link http://seperj.org.br/admin/fotos/boletim/boletim345.pdf a íntegra da decisão judicial (se demorar a baixar, recarregue a página). 

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

REDE MUNICIPAL: CALENDÁRIO DE GREVE NA REGIONAL 4

11/10, sexta-feira
09 h, pela manhã visita às escolas.  
18 h, Ato público na ABI (Rua Araújo Porto Alegre, 71, 9º andar - Centro);

12/10, sábado
14 h, panfletagem na Festa de Nossa Senhora da Penha (concentração em frente ao Parque Shangai, na Penha);

14/10, segunda-feira
09 h, atividade de convencimento na E.M. David Perez (Pacheco Junior, s/n - em Cordovil, próximo ao Supermarket)
11 h, reunião na E.M. Josué de Castro (Av. Brasil, 4.040 - Rua 6, S/Nº  - Manguinhos, na Maré)
14 h, Assembléia Local da Regional 4, no York esporte Club (Avenida Nova York, 336 – Bonsucesso – próximo à Praça das Nações)

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

REDE MUNICIPAL: ASSEMBLEIA VOTA PELA CONTINUIDADE DA GREVE

A assembleia da Rede Municipal de Educação votou pela continuação da greve nas escolas municipais do Rio. Cerca de cinco mil profissionais de educação estiveram presentes na plenária realizada no Clube Municipal. A categoria segue, agora, em passeata em direção à sede da Prefeitura. 

O Sepe reivindica a reabertura das negociações com o governo municipal e a revogação do Plano de Carreira aprovado pela Câmara de Vereadores. 

A próxima assembleia da categoria será realizada no dia 15, às 11h.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

REDE ESTADUAL: ASSEMBLEIA VOTA PELA CONTINUAÇÃO DA GREVE

A assembleia da Rede Estadual de Educação realizada nesta terça-feira (8/10), no Clube Municipal, decidiu pela continuidade da greve, iniciada no dia 8 de agosto. 

Centenas de profissionais participaram da plenária que votou pelo prosseguimento da paralisação, já que o governo do Estado não acena com a reabertura das negociações da pauta de reivindicações da categoria. 

Foi decidido que será realizado amanhã (9/10), às 14h, um ato na Alerj, com o objetivo de abrir um canal de negociação com o governo.


Veja o restante do calendário de mobilização:

10/10: Ato unificado com a Faetec, às 10h, no Largo do Machado, com passeata para o Palácio Guanabara

15/10: Ato, às 17h, passeata Candelária/Cinelândia, finalizando na Alerj.

16/10: Assembleia, às 14h, em local a confirmar.

Milhares ocupam as ruas pela educação e contra a repressão


Milhares de manifestantes realizam passeata das redes estadual e municipal em direção à Cinelândia no ato contra a a violência policial dos governos Cabral e Paes.

A passeata em defesa da educação e contra as violências do Estado reuniu dezenas de milhares de pessoas, que tomaram a Avenida Rio Branco para protestar contra a repressão da polícia militar contra as manifestações e o livre direito de expressão. 
Organizada pelo Sepe, o ato conta com a participação de diversas entidades da sociedade civil. A passeata transcorre pacificamente e a população manifesta seu apoio aos educadores com uma chuva de papel picado lançado do alto das janelas dos prédio da Av. Rio Branco.
A manifestação foi feita de forma pacífica, com militantes de vários segmentos da sociedade civil, profissionais de educaçao e estudantes tomando as ruas para mostrar o seu apoio aos educadores das redes estadual e municipal, que tem sofrido com a violência dos policiais de choque em manifestações recentes.
 Violência no final da passeata em defesa da educação
No final do ato, quando os manifestantes já se encontravam na Cinelândia, conflitos violentos entre policiais militares e grupos de manifestantes  mostrou que, mais uma vez, o aparato de segurança do governo do estado não tem condição de atuar em protestos desta natureza: bombas de efeito moral, gás de pimenta e repressão violenta dos policiais acabaram atingindo vários profissionais de educação e manifestantes que participaram do ato para apoiar a educaçao pública estadual e municipal.
A confusão irrompeu em meio a conflitos entre grupos de manifestantes que participavam do ato e policiais que lançaram dezenas de bombas e atacaram a multidão com gás de pimenta, o que provocou correria e confusão, com pessoas sofrendo com o efeito do gás e das bombas lançadas pelos policiais.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Veja os vereadores que votaram contra a Educação do Rio

Veja no link http://www.seperj.org.br/admin/fotos/boletim/boletim330.pdf os vereadores que votaram contra a Educação do Rio, aprovando o PL 442 do prefeito Eduardo Paes.

Abandonaram a sessão os vereadores do PSOL, Jefferson Moura, Eliomar Coelho, Paulo Pinheiro, Renato Cinco, além de Theresa Bergher (PSDB), Leonel Brizola Neto (PDT), Márcio Garcia (PR), Verônica Costa (PR) e Reimont (PT).

Votaram contra o PL 442 os vereadores do DEM Carlos Caiado, Cesar Maia e Tio Carlos.

Ausentaram-se os vereadores Marcelo Piuí (PHS) e Marcelo Queiroz (PP).

O vereador Jorge Felipe (PMDB), não votou por ser o presidente da Casa, mas apoiou o projeto do prefeito e como presidente, encaminhou o regime de urgência para a votação do projeto do prefeito. 

Sepe presente em ato contra a violência

Ocorreu ontem, 02/10, no auditório da UERJ, o ato contra a violência cometida pela pelas forças de segurança do estado, como os ocorridos nas recentes manifestações dos profissionais das redes municipal e estadual de educação.
Compareceram mais de 500 pessoas. Diversas entidades sindicais, de direitos humanos e movimentos, além de partidos políticos como PCB, PSOL e PSTU se fizeram representar. Diretores e ativistas do Sepe também estiveram presentes.

REDE ESTADUAL: ASSEMBLEIA VOTA PELA CONTINUAÇÃO DA GREVE

A assembleia da rede estadual decidiu que a greve irá continuar. 

Em plenária realizada no Clube Municipal, Tijuca, os profissionais votaram pela continuidade da paralisação iniciada no dia 8 de agosto, já que o governo do estado não acenou com qualquer proposta visando o atendimento das reivindicações da categoria. A próxima assembleia será realizada na próxima terça-feira (dia 8 de outubro), às 14h, em local a confirmar.

Na segunda-feira, as redes estadual e municipal vão participar de um ato, organizado por diversas entidades do movimento civil contra a violência e contra o estado de exceção imposto pelos governos estadual e municipal contra as manifestações realizadas por profissionais de educação em luta pela defesa da escola pública e contra a criminalização do movimento civil. 

A concentração para o ato será às 17h, na Candelária, seguida de passeata até a Cinelândia.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Rede Municipal: Assembleia sexta-feira, 04/10, hora e local a confirmar


REDE ESTADUAL: ASSEMBLEIA NESTA QUARTA (DIA 2/10) NO MUNICIPAL

Os profissionais da rede estadual realizarão uma assembleia geral nesta quarta-feira (dia 2/10), no Clube Municipal (Rua Haddock Lobo 359 - Tijuca). Na plenária, a categoria irá decidir os rumos da greve iniciada no dia 8 de agosto.


Profissionais de educação participarão de ato contra a violência do Estado hoje (dia 2) na UERJ

Nesta quarta-feira (dia 2 de outubro), quando se completam 21 anos do massacre do Carandiru, a ANDES (Associação Nacional do Ensino Superior e outras entidades, incluindo o Sepe convocam os profissionais de educação e a população em geral para o ato político/cultural contra as violências cometidas pelas forças de segurança do Estado. O ato será realizado no auditório do 5º andar da UERJ, a partir das 17h.

Depois dos recentes acontecimentos, com agressões e ataques das autoridades estaduais e municipais contra os profissionais das redes estadual e municipal, com agressões e prisões de membros da categoria, os educadores da rede pública do Rio de Janeiro devem se fazer presentes ao ato de hoje e dizer um basta contra a repressão e contra a criminalização dos movimentos sociais, prática que já se tornou uma das marcas das gestões do governador Sérgio Cabral.


Entidades recolherão denúncias sobre violência para enviar à ONU e à OIT

As entidades Justiça Global e IDH estarão na assembleia da rede municipal, na sexta-feira (local e horário a confirmar) para recolher depoimentos sobre a violência e a repressão promovidas pelas forças de segurança do Estado nas últimas manifestações da categoria. Estas denúncias serão encaminhadas para a ONU e para a Organização Internacional do Trabalho.

Nota: Sepe não confirma informe de morte de profissional veiculado na internet

O Sepe informa que, em relação aos fatos ocorridos ontem durante o processo de votação do plano de carreira do magistério municipal, na área em torno da Câmara de Vereadores, - que resultaram em agressões contra diversos profissionais que participavam da manifestação contra a aprovação do projeto do prefeito Eduardo Paes - que a sua direção não conseguiu confirmar junto a hospitais e ao Instituto Médico Legal qualquer registro de profissional ferido que tenha morrido por causa de complicações causadas pela inalação dos gases lançados pelos policiais do Batalhão de Choque.

No final da noite desta terça-feira (dia 01/10) circularam informações na internet (facebook), anunciando a morte de uma profissional (professora) no Hospital Sousa Aguiar, em decorrência de complicações causadas pela inalação de gases provenientes das bombas lançadas pela polícia durante os ataques contra os profissionais de educação e outros manifestantes que se encontravam na região. A direção do Sepe tomou conhecimento do caso e foi até o Hospital Souza Aguiar e outras unidades de saúde, além de checar no Instituto Médico Legal e nenhum registro de óbito decorrente das circunstâncias acima descritas foi encontrado.

A Regional 8 do Sepe chegou a entrar em contato com as Escolas Municipal Clementino Fraga e Escola Estadual Clementino Fraga, em Bangu, locais onde a suposta vítima lecionaria e as direções destas unidades também negaram que ela trabalhasse nestes locais, nem que algum profissional destas escolas teria sido ferido na manifestação.

Vergonha: Câmara aprovou plano de carrreira de Paes contra a educação municipal mas greve continua

Num dia marcado pela violência da Polícia Militar contra os profissionais da rede municipal, manifestantes e a população que se encontrava na área da Cinelândia, a Câmara de Vereadores aprovou, por 36 votos a favor e 3 contrários, o Plano de Carreira do prefeito Eduardo Paes, que já havia sido rejeitado por toda a categoria.

Mesmo com a mobilização em massa dos profissionais, que desde  quinta-feira se acham acampados ao lado do prédio do Legislativo e realizaram diversas manifestações reivindicando dos parlamentares a retirada do projeto da pauta de votação e a reabertura de negociações, os vereadores realizaram duas votações e aprovaram em regime de urgência o projeto de Lei que institui o novo Plano de Cargos, que não levou em conta as propostas da categoria.

Nove vereadores da bancada de oposição, que se recusaram a participar da sessão, afirmaram que tentarão anular a votação de hoje.

Greve continua!

Antes ainda da farsa de votação na Câmara e da repressão policial a assembleia dos profissionais da rede municipal decidiu, por unanimidade, pela continuação da greve nas escolas municipais do Rio. 

A plenária foi realizada nas escadarias da Câmara de Vereadores, no início da tarde de ontem (dia 1/10) e fez parte da mobilização da categoria na luta para tentar barrar a votação do plano de carreira do prefeito Eduardo Paes. 

A próxima assembleia será realizada na sexta-feira (dia 4/10), em local e horário a confirmar.

PM transforma centro do Rio em praça de guerra

Polícia ocupa Cinelândia para reprimir educadores Foto: Rafael Gonzaga

Pela manhã a PM fechou todos os acessos à Câmara de Vereadores
Todo o entorno da Câmara de Vereadores (Cinelândia) foram fechados por policias militares das tropas regulares e de choque na manhã desta terça-feira (dia 1/10). O cerco foi para impedir não só o trânsito, mas a passagem de pedestres nas ruas Evaristo da Veiga e parte da Senador Dantas. 

Mais uma vez, o governo do estado, em parceria com a prefeitura colocou o seu aparato repressivo nas ruas para tentar impedir a mobilização dos profissionais de educação, cuja rede municipal permanece em greve para impedir que o plano de carreira do prefeito Eduardo Paes que foi vergonhosamente votado no plenário da Câmara de Vereadores na noite de ontem (1/10).

Policiais atacaram manifestantes na altura da Rio Branco com bombas e gás de pimenta
Por volta das 16 h, os policiais do Batalhão de Choque investiram contra um grupo de profissionais de educação que faziam uma passeata na Av. Rio Branco, altura da Cinelândia. 

Este grupo seguia em direção à concentração da categoria na Câmara de Vereadores e foi atacado com bombas de efeito moral e gás de pimenta numa investida da PM para desobstruir a pista. Segundo relatos de profissionais que se encontram no local, algumas pessoas foram atingidas nos olhos pela dispersão do gás de pimenta e outras caíram ao chão com a explosão das bombas de efeito moral. 

Durante horas seguidas o centro do Rio virou uma verdadeira praça de guerra com Polícia Militar atirando bombas de gás lacrimogêneo indiscriminadamente contra a categoria  e a própria população que estaca saindo de seus locais de trabalho.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores