quarta-feira, 13 de março de 2013

Rede municipal vai parar no dia 18 de abril para fazer protesto e assembleia

A assembleia da rede municipal do Rio, realizada no Sinpro Campo Grande no dia 09 de março, decidiu que a categoria fará uma paralisação de 24 horas no dia 18 de abril.

Neste dia, haverá um ato de protesto na prefeitura e uma assembleia geral da rede (local e horário a confirmar) para marcar a luta pela Campanha salarial 2013 e pelo plano de carreira unificado para os profissionais das escolas municipais.

Até o dia da paralisação, o Sepe promoverá uma campanha de mobilização nas escolas municipais para fortalecer o movimento da categoria.

A partir do dia 6 de abril, as regionais do sindicato deverão realizar suas assembleias locais para tirada de eixos para a a assembleia geral do dia 18 de abril. No dia 13 de abril, haverá uma plenária dos profissionais de Educação Infantil. Durante este período, o sindicato também organizará comissões para idas diárias à SME para cobrar do governo uma audiência.

Sepe solicita audiência com a SEPLAG para discutir o não pagamento de profissionais que já fizeram o recadastramento funcional


Mais de mil profissionais da educação sem salário por causa do recadastramento: o Sepe está solicitando uma audiência com a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (SEPLAG) para discutir os problemas que estão ocorrendo com o recadastramento funcional de servidores promovido pelo governo do estado. 

Mais de 1 mil profissionais ainda não receberam os salários referentes ao mês de fevereiro - muitos deles já fizeram o recadastramento. A previsão do governo feita à direção do Sepe é que os salários atrasados dos recadastrados sejam pagos até abril. 

O Sepe entrará com uma ação na Justiça contra o governo do estado para agilizar o pagamento, caso não haja um acordo com a SEPLAG e o pagamento não se normalize.

Profissionais do ensino de Espanhol lutam para garantir grade curricular nas escolas municipais - VEJA O MANIFESTO DA APEERJ


Os profissionais do ensino de Língua Espanhola da rede municipal estão mobilizados na luta contra a redução da grade curricular da disciplina nas escolas da rede.  

Veja o manifesto da Associação de Professores de Espanhol do Estado do Rio de Janeiro, denunciando a situação, já que a SME confirmou que, em 2013, haverá redução da carga horária de Espanhol na matriz curricular e, em 2014, haverá restrição, com possíveis oficinas de caráter eletivo, no turno da tarde, nos Ginásios Cariocas.

Na avaliação dos profissionais, tais medidas são um grave e sério retrocesso. Eles avaliam que, em menos de dois anos, a Língua Espanhola que deveria ser oferecida em todas as séries do ensino fundamental, se limitará a um caráter eletivo, perdendo espaço para a oferta da Língua Inglesa.

Clique aqui para ler o manifesto na íntegra

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores