quinta-feira, 21 de julho de 2011

Moção de solidariedade da Aduff

Nós, Associação dos Docentes da Universidade Federal Fluminense - ADUFF - Seção Sindical do ANDES-SNsomos solidários com a luta destes trabalhadoresSua luta é em defesa da educação estadual no Rio de Janeiro.  Por isso exigimos que este governo atenda imediatamente todas as reivindicações, faça concurso público para o quadro de professores, funcionários e aumente os investimentos na educaçãoNão é possível que no Rio tenha dinheiro para empreiteiro e não tenha para a educação pública.

Diretoria da ADUFF-SSind

Falência da meritocracia: bônus para professores foi cancelado em Nova Iorque

Uma das fontes inspiração para diversos governos estaduais e municipais, entre os quais os do estado e do município do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral e Eduardo Paes, respectivamente, o modelo meritocrático americano a cada dia afunda mais. Matéria publicada pela Folha de São Paulo desta quarta (dia 20 de julho) registrou o anúncio do cancelamento do bônus por desempenho concedido para os professores das escolas em Nova Iorque. Segundo a reportagem, assinada por Fábio Takahashi, os americanos desistiram da concessão do bonus por mérito depois de um estudo mostrar que as escolas participantes do programa não tiveram desempenho melhor do que as que ficaram de fora dele. Os dados utilizados para o estudo foram coletados a partir do início do projeto (em 2007/2008) .O modelo que está sendo colocado em questão é o que serve de matriz para a rede estadual do Rio: metas estabelecidas por escola, com peso para o desempenho dos alunos nas avaliações, com premiação para os profissionais das unidades que alcançam as metas estabelecidas.

No ano passado, uma das mentoras da meritocracia e ex-secretária adjunta de educação dos EUA, Diane Ravitch, havia publicado um livro, em que reconhecia a falência do sistema que ela ajudou a desenvolver. O Sepe deu ampla divulgação para as declarações de Ravitch, a partir de uma entrevista concedida por ela para o Jornal Estado de São Paulo. A Regional 3 do sindicato chegou a fazer uma entrevista com a professora através da internet, na qual ela confirma que reviu sua posição a respeito da meritocracia, depois da constatação que o sistema de avaliações não representou qualquer avanço no desenvolvimento pedagógico dos alunos, muito pelo contrário.

Ouvido pela Folha de São Paulo, o secretário estadual de Educação, Wilson Risolia, disse que, antes de implementar a política, a pasta revisou estudos para verificar erros e acertos. "Esse de Nova York diz que muitos professores não entenderam como o bônus é distribuído. Nós fizemos decreto, resolução e cartilha explicando." O problema é que Risolia não explica o que os profissionais nas escolas sabem muito tempo: o sistema meritocrático e produtivista que, ao longo das últimas duas décadas, vem sendo implantado nas escolas públicas do Rio de Janeiro não resolve o problema da rede estadual: baixos salários e falta de disposição dos sucessivos governos do estado de investir realmente na educação pública de qualidade. O extinto Programa Nova Escola nada mais foi do que um exemplo de como tal sistema é prejudicial para educadores e alunos.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores