segunda-feira, 30 de setembro de 2013

ATENÇÃO! Ato da rede municipal de hoje (dia 30/9) foi transferido para a Cinelândia

Em virtude dos últimos acontecimentos, com o cerco da área da Câmara de Vereadores pela Polícia Militar e o aumento da tensão no local, a direção do Sepe resolveu mudar para a Cinelândia o ato que seria realizado hoje (dia 30), na prefeitura, a partir do meio dia. 

Convocamos todos os profissionais da rede municipal e das demais redes de ensino e a população em geral a se unirem na Cinelândia para garantir a segurança dos profissionais que ali se encontram e para protestar contra as covardes agressões sofridas pelos profissionais da rede municipal no processo de desocupação da Câmara na noite do último sábado.

ATENÇÃO! PM cercou o perímetro da Câmara de Vereadores e impede a circulação nas ruas do entorno


Alegando solicitação da prefeitura, policiais militares estão impedindo a circulação nas ruas do entorno da entrada da Câmara de  Vereadores (Alcindo Guanabara e Alvaro Alvim). Os profissionais que se encontram acampados na entrada da Câmara estão cercados pelos policiais e o clima é tenso no local, já que não há garantias de segurança. No momento, ninguém consegue passar para negociar com a liderança da Câmara de Vereadores, nem mesmo a direção do sindicato nem os advogados que nos representam. 

O cerco e o impedimento do livre trânsito de pessoas no local se configura num arbítrio que remete aos tempos da ditadura militar. Num momento tenso, em que a negociação deve ser colocada em primeiro lugar, os governos estadual e municipais dão mais uma prova de falta de disposição para o diálogo.

A partir do meio dia, o Sepe convoca a categoria e demais membros do movimento civil e da população carioca a participarem de um ato de desagravo aos profissionais da educação atacados e agredidos pela polícia militar, durante o processo violento de desocupação da Câmara de Vereadores no último sábado. 

SEPE CONVOCA PROFISSIONAIS E POPULAÇAO DO RIO PARA ATO NESTA SEGUNDA-FEIRA (DIA 30/9) EM DESAGRAVO AOS PROFISSIONAIS AGREDIDOS NA DESOCUPAÇÃO DA CÂMARA

O Sepe convoca os profissionais de educação das redes municipal, estadual e a população em geral para o ato de protesto contra as agressões sofridas pelos educadores durante a violenta desocupação do prédio da Câmara de Vereadores no sábado.

O ato está marcado para a porta da prefeitura, nesta segunda-feira (dia 30), a partir do meio dia. Depois do ato, faremos uma grande passeata da prefeitura até a Cinelândia, onde faremos novo protesto contra a violência e covardia dos governos Paes e Cabral contra os profissionais das escolas públicas e os seus ataques contra a educação municipal e estadual.

Cada profissional deve convocar seus conhecidos e a população em geral para participar deste protesto contra a violencia da polícia militar contra o livre direito à manifestaçao. 

Veja nos links abaixo:
Vídeo de denúncia comprovando a violência da repressão contra os educadores

Carta para a população, denunciando os ataques de Cabral e Paes

REDE ESTADUAL: PASSEATA ATÉ O PALÁCIO NESTA TERÇA

O Sepe convoca para ato/passeata unificado da rede estadual, FAETEC e movimentos sociais, nesta terça-feira, dia 1º de outubro.

A concentração será às 11 horas, no Largo do Machado, onde a educação seguirá em passeata até o Palácio Guanabara, depois Câmara dos Vereadores, onde se encontrará com a rede municipal, e terminará na Alerj.




ATO DE DESAGRAVO CONTRA REPRESSÃO HOJE, 30/9, EM FRENTE À PREFEITURA ÀS 12 H.


Paes e Cabral usam PM para desocupar violentamente plenário da Câmara - quatro professores foram presos

Mesmo após negociação entre o Sepe, manifestantes e um oficial do 5o BPM durante toda a noite de sábado, 28/9, a pedido do presidente da Câmara de Vereadores José Jorge e do Prefeito Eduardo Paes o governador Sérgio Cabral ordenou que soldados do Batalhão de Choque da Polícia Militar iniciassem a desocupação da Câmara.

Manifestantes são violentamente reprimidos do lado de fora
A violência começou quando polícia de Cabral usou gás de pimenta contra manifestantes que se encontram próximo à rua Evaristo da Veiga. Vários profissionais foram feridos por causa do uso indiscriminado de gás de pimenta e de agressões da tropa da PM contra manifestantes que tentavam impedir a entrada de mais policiais na Câmara.
Manifestantes que apoiavam os professores e funcionários da ocupação (a maioria formada por mulheres), foram atingidos por bombas de efeito moral, bombas de gás, gás de pimenta e cassetetes. Foram usadas armas de choque e um dos manifestantes, mesmo desmaiado, foi levado pela polícia.
Dentro do plenário a ação truculenta da Polícia Militar obrigou os profissionais a saírem da Câmara. Os profissionais de educação Gustavo Kelly e Ercio Novaes, que estavam na ocupação foram presos, além de outros dois manifestantes. Acompanhados pelo Dept. Jurídico do Sepe todos os detidos na 5ª DP foram liberados.
Integrantes da categoria também registraram, no mesmo local, queixas contra o comando da PM por retirar à força os professores e funcionários administrativos da Câmara, sem uma ordem específica da Justiça.
Ato em frente à Câmara

Já no domingo, 29/9, os grevistas que estavam acampando receberam a solidariedade outros manifestantes e realizaram ato em frente à Câmara de Vereadores, em protesto contra a retirada violenta pela PM na noite anterior e que provocou ferimentos em dezenas de pessoas. 

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Rede municipal: Profissionais terão reunião com vereadores hoje (dia 25)

A direção do Sepe terá uma reunião nesta quarta-feira (dia 25) com o líder do governo na Câmara de Vereadores, Luiz Guaraná (PMDB), às 14h. 

No encontro, o sindicato vai continuar reivindicando do legislativo a reabertura das negociações em torno do Plano de Cargos Salários e Remuneração (PCCR), enviado pelo prefeito Eduardo Paes para votação em regime de urgência. 

A proposta de Paes foi rejeitada por unanimidade pela categoria que, na última assembleia geral no dia 20 de setembro, decidiu retomar a greve nas escolas municipais.


terça-feira, 24 de setembro de 2013

Rede Municipal: Contato dos Vereadores

O plano de carreira proposto pela prefeitura não está de acordo com as reivindicações da categoria. Por isso, precisamos do apoio dos vereados para que o projeto não seja votado.

Abaixo apresentamos a lista dos vereadores das comissões por onde o projeto passará:

Comissão de administração e assuntos ligados ao servidor público

Presidente

Renato Moura (PTC)

renato.moura@camara.rj.gov.br

Vice-presidente

Eduardão (PSDC)

eduardo@camara.rj.gov.br

Vogal

Marcelo Arar (PT)

marceloarar@camara.rj.gov.br

Comissão de Justiça e Redação

Presidente

Jorge Braz (PMDB)

vereadorjorgebraz@camara.rj.gov.br

vice-presidente

Jimmy Pereira (PRTB)

Vogal

Marcelo Queiroz (PP) marceloqueiroz@camara.rj.gov.br

Comissão de Educação e Cultura

Presidente

Reimont

reimont@reimont.com.br

Vice-presidente

Thiago K. Ribeiro (PMDB)

thiagokribeiro@gmail.com

Vogal

Paulo Messina (PV)

messina@camara.rj.gov.br

Mande nosso plano, envie e-mail para esses parlamentares, divulgue para a comunidade escolar e peça que reforcem nossa luta!

Lista de e-mail dos deputados estaduais: envie mensagens para os deputados reivindicando a negociação imediata

Neste momento da mobilização da greve da rede estadual é importante que a categoria envie emails para os deputados, solicitando a intervenção deles junto ao governo do estado para que as negociações com a categoria sejam reabertas. A participação de cada um é importante para que os parlamentares ajudem a pressionar o governo a atender as nossas reivindicações.

Clique aqui para ver o documento com os e-mails dos deputados estaduais.

Carta aos pais e boletim do município já disponíveis no site

Leia a Carta aos Pais e responsáveis e o Boletim da rede municipal

Prefeitura do Rio usa CEC's para organizar pais de alunos contra a nossa greve

A Prefeitura do Rio está organizando pais e alunos nas CREs para participarem de uma passeata contra a greve dos trabalhadores da educação. A iniciativa tem seu epicentro nos Conselhos Escola-comunidade (CECs), um organismo privado de controle da prefeitura. Esta entidade privada é uma pessoa jurídica com CNPJ, no interior da escola, que tem por principais funções a facilitação da circulação dos recursos financeiros e a organização política dos pais dos alunos.

Na década de 1990 o Sepe/RJ, juntamente com as demais entidades sindicais dos trabalhadores da educação e inúmeros teóricos da educação vinculados às universidades federais e estaduais em todo o país, alertávamos contra a politica de “Autonomia da Educação”, que impunha a toda comunidade escolar a condição de se organizar no interior destas entidades.

A prefeitura começa a combater a nossa organização no instante em que criamos, em 1983, a Associação de Pais e Mestres (APM) para discutir as questões pedagógicas da escola e mobilizar trabalhadores e pais de alunos contra a política educacional da prefeitura. A inversão foi logo estabelecida com a criação dos CECs e a sua estrutura privada e cartorial, com eleições específicas de representantes dos segmentos de professores, funcionários e pais: a atenção é desviada das questões pedagógicas para as questões apenas financeiras. Concentra-se atenção no Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), enviado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e pelo Programa Mais Educação, do governo federal.

A prefeitura não está interessada no controle financeiro, pois nunca houve tantos recursos nas unidades escolares. A preocupação é o controle político da escola para a reprodução eleitoral dos grupos governantes e a implantação das políticas meritocráticas que limitam e privatizam o ensino.

A organização desta manifestação contra a nossa greve, alardeada pelas CREs, demonstra o quanto o governo precisa manipular e controlar servidores e pais de alunos, para continuar entrando com suas políticas orientadas pelos organismos multilaterais, como o Banco Mundial. Se utilizam de cabos eleitorais pagos com os recursos do Estado que se fazem passar por pais de alunos insatisfeitos com a greve.

A verdade já explodiu com a nossa mobilização. Não aceitaremos mais este controle. Continuaremos lutando até que Eduardo Paes e Claudia Costin aprovem o nosso Plano de Carreira. Não passarão!

ATENÇÃO, ASSEMBLEIA DA REDE ESTADUAL SERÁ NO CLUBE MUNICIPAL



ASSEMBLEIA LOCAL DESMARCADA!



VAMOS TOD@S FORTALECER A VIGÍLIA NA CÂMARA MUNICIPAL E A PRESSÃO SOBRE OS VEREADORES, A PARTIR DAS 13 HORAS.

ATO DE PROTESTO EM BRÁS DE PINA
Antes ocorrerá um ato público em frente a Escola Municipal São Paulo, a partir das 9 horas (Rua Tailândia, 60 - Brás de Pina).




Assembleia local regional 4, será nesta 4a feira, 25/9, às 15 hs (*A CONFIRMAR)


* A CONFIRMAÇÃO DA ASSEMBLEIA DEPENDE DA DINÂMICA DE TRAMITAÇÃO E POSSIVEL PROCESSO DE VOTAÇÃO DO PCCS NA CÂMARA DE VEREADORES.

Profissionais do estado, em greve, denunciam o cárater autoritário do Saerj

Amanhã e quarta-feira (dias 24 e 25), os profissionais de educação da rede estadual denunciarão o caráter autoritário do Saerjinho, o Sistema de Avaliação Bimestral da Seeduc. A rede estadual está em greve desde o dia 8 de agosto e uma das reivindicações é o fim das avaliações externas e do plano de metas da Seeduc.

O Sepe esclarece que não é contrário a qualquer avaliação diagnóstica que tenha por objetivo identificar problemas no processo ensino aprendizagem para melhorar a qualidade da educação. O problema é que o Saerjinho é uma avaliação classificatória que pretende estabelecer salários diferentes de acordo com a produtividade de cada escola, desconhecendo que este sistema já deu errado em vários lugares como Chile, EUA ou São Paulo, por exemplo. E já deu errado aqui no Rio também com o Programa Nova Escola, que foi um tremendo fracasso.

Acreditamos que a educação é um direito de todos e dever do Estado. Estabelecer uma lógica produtivista na educação é esquecer que a escola não é fábrica, que a riqueza do processo educativo depende de muitas coisas além do esforço dos professores e funcionários, que não haverá qualidade na educação enquanto as condições de trabalho forem tão ruins.

A verdade é que essa política meritocrática sempre vai deixar de fora a maioria dos profissionais. Bonificação não é valorização salarial. E pode ser retirada a qualquer momento! Queremos reajuste salarial para todos! O que o governo quer esconder e maquiar é que a grande maioria de professores continua a receber um salário muito baixo.

É preciso denunciar o que a SEEDUC esconde. O Plano de Metas (do qual o Saerjinho faz parte) tenta culpar o profissional da educação por tudo o que acontece na escola. Não somos contra o Saerj para impedir um diagnóstico, pois nós profissionais da educação fazemos isso o tempo todo. Somos contra porque não podemos aceitar que a educação pública seja encarada como uma mercadoria vendida a preços diferentes dependendo das condições do “negócio”. Educação de qualidade é direito de todos!

O Saerj é uma avaliação autoritária, que não leva em conta a realidade da comunidade escolar e a formação dos alunos - tenta mascarar a falta de investimento do governo do estado na educação da escola pública; tenta mascarar a falta de reajuste salarial para os profissionais de educação! Uma avaliação que visa o desvio de verba pública para a rede privada - verba que deveria ser garantida para a escola pública, que atende aos filhos dos trabalhadores.

Participe das manifestações contra o Saerj que ocorrerão nesta terça e quarta-feiras!

Assembleia local da Regional 4 nesta 4a feira, 25/9, será no Acampamento


segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Contra o Plano de Carreira proposto pela prefeitura, Profissionais de educação percorrem câmara pedindo apoio aos vereadores

Em greve, profissionais de educação da rede Municipal do Rio de Janeiro percorrem na tarde desta segunda-feira, dia 23/09, os gabinetes dos vereadores na câmara. 
O objetivo é pedir apoio à categoria com a não aprovação do projeto de Plano de Carreira proposto pela prefeitura.

Rede municipal: vigilia na Cinelândia a partir das 14h

Os profissionais da rede municipal, em greve, farão uma vigília a partir das 14h, na Cinelândia, para acompanhar uma reunião do Sepe com as lideranças do Legislativo. Neste reunião, a direção do sindicato vai negociar com os vereadores uma forma de impedir que a proposta de PC enviada pelo prefeito Eduardo Paes entre em votação e que o projeto do prefeito seja retirado e substituído por um plano elaborado pela categoria.

Passeata da Educação na orla neste domingo (dia 22)


Os profissionais de educação das redes estadual, municipal do Rio e da Faetec realizaram uma passeata pela orla da Zona Sul  ( Leblon e Ipanema) neste domingo (22/9)
.

Desde as 10h, centenas de profissionais se concentraram na frente da rua onde mora o governador Sérgio Cabral e, depois, partiram em passeata, esclarecendo para a população os motivos da greve da educação estadual e municipal. 

Durante todo o trajeto do Posto 12 ao Posto 8, a categoria recebeu o apoio da população carioca.

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

PEDRO PAULO ACEITA RECEBER SEPE E PROFISSIONAIS SAEM DA PREFEITURA

Os profissionais de educação, incluindo integrantes da diretoria do Sepe, que ocupavam o 13º andar da prefeitura, onde fica o gabinete do prefeito, acabam de se retirar do local, com o compromisso do secretário chefe da Casa Civil, Pedro Paulo, de receber o Sepe na segunda-feira para discutir o PCCR. A saída dos professores e funcionários foi voluntária e ocorreu sem incidentes.

PROFISSIONAIS OCUPAM ANDAR DO GABINETE DO PREFEITO EDUARDO PAES

Dezenas de profissionais de educação da rede municipal do Rio, incluindo diretores do Sepe, ocupam o 13º andar da sede da prefeitura, onde ficam os gabinetes do prefeito Eduardo Paes e do secretário da Casa Civil, Pedro Paulo. Eles reivindicam a garantia da prefeitura de que a proposta de plano de cargos, carreiras e remuneração (PCCR) do Executivo, enviado à Câmara de Vereadores na terça-feira, saia do regime de urgência para ser votado. A categoria, que decidiu retornar à greve hoje, não aceita que a proposta de PCCR do prefeito seja aprovada, pois ela não contempla, em praticamente todos os pontos antes acordados com a prefeitura, os profissionais de educação.

O secretário da Casa Civil, Pedro Paulo, mais cedo, não aceitou conversar com os professores e funcionários. Os profissionais garantem que só sairão se forem dadas as garantias de que a proposta do PCCR será retirada da pauta de urgência da votação.

Acréscimo: as luzes estão sendo apagadas no 13º andar e o advogado do Sepe impedido de subir. Até agora, nenhum representante do prefeito quis conversar com o Sepe no local. 

Rede municipal: assembleia decidiu por voltar para a greve por tempo indeterminado

As escolas municipais decidiram, por unanimidade, em assembleia no Clube Municipal, na Tijuca, realizada na parte da manhã, voltar à greve, que havia sido suspensa no dia 10 de setembro - a categoria exige a retirada da proposta de Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) do prefeito Eduardo Paes, enviada na terça-feira à Câmara de vereadores. Na análise do Sepe, a proposta da prefeitura não é um Plano de Cargos e Carreiras unificado, mas um arremedo de diferentes planos, que impõe diferentes formas de progressão para cada cargo da Rede Municipal de Educação. O plano também não contempla 93% da categoria, uma vez que prioriza apenas os direitos dos professores em regime de trabalho de 40 horas semanais.

O compromisso de o prefeito Eduardo Paes com a categoria era o de enviar à Câmara de Vereadores, para votação, uma proposta de PCCS que satisfizesse a categoria dentro de dois itens básicos: fosse um plano unificado (que valesse para professores e funcionários) e respeitasse o tempo de serviço e a formação acadêmica.

Neste momento, a categoria realiza passeata pela Avenida Presidente Vargas, onde vai se encontrar com os profissionais de educação da rede estadual, na altura da Avenida Rio Branco. em greve desde o dia 8 de agosto.

Calendário de mobilização:

Sábado (21/09): atos nas regionais;

Domingo (22/09): passeata na orla da Zona Sul: Leblon (na altura da casa do governador) até Copacabana, com concentração a partir das 10h;

Segunda a quinta-feira (23 a 26/09): na parte da manhã, corrida às escolas; à tarde, a partir das 13h, vigília na Câmara de Vereadores, para impedir a votação da proposta de PCCR do prefeito;

sexta-feira (27/09): assembleia, às 10h, em local a confirmar.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

ATENÇÃO: NÃO ASSINE QUALQUER NOTIFICAÇÃO DA SEEDUC APRESENTADA PELA DIREÇÃO DE SUA ESCOLA SOBRE A GREVE

Os profissionais de educação da rede estadual estão totalmente resguardados pela liminar do Sepe concedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que impede qualquer tipo de retaliação à greve iniciada no dia 8 de agosto.

ESTA LIMINAR GANHA PELO SEPE CONTINUA EM VIGOR.

A Seeduc faz terrorismo ao induzir os profissionais a assinarem uma notificação, em que cita um processo do governo do estado em que é aplicada uma multa ao sindicato. Ou seja, essa multa não atinge, individualmente, qualquer profissional.

O SEPE ORIENTA: NÃO ASSINE QUALQUER NOTIFICAÇÃO DA SEEDUC APRESENTADA PELA DIREÇÃO DE SUA ESCOLA SOBRE A GREVE.

Nesta sexta, convocamos a categoria a participar do ato/passeata, a partir das 12h, da Candelária até a Alerj, onde ocorrerá uma assembleia.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Assembleia da rede estadual da Regional 4 do SEPE 19 - 09 às 17 horas no acampamento da rede estadual nas escadarias da ALERJ

Atenção:Assembleia da rede estadual da Regional 4 do SEPE será nesta quinta feira, 19/9, às 17 horas no acampamento nas escadarias da ALERJ.
Local: Avenida  Antônio Carlos, em frente à Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ

 Venha para a assembleia professor! É muito importante a presença de tod@s!

Assembleia em frente a Alerj mantém greve
Na sexta-feira, dia 20, a categoria realiza um ato na Candelária, seguido de uma passeata até a Alerj – a concentração para a passeata começa ao meio-dia. Logo após a passeata, ocorrerá uma assembleia nas escadarias da Alerj.

O acampamento em frente à Alerj, que já conta com várias barracas, continuará montado.

O Sepe reivindica a reabertura das negociações com o vice-governador Pezão, que recebeu em audiência o sindicato logo noinício da greve, mas não se reuniu mais com o sindicato.

que reivindica a rede estadual:

1 – Reajuste de 20%;

2 – Melhores condições de trabalho;

3 – 30 horas semanais para funcionários;

4 – Democracia nas escolas – eleição para diretor de escola;

5 – Fim do plano de metas e do projeto Certificação;

6 – A derrubada do veto do governador Sérgio Cabral ao artigo do Projeto de Lei 2.200, que garante uma matrícula de professor em apenas uma escola.



Assembleia da Regional 4: Quinta-feira, 19/09, às 18:30, no Centro Cultural Cinema Brasil

Rede Municipal: Profissionais decidem manter estado de greve e marcam nova assembleia para sexta, dia 20.
Milhares de profissionais da rede municipal de educação se reuniram na tarde desta terça-feira, 17/09, na Cinelândia,para realizar a assembleia da categoria. Em votação, ficou decidido pela manutenção do estado de greve. 

Os profissionais de educação, também votaram o calendário de mobilização: quarta e quinta, dias 18 e 19, será feita acorrida nas escolas. Já na sexta-feira, dia 20/09, haverá paralisação de 24 horas em toda a rede, com assembleia às 10h, em local a confirmar.

A assembleia da Regional 4 será nesta quinta-feira, dia 19/09, às 18:30, no Centro Cultural Cinema Brasil.

Foto: Categoria faz assembleia na avenida Rio Branco, após saber que Eduardo Paes, o prefeito enrolão, não cumpre acordo feito com os Profissionais da Educação da cidade do Rio de Janeiro.
Profissionais de educação continuam ocupando as ruas

AGENDA DE ATIVIDADES DO ACAMPAMENTO DA ALERJ


Prefeito Eduardo Paes revoga paridade para aposentados no seu PCCS meritocrático – Sepe convoca todos os aposentados para reunião nesta quinta

Aos Professores (as) e Funcionários Administrativos(as) Aposentados(as) da Rede Municipal do Rio.

O Prefeito desta cidade pretende rasgar a Constituição Federal no seu artigo 40º, fruto de muita luta nossa durante o processo constituinte quando garantimos a PARIDADE entre ativo (as) e Aposentados(as), pois no artigo 45 do seu PCCS, revogais diversos artigos da Lei 1.881 de 23 de julho de 1992 e dentre eles 0 Art 20- “Os proventos da aposentadoria serão revistos, no mesmo percentual e na mesma data, sempre que se modificar a remuneração dos servidores em atividades”.

Durante todo o processo de negociação a Comissão do SEPE disse que não abriria mão de algumas premissas fundamentais para o conjunto da categoria: Plano UNIFICADO (professores e funcionários, ativos e aposentados), portanto garantindo a PARIDADE (contra qualquer política de abonos, gratificações e similares).

Estamos convocando TODAS (os) as(os) APOSENTADAS(OS) para  a reunião AMANHÃ- dia 19 de setembro- a partir das 10 horas no auditório do SEPE.

Rede municipal: Veja análise do Sepe e a proposta de Plano de Carreira apresentada pela prefeitura

Depois de mais de 24 horas debruçados sobre o suposto Plano de Cargos e Carreira Unificado encaminhado pela Prefeitura à Câmara de Vereadores, no início da tarde, da última terça feira, o SEPE – RJ coloca sua posição para a categoria

leia aqui a análise da direção do Sepe

Disponibilizamos a proposta da prefeitura de Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR), entregue ao Sepe somente no fim da tarde dessa terça - a diretoria do Sepe, em conjunto com os advogados do sindicato, já está analisando o documento.

Clique aqui para ler o plano


terça-feira, 17 de setembro de 2013

DELIBERAÇÕES DA ASSEMBLEIA DA REDE MUNICIPAL DE 17/9

Continuidade do Estado de Greve

Calendário:

. 18 e 19/9 – Debate nas escolas sobre o projeto de lei do PCCR enviado pela prefeitura à Câmara de Vereadores;

 . 19/9 – Assembleias locais;  18h – Conselho Deliberativo da Rede, no Sepe

. 20/9 - Assembleia Geral, às 10h, no Clube Municipal, com INDICATIVO DE GREVE

Outras deliberações:

. O Sepe deve encaminhar ofício à prefeitura, informando a data da nova paralisação com assembleia e indicativo de retorno à greve;

. organização de um Comando de Greve;

. cada regional deverá indicar UM representante de base para compor um dos GTs ou Mesa de Negociação;

. Não haverá negociação de reposição ou reposição efetiva até  que  o Plano de Carreira da categoria seja votado na Câmara.

Rede Municipal: Profissionais decidem manter estado de greve e marcam nova assembleia com paralisação para sexta, dia 20

Profissionais de educação da rede municipal se sentiram enganados pelo prefeito Eduardo Paes, que não entregou o projeto de Plano de Carreira ao Sepe:

Milhares de profissionais de educação da rede municipal do Rio de Janeiro decidiram há pouco manter o estado de greve nas escolas (as aulas estão mantidas, mas a greve poderá retornar). Na sexta-feira, dia 20, ocorrerá uma nova paralisação, com assembleia às 10h, em local a confirmar – na assembleia será decidido se as escolas voltarão à greve. Neste momento, os profissionais estão indo em passeata para a Alerj, onde prestarão solidariedade ao acampamento dos profissionais do estado, que estão em greve desde o dia 8 de agosto (ao lado, foto do início da assembleia, quando a categoria ainda estava na Cinelândia).

A decisão da categoria foi tomada em assembleia em plena Avenida Rio Branco, que foi fechada pelos profissionais, na Cinelândia. Com isso, a greve das escolas municipais, que foi encerrada no dia 10 de setembro, tendo durado mais de um mês, poderá voltar com força total. Isso porque, o principal compromisso do prefeito Eduardo Paes com a categoria, o de entregar ao Sepe a proposta de Plano de Carreira até ontem, foi descumprido. Ou seja, a categoria desconhece inteiramente a proposta que será entregue pelo prefeito aos vereadores.

Como o sindicato não recebeu a proposta do governo ontem, a direção foi até a prefeitura na manhã desta terça-feira para falar com o secretário da Casa Civil Pedro Paulo Carvalho para cobrar dele o documento. O secretário pediu um prazo até o meio dia para a entrega da proposta. Mas, depois, informou que ele e o vice-prefeito Adilson Pires, juntamente com vereadores haviam sido convocados pelo prefeito Eduardo Paes para uma reunião no Palácio da Cidade em Botafogo (Rua São Clemente). Os diretores do Sepe que se encontravam na prefeitura, se dirigiram para o Palácio da Cidade e, até o fim da assembleia, ainda aguardam uma posição do governo municipal do porque da demora na entrega do projeto, conforme o combinado.

A categoria ficou extremamente preocupada e revoltada com a postura do prefeito, que preferiu se reunir com os vereadores de sua base ao invés de ter um mínimo de respeito com as dezenas de milhares de professores e funcionários administrativos.

Neste quarta e quinta-feiras, o Sepe orienta os profissionais a discutirem em suas escolas sobre a importância da paralisação dessa sexta (dia 20), com a presença de todos na assembleia.

Acréscimo: a comissão do Sepe já está com uma cópia do plano. A comissão teve que esperar horas essa tarde para que a prefeitura entregasse a proposta do prefeito. Vamos disponibilizar a cópia no site assim que possível.

Rede Municipal: Assembleia decide se volta ou não à greve

A assembleia da rede municipal de educação decide neste momento se continuará em estado de greve, ou se a categoria voltará a greve.  

Até o início da tarde desta terça-feira (dia 17/9), o governo municipal ainda não havia entregue o seu projeto de Plano de Carreira para que o sindicato possa avaliar o conteúdo e agregar as emendas que se façam necessárias para que o mesmo se adeque às reivindicações dos profissionais da rede municipal. 

Por isso, na assembleia da categoria, que acontece agora, os profissionais de educação votaram por esperar na Cinelândia (local da assembleia) até que o governo se posicione sobre o assunto. 

Neste momento, os profissionais de educação fecham a Avenida Rio Branco, altura do Teatro Municipal.


Conselho Deliberativo da rede estadual será realizado na sexta-feira (dia 20) no Sepe

O Sepe informa aos profissionais da rede estadual que o Conselho Deliberativo da rede será realizado na próxima sexta-feira, dia 20 de setembro, às 10h, no auditório do sindicato (Rua Evaristo da Veiga 55 - 7º andar). 

Ainda neste dia, a categoria, que decidiu ontem (dia 16) em assembleia na Alerj  manter a greve nas escolas, fará um ato a partir das 12h, na Candelária, seguido de uma passeata até a Alerj, onde está instalado o acampamento da educação estadual. 

Neste local, será realizada nova assembleia geral para decidir os rumos da greve, que já dura 39 dias.

RESPOSTA DO SEPE À NOTA DA SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO

A direção do Sepe considera que a nota postada no site da Secretaria Estadual de Educação com o título: “Demandas do sindicato e respostas da Seeduc” é capciosa e tenta trazer confusão entre os profissionais de educação; além de não ajudar em nada, ao contrário do que a nota alega pretender, na negociação entre o governo e o Sepe.

Em primeiro lugar, o sindicato foi recebido pelo líder do governo, deputado André Correa, e não pela Seeduc, como a nota faz supor.

Em segundo lugar, a intenção do Sepe com essa audiência era a de solicitar ao deputado que fizesse a ponte com o governo para a reabertura da negociação – como comprova a introdução da carta entregue ao deputado, na Alerj, com os pontos da nossa pauta de reivindicações (clique aqui para ler).

Em terceiro lugar, o Sepe esclarece que não enviou para o deputado e líder do governo na Alerj, André Correa, as ”seis demandas”. Ao contrário, foi o deputado André Correa que propôs estes seis pontos de negociação, como comprovamos com a cópia do e-mail enviado pelo próprio deputado André Correa à coordenadora Marta Moraes, no dia 16 – clique aqui para ler.

Dessa forma, também esclarecemos que a pauta de reivindicações do Sepe, entregue ao governo várias vezes, inclusive no início da greve (agosto) ao vice-governador Pezão, na audiência no Palácio Guanabara, é mais ampla do que o que o site da Seeduc informa – na verdade, a nosso ver, desinforma.

Reiteramos: os ditos seis pontos de negociação citados na nota da Seeduc não partiram do Sepe.

Finalizamos, reivindicando que o governo reabra o canal de negociação com o Sepe, em cima de nossa pauta completa.

Direção do Sepe

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

ESCOLAS MUNICIPAIS DO RIO REALIZAM PARALISAÇÃO DE 24 HORAS NESTA TERÇA (17/9)

Os profissionais das escolas da rede municipal do Rio farão uma paralisação de 24 horas nesta terça (dia 17/9). A categoria vai realizar uma assembleia geral e um ato em defesa das propostas da categoria para o plano de carreira, cargos e salários (PCCS) da educação municipal. As atividades estão marcadas para ter início às 14h, nas escadarias da Câmara de Vereadores. A rede municipal se encontra em estado de greve e mobilizada para lutar pela pauta de reivindicações acordada com o governo municipal, que inclui além da proposta de PCCS uma pauta para a solução das questões pedagógicas, entre outros pontos.

A prefeitura tinha se comprometido a entregar a sua proposta de plano hoje ainda para os vereadores e o Sepe, o que não ocorreu. O secretário da Casa Civil, Pedro Paulo, informou à diretoria que entregará o plano amanhã. O Sepe lamenta e discorda da postura da prefeitura em não apresentar o PCCS ao Sepe por entender que tal conduta significa a quebra da palavra do governo municipal em audiências de negociação e formalizada através de atas assinadas nos dia 23/08/2013 e 06/09/2013 e pelo Decreto 37.545 de 05 de agosto de 2013, alterado pelo Decreto 37.619 de 29 de agosto de 2013, que determina o dia 16 de setembro de 2013 como prazo final de entrega do projeto de plano na Câmara dos Vereadores.

A assembleia desta terça também irá discutir uma proposta da categoria para a reposição dos conteúdos. Portanto, nenhum profissional deve assinar documentos sobre o assunto, antes que a plenária tire uma decisão da categoria sobre o assunto.

Prefeitura não cumpre promessa de elaborar proposta do PCCS em data agendada com o Sepe

A Comissão do Sepe esteve na prefeitura hoje, dia 16/09/13, conforme acertado na última audiência com o Chefe da Casa Civil Pedro Paulo Carvalho Teixeira e a Secretária Municipal Cláudia Costin, para receber a proposta do PCCS do governo municipal para discussão com a categoria nas assembleias locais de hoje.

A comissão foi recebida pelo Sr. Fernando, da Chefia de Gabinete da Casa Civil e informada que o projeto do plano de cargos e salários não estava pronto e que o mesmo seria entregue amanhã, terça-feira.

Coincidentemente, chega o seguinte torpedo  enviado pelo Secretário da Casa Civil ao telefone celular de um dos membros da comissão:

Trabalhamos o final de semana inteiro e ainda hj o dia será longo. Fecharemos na madrugada. Amanhã enviaremos. Desculpe. Abs.

A comissão de negociação deixa claramente registrado na Secretaria da Casa Civil que lamenta e discorda da postura da prefeitura em não apresentar o PCCS ao Sepe por entender que tal conduta significa a quebra da palavra do governo municipal em audiências de negociação e formalizada através de atas assinadas nos dia 23/08/2013 e 06/09/2013 e pelo Decreto 37.545 de 05 de agosto de 2013, alterado pelo Decreto 37.619 de 29 de agosto de 2013, que determina o dia 16 de setembro de 2013 como prazo final de entrega do projeto de plano na Câmara dos Vereadores.

Por isso, todos vamos à paralisação de amanhã, dia 17/09, com ato e assembleia na porta da Câmara para pressionar os Vereadores e deixarmos claro qual o Plano de Cargos que queremos.

Assembleia da Regional 4: Segunda-feira, 16/09, às 18:30, no Centro Cultural Cinema Brasil


Profissionais da rede estadual colocaram Cabral e Pezão para correr em Anchieta no sábado (dia 14/9)

Um grupo de profissionais marcou presença no sábado numa cerimônia de inauguração de obras em Anchieta, que contaria com  presença do governador Cabral, do vice-governador, Pezão, do deputado Jorge Picciani e do vereador Professor Uoston (da CPI do Transporte Público na Câmara) e conseguiu desmobilizar o palanque preparado por eles para fazer propaganda do governo. 
Por causa da pressão dos profissionais, as autoridades não saíram da van e foram obrigados a se retirar, cancelando o evento quando souberam da nossa presença. 
Um dos assessores das autoridades chegou a discutir com uma colega professora. 
Parabéns para o grupo de profissionais que deu mais uma prova de mobilização, denunciando as mazelas da rede e impedindo que o governo estadual faça propaganda enganosa para a população do estado.

Vídeo: Rede estadual: vejam vídeo feito na Alerj convocando categoria para o acampamento

O acampamento montado pelos profissionais da rede estadual em greve na última quarta-feira (dia 11) está em pleno funcionando, com atividades culturais e de esclarecimento da população sobre a situação da rede estadual e a falta de vontade do governador e do secretário Risolia de negociar as nossas reivindicações. Veja pelo link abaixo um chamamento à categoria para que participe do acampamento da rede estadual 2013:

A assembleia da rede estadual será em frente à Alerj, nessa segunda, dia 16, às 14h.


Assembleia será nas escadarias da Alerj
Os profissionais da rede estadual em greve realizam uma assembleia geral nesta segunda-feira, a partir das 14h, nas escadarias da Alerj. 
Neste local, a categoria está promovendo um acampamento desde a noite da última quarta-feira (dia 11), data em que uma plenária realizada na ACM decidiu pela continuidade da greve na rede estadual e realização de uma marcha até o Legislativo, que culminou com a instalação de barracas e do acampamento da rede estadual 2013.

Acampamanto realiza atividades
O acampamento da rede estadual em frente à Alerj vai realizar diversas atividades neste final de semana - oficina de confecção de máscaras, cinema (exibição de filmes), oficina de pinturas, etc.

É importante que a categoria visite e participe do acampamento.

Ontem (sexta), o núcleo de Niterói fez a sua assembleia no acampamento - recomendamos que os demais núcleos também façam o mesmo.


VÍDEO: Profissionais da Rede estadual decidem continuar greve e montam acampamento na Alerj

Nesta quarta feira, 11/09, profissionais da rede Estadual votaram pela continuidade da greve que já dura mais de um mês. 

Após a assembleia da categoria, os grevistas seguiram em passeata até a Alerj, onde montaram um acampamento (que permanece até este momento no local). Eles pedem a reabertura das negociações com o governo estadual. 

A próxima assembleia para definir os rumos da mobilização acontecerá na segunda-feira, dia 16/09, às 14h, em local a confirmar. 


terça-feira, 10 de setembro de 2013

ASSEMBLEIA DECIDE PELA SUSPENSÃO DA GREVE NA REDE MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

Nesta terça-feira, 10/09, milhares de profissionais de educação lotaram o Clube Municipal, e decidiram pela suspensão da greve na rede municipal do Rio de Janeiro.  

A categoria começou a paralisação no dia 08 de agosto, foram 32 dias de uma greve histórica. 

Outros detalhes, daqui a pouco no nosso site.

ATENÇÃO: ASSEMBLEIA DA REDE ESTADUAL SERÁ NA ACM

O local da assembleia da rede estadual foi mudado: será no auditório da ACM, que fica na Rua da Lapa, número 86 - às 14h.



REDE ESTADUAL: STF GARANTE O DIREITO DE GREVE DOS SERVIDORES DA REDE ESTADUAL

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, negou um pedido de liminar do governo do Estado do Rio de Janeiro que visava cassar a decisão judicial de cassar a liminar do Sepe que grarante o direito de greve (sem retaliações) dos servidores da rede estadual de ensino. Sentença (veja o teor abaixo) foi publicada no dia 9 de setembro. Veja o que o STF decidiu:  

Data de Disponibilização: 09/09/2013     

Jornal: Tribunais Superiores

Tribunal: SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Vara: PRESIDÊNCIA

Seção: DJ Seção Única

Página: 00042

PROCESSOS DE COMPETENCIA DA PRESIDENCIA

SUSPENSAO DE TUTELA ANTECIPADA 723 (249) ORIGEM : PROCED. : RIO DE JANEIRO REGISTRADO : MINISTRO PRESIDENTE REQTE.(S) : ESTADO DO RIO DE JANEIRO PROC.(A/S)(ES) : PROCURADOR-GERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REQDO.(A/S) : TRIBUNAL DE JUSTICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ADV.(A/S) : SEM REPRESENTACAO NOS AUTOS INTDO.(A/S) : SINDICATO ESTADUAL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCACAO DO RIO DE JANEIRO ADV.(A/S) : ELAINE APARECIDA ROLIM DE ALMEIDA ADV.(A/S) :ITALO PIRES AGUIAR DECISAO: Trata-se de pedido de suspensao de tutela antecipada formulado pelo Estado do Rio de Janeiro contra decisao proferida por desembargadora do Tribunal de Justica daquela unidade da Federacao nos autos do mandado de seguranca 0045412 95 2013 8 19 0000 A decisao impugnada deferiu a liminar requerida pelo impetrante, Sindicato Estadual dos Profissionais de Educacao do Rio de Janeiro (SEPE/RJ), e determinou a suspensao de medidas administrativas tomadas pelo ora requerente em face da deflagracao de movimento grevista. Entre as medidas suspensas por forca da decisao liminar encontram-se a aplicacao de falta aos servidores grevistas, o desconto remuneratorio dos dias parados e a possibilidade de demissao por ausencia de comparecimento ao trabalho O Estado do Rio de Janeiro sustenta que a decisao liminar impugnada representa grave ameaca a ordem e dano as financas publicas Entre os argumentos apresentados pelo requerente esta a alegacao de que o pagamento dos dias parados representa afronta ao principio da moralidade, bem como a apresentacao de evidencias que demonstrariam se tratar, no caso concreto, de greve abusiva, fenomeno apto a ensejar o corte de ponto dos dias nao trabalhados. Nessa linha de argumentacao, o Estado do Rio de Janeiro alega que a paralisacao e a decima quinta ocorrencia de movimento paredista no periodo de apenas um ano e meio, e que as greves naquele estado da Federacao coincidem com o calendario eleitoral do pais. O requerente aduz, tambem, que a paralisacao nao foi devida e previamente notificada ao poder publico, tendo sido iniciada sem que tivessem sido esgotadas as negociacoes previas sobre as demandas dos servidores Ao final, o Estado do Rio de Janeiro sustenta que nao estao presentes os requisitos faticos e juridicos para a concessao da liminar no mandado de seguranca e requer a suspensao da decisao impugnada, com fundamento no § 7º do art. 4º da Lei 8.437/1992. E o relatorio. Decido. A leitura da decisao impugnada revela que a fundamentacao utilizada apoiou-se na existencia de indicios concretos de retaliacao pelo exercicio do direito de greve Leio No caso em tela, o impetrante comprovou, as fls. 52/53, 57/58 e 89/96, o preenchimento dos requisitos constantes da lei 7.783/89, nao se verificando, a principio, qualquer abuso do direito de greve a justificar o corte no ponto dos servidores e o consequente desconto dos dias paralisados Ademais, configura-se claro o perigo de dano irreparavel ou de dificil reparacao na hipotese em comento, uma vez que, se trata de verba de carater alimentar, havendo, inclusive, risco de perda do cargo por parte dos servidores, que aderirem ao movimento, destacando-se que, o documento de fls. 62 comprova a orientacao, proveniente da Secretaria de Estado de Educacao, para que seja atribuida falta aos profissionais grevistas. Com efeito, a parte dispositiva da decisao liminar limitou-se a suspender a possibilidade de adocao de medidas administrativas contrarias ao exercicio do direito de greve, tendo sido utilizada a devida cautela em vincular o exercicio desse direito ao cumprimento dos passos previstos na legislacao aplicavel. Colho da decisao impugnada (grifei): Ante o exposto, defiro a liminar para determinar que, as autoridades coatoras se abstenham de aplicar falta aos servidores grevistas, inclusive, nos dias de paralisacao realizados com a notificacao previa da administracao, assim como dos dias provenientes da greve deflagrada a partir do dia 08 de agosto de 2013, para todos os fins de direito, ate decisao final, evitando-se assim retaliacoes a direitos estatutarios e descontos remuneratorios nos contracheques dos servidores grevistas e sancoes administrativas a titulo de demissao, preventivamente, sob pena de multa diaria no valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais). Nesse contexto, entendo que nao foi suficientemente demonstrada a presenca dos requisitos juridicos para o deferimento da medida de contracautela. Como visto, a decisao liminar impugnada limitou-se a resguardar a possibilidade de exercicio do direito de greve, desde que cumpridas formalidades legalmente exigiveis As questoes relativas ao suposto carater abusivo, e aquelas que dizem respeito a ilegalidade do movimento, pertencem ao julgamento de merito do writ. Frise-se, neste ponto, que a argumentacao do requerente na inicial nao foi acompanhada de elementos concretos que permitiriam fundamentar a conclusao imediata pela existencia de greve ilegal. Neste momento, nao se afigura possivel debrucar-se sobre esses temas, os quais exigem como e sabido a devida instrucao processual do feito na origem Ante o exposto, indefiro o pedido. Publique-se. Brasilia, 30 de agosto de 2013 Ministro JOAQUIM BARBOSA Presidente


(Documento assinado digitalmente)

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Rede estadual: Profissionais de educação realizam ato/denúncia em Bonsucesso

Profissionais de educação da rede estadual em greve, realizarão nesta quinta-feira, dia 12/9, às 10 horas um protesto de denúncia contra práticas autoritárias e de assédio moral da direção do Colégio Estadual Olga Benário.

Data: 12/09 (quinta-feira)

Horário: 10 horas

Local: Colégio Estadual Olga Benário, rua uranos 733 - Bonsucesso.

Assembleia local nesta 2a feira, 9/9


quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Profissionais de educação da Regional 4 promovem ato na Vila Cruzeiro e convocam assembleia local à tarde (nesta 5a feira, 5/9)

Os profissionais da Educação realizarão na manhã desta 5a feira, 5/9, uma atividade junto a comunidade na Praça São Lucas, próximo à Escola Municipal Eleonor Coelho Pereira. 

O ato pretende dialogar com a comunidade da região da Vila Cruzeiro e passar os motivos da continuidade da greve que ocorre nas redes públicas de educação do estado e do município.

A Regional 4 também convoca os profissionais de educação para a assembleia local, que será realizada também nesta 5a-feira, dia 5/9, às 15h, no espaço do Ponto de Cultura Cine Bonsucesso. Endereço: Avenida Teixeira de Castro, 157 – Bonsucesso (em frente ao Posto Ypiranga). Telefones para contato: 2290-4595 / 7133-0088 (vivo).

A greve continua! Assembleia local nesta 5a feira, 5/9, às 15 h.


Profissionais das escolas municipais decidem por ampla maioria que a greve vai continuar


Cerca de quatro mil profissionais das escolas da rede municipal do Rio acabam de decidir em assembleia, por ampla maioria, que a greve iniciada no dia 8 de agosto irá continuar. Um dos fatores que contribuiu para a decisão da categoria foi a ação movida pela prefeitura na Justiça para tentar acabar com a paralisação. 

A liminar ganha pelo governo municipal revoltou os profissionais, que ainda aguardam respostas da prefeitura e da Secretaria Municipal de Educação para as reivindicações de cunho pedagógico, como melhores condições de trabalho e de infra-estrutura na rede municipal.

A assembleia de ontem (dia 3/9) definiu que a próxima assembleia da categoria será realizada na sexta-feira (dia 6 de setembro), a partir das 10h, na frente da prefeitura (Cidade Nova). Antes os profissionais farão um ato público e reivindicarão a continuação do processo de negociação entre a categoria e o governo municipal.

A greve, que começou no dia 8 de agosto, foi mantida, com alguns pontos que a categoria reivindica que sejam aprofundados pela prefeitura na negociação com o Sepe; são eles:

1) O reajuste salarial de 8% concedidos pelo prefeito, que seria implementado somente quando a proposta de plano de carreira, cargos e salários fosse encaminhado à Câmara, seja implementado já ou com retroatividade a agosto;

2) O piso salarial das merendeiras e serventes somente foi ajustado ao salário mínimo – estes servidores recebiam de piso um valor menor que o salário mínimo -, não tendo sido reajustado com os 6,75% concedidos em agosto para todos os servidores municipais. A educação, por isso, reivindica que os 6,75% sejam aplicados em cima do piso de um salário mínimo desses servidores;

3) Apresentação de um cronograma que garanta a implementação do 1/3 da carga horária para planejamento, a redução do número de alunos por turma já em 2014;

4) Garantia da autonomia pedagógica das escolas.

Milhares de Profissionais fazem passeata até à camara dos vereadores
Após a assembleia que decidiu pela permanência da greve na rede municipal do Rio de Janeiro, milhares de profissionais seguiram a pé em direção à camara dos vereadores.

Rede municipal do Rio em greve: veja as considerações da direção do sindicato sobre a suposta liminar da prefeitura

Com relação à divulgação nos meios de comunicação sobre uma suposta liminar ganha pela prefeitura na Justiça, determinando o fim da greve, com prazo de 48 horas, sob pena do sindicato pagar multa diária depois da notificação da decisão.

A direção do sindicato esclarece a categoria que a assembleia de ontem (3/9) às 14h, nos Arcos da Lapa, deliberou que a greve continua, sendo a assembleia o fórum máximo de decisão a respeito da continuidade ou não da greve dos profissionais das escolas municipais do Rio. 

Veja abaixo, as considerações da direção do sindicato à respeito da notícia nos jornais e televisões sobre a suposta decisão do Poder Judiciário:

1. O Sepe não recebeu nenhuma notificação da justiça.

2. A greve não foi julgada.

3. Se a liminar do prefeito existe de fato, ela apenas é apenas uma resposta provisória enquanto não há o julgamento.

4. O sepe também ganhou uma liminar que garante os não desconto de dias parados ou qualquer retaliação à greve.

5. A liminar ganha pelo Sepe continua valendo.

6. Cabe recurso à liminar da prefeitura, caso seja real.

7. O prazo de 48 horas começa a contar a partir da notificação ao sindicato.

8. O departamento jurídico já está tomando medidas para entrar com recurso assim que o Sepe for comunicado.

9. A justiça não pode decretar o fim da greve. Ela poderia, no máximo decretar a greve como ilegal. Porém nem isso eles fizeram.

10. É em nossa assembleia que decidimos os rumos de nossa luta. 

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

A greve continua! Assembleia local nesta 2a feira, 2/9, às 15 h.


Rede municipal fez ato em Copacabana ontem (dia 01/9)



A rede municipal realizou um ato de protesto na Praia de Copacabana, na manhã deste domingo (dia 01 de setembro). 

No ato, a categoria fez um panfletagem na altura da Av. Princesa Isabel e, depois, caminhou até a altura do Hotel Copacabana Palace, onde foram colocadas cruzes na areia para marcar o luto da categoria contra a política educacional da prefeitura. 

Também foram trocados livros entre os participantes do ato.

Regional 4 convoca Assembleia Local , nesta segunda-feira, 02/09,às 15 horas, no Cine Brasil

A greve continua! 
 Assembleia local da regional 4, rede municipal,  nesta segunda-feira, 02/09,às 15 horas, no Cine Brasil, Avenida Teixeira de Castro, 157, Bonsucesso.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores