quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Escolas públicas estaduais paralisaram atividades hoje (21/09) em protesto contra o Saerjinho

Convocados pelo Sepe, profissionais das escolas públicas estaduais realizaram paralisação de 24 horas hoje, quarta-feira (21/09), dia da aplicação do Saerj (Sistema de Avaliação do Ensino) pela Secretaria Estadual de Educação (Seeduc). Esta avaliação pretende medir os conhecimentos dos alunos do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e das três séries do Ensino Médio, mas não foi planejada pelos professores da rede estadual e não leva em consideração a realidade das escolas, que não têm uma estrutura mínima para o estudo.

Em vários colégios da rede houve protestos contra a aplicação da prova, como no CE Leopoldina da Silveira, em Bangu, onde metade dos alunos do turno da manhã, de um total de 300, não fez o Saerjinho. Já no Ciep 369, em Duque de Caxias, os alunos protestaram contra a avaliação, vestindo preto. A paralisação no CE Visconde de Cairu, no Méier, um dos maiores da rede, alcançou o índice de 100% no turno da manhã.

A direção do Sepe foi informada que a prova do Saerjinho foi aplicada ontem, dia 20, no município de Resende. Antes, portanto, da data oficial anunciada pela Seeduc, que seria hoje, dia 21. Esta antecipação em algumas escolas certamente é uma tentativa de minorar os efeitos da paralisação convocada pelo Sepe. Com isso, o sigilo da avaliação já está comprometido. Em julho, a Seeduc aplicou a prova durante três dias (quando deveria aplicar em apenas um dia a mesma prova), buscando, à época, evitar o boicote realizado pela categoria, que estava em plena greve. Também naquele momento o sigilo foi comprometido.

O Sepe não é contra qualquer avaliação que tenha por objetivo identificar problemas no processo de ensino para melhorar a qualidade da educação.O problema, para o sindicato, é que o Saerjinho é uma avaliação classificatória que pretende estabelecer salários diferentes de acordo com a produtividade de cada escola. Alem do mais, este sistema já deu errado em vários lugares, tais como Chile, EUA e no estado de São Paulo. E já deu errado aqui na própria Seeduc, com o Programa Nova Escola, que foi um tremendo fracasso.

As provas do Saerjinho fazem parte do Plano de Metas apresentado pela Seeduc e tem como um dos seus eixos a meritocracia. Isto significa que o resultado desta e de outras avaliações externas será utilizado para “premiar” ou “punir” professores e funcionários de acordo com o resultado das provas, estabelecendo uma lógica de remuneração variável. A educação é um direito de todos e dever do Estado. Estabelecer uma lógica produtivista na educação é esquecer que a escola não é uma fábrica, que a riqueza do processo educativo depende de muitas coisas além do esforço dos professores e funcionários, e que não haverá qualidade na educação enquanto as condições de trabalho forem tão ruins que levam ao abandono de mais de 20 professores por diacomo pesquisa do Sepe no Diário Oficial comprova.

Outra denúncia em relação ao Plano de Metas, é que a Seeduc pretende punir professores considerando até mesmo o número de alunas grávidas nas escolas. Assim, se o número de alunas grávidas em uma determinada escola aumenta, o salário do professor diminui. Essa é a lógica da meritocracia: tentar culpar o profissional da educação por tudo o que acontece na escola. Não boicotamos o Saerj para impedir um diagnóstico, pois nós profissionais da educação fazemos isso o tempo todo. Boicotamos o Saerj porque não podemos aceitar que a educação pública seja encarada como uma mercadoria vendida a preços diferentes dependendo das condições do “negócio”. Educação de qualidade é direito de todos!

Vitória da luta dos servidores estaduais: TCU impede a cessão do IASERJ para o INCA

O Tribunal de Contas da União (TCU) acaba de publicar um despacho em que se posicioona de forma contrária à cessão do complexo do IASERJ Central ao Instituto Nacional do Câncer (INCA) para a construção de um Centro de Pesquisas e ampliação do Hospital do Câncer localizado ao lado do IASERJ. A decisão do Tribinal suspende implicou na suspensão do processo licitatório que o INCA promoveria hoje para a contratação de uma empresa para demolir os prédios do Instituto de Assistência aos Servidores Estaduais.

A decisão do TCU é uma prova de que a luta dos servidores pela preservação do patrimônio do IASERJ vale à pena. Mais do que nunca o IASERJ continua vivo, apesar de todas as tentativas do governo estadual de sucatear o órgão. Nos últimos meses, o Instituto teve um crescimento médio  de cerca de 150% nos atendimentos e procedimentos ambulatoriais, exames laboratoriais, exames de imagem e internações.

A luta agora é pela reativação de todos os prédios do Hospital Central, o que possibilitará a disponibilização de 400 leitos, sendo 60 de CTI, 130 leitos cirúrgicos e 210 leitos clínicos de retaguarda.

Greve nas escolas publicas de Minas Gerais completa 105 dias: Veja vídeo da manifestação dos profissionais de educação

Veja pelo link abaixo o vídeo de manifestação dos profissionais de educação de Minas Gerais, que completaram 105 dias de greve nas escolas públicas.

Campanha pelos 10% do PIB para a Educação


A campanha em favor dos 10% do PIB para a Educação no estado do Rio começou e o Sepe está integrado nela, como não podia ser diferente! nesta sexta, dia 23, ocorrerá um debate de pré-lançamento da campanha, na UFRJ (Praia Vermelha, no auditório do Serviço Social). O debate será dobre o financiamento da educação, e contará com os seguintes palestrantes: Raimundo Luiz Araújo (Campanha Nacional pelo Direito à Educação), Tarcisio Motta de Carvalho (Forum Estadual em Defesa da Escola Pública/Sepe) e Valério Arcary (IFSP).

Neste link, leia o blog da campanha.

Aqui, você tem acesso à petição eletrônica.

Clique aqui para imprimir o adesivo ou usá-lo nas redes sociais.

Atividades em favor dos 10% do PIB na Educação:

23/09: Pré-lançamento da Campanha com debate sobre financiamento público, às 17:30h, no auditório da Escola de Serviço Social da UFRJ, à Av. Pasteur, 250 – Praia Vermelha;

28/09: Próxima reunião da comissão organizadora no ANDES, às 19h, à  Av. Rio Branco, 277 – sala 1306 – Centro;

20/10: Ato de lançamento público do plebiscito;

06 a15/11: Plebiscito;

No final de setembro: participação em ato dos trabalhadores que estão em campanhas salariais;

De setembro a novembro: formação de comitês.

CE Leopoldina da Silveira atinge 50% de boicote ao Saerjinho; em Caxias, alunos vestem preto

O CE Leopoldina da Silveira, em Bangu, sofreu forte repressão por parte da Metropolitana 4. Representantes da Metro estavam no colégio desde ontem. Hoje, ameaçaram os alunos que não fizessem a prova, dizendo que eles ficariam sem nota. Segundo o Grêmio de estudantes, até uma patrulha da PM ficou estacionado na frente da escola, o que aumentou a tensão, que não é comum que a PM fique no local. Ainda segundo os estudantes, metade dos alunos do turno da manhã, de um total de 300, não fez o Saerjinho.

Já no Ciep 369, em Duque de Caxias, os alunos também protestaram contra a avaliação, vestindo preto.

Paralisação na rede estadual e boicote ao Saerjinho: CE Visconde de Cairu tem paralisação de 100%

A rede estadual faz hoje (dia 21) uma paralisação de 24 horas para boicotar a realização do Saerjinho. A mobilização nas escolas contra o Plano de Metas da SEEDUC e o boicote dos profissionais e alunos ao Saerjinho, programado para ser realizado nesta quarta-feira é muito grande e mostra a revolta das comunidades escolares contra o projeto da SEEDUC e do governo Cabral de culpabilizar profissionais e alunos pelo fracasso da política educacional no Rio de Janeiro. pouco, o Sepe recebeu um informe da comunidade do CE Visconde de Cairu, anunciando que a paralisaçao na unidade alcançou o índice de 100% no turno da manhã.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores