quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Proderj já corrigiu erro nos contracheques dos profissionais de 40 horas


O Proderj já corrigiu o erro denunciado por vários professores de 40 horas e nos contracheques de janeiro que já estão disponibilizados na internet não está constando mais a GEE 40 horas (gratificação que foi extinta com a aprovação do decreto do governo estadual que incluiu este segmento da rede no plano de carreira da educação estadual. Com a retificação do erro, os profissionais receberão os salário de janeiro já com as vantagens da inclusão no plano de carreira, conforme a determinação do Decreto do governador aprovado na Alerj em novembro do ano passado.

Sepe terá reunião na SEE no dia 1º de fevereiro e vai solicitar o parcelamento do desconto

A direção do sindicato terá uma reunião na SEE no dia 1 de fevereiro e, preocupada com os problemas que podem advir do crédito a mais nos salários de parte dos profissionais de 40 horas (como desconto maior de Imposto de Renda e de outros tributos), vai solicitar da Superintendência de Recursos Humanos da secretaria o parcelamento deste desconto, já que a categoria não pode arcar com os prejuízos causados por um erro administrativo de órgãos do governo estadual.

SEE e Proderj erram e alguns profissionais de 40 horas poderão receber a mais em janeiro, mas crédito indevido será descontado no próximo mês


Alguns professores de 40 horas que tiveram acesso aos contracheques de janeiro divulgados pelo Proderj notaram que a GEE 40 horas ainda está sendo creditada indevidamente juntamente com os salários equiparados ao plano de carreira da educação estadual. Caso o erro não seja corrigido, estes profissionais receberão a mais nos seus salários de janeiroi. Segundo a Diretoria de Pagamento da SEE o erro foi do Proderj, mas a SEPLAG fará o desconto do que foi creditado a mais no próximo mês e de uma só vez.

O Sepe recebeu alguns informes de profissionais de 40 horas da rede estadual de que, nos contracheques de janeiro disponibilizados pelo Proderj na internet o novo vencimento da categoria já está aparecendo mas, por um erro do órgão, a antiga gratificação GEE 40h, ainda está aparecendo. Com a inclusão dos profissionais de 40 horas no plano de carreira, conforme o decreto do governo do estado, esta gratificação deveria ter saído dos vencimentos. Caso o erro seja confirmado, alguns profissionais receberão um crédito indevido nos salários de janeiro, mas terão de devolvê-lo já no próximo mês. O Sepe alerta a todos os incluídos neste caso para que tenham cuidado e não utilizem este dinheiro, que será descontado em fevereiro.

Dinheiro creditado a mais será descontado de uma só vez no pagamento de fevereiro (a ser recebido no começo de março)

Segundo a Diretoria de Pagamentos da SEEDUC, a manutenção da gratificação no contracheque de alguns profissionais foi um erro. Aqueles profissionais que continuam com a GEE 40 horas no contracheque acabarão recebendo um salário total maior do que o previsto com a inclusão no plano, mas devem se precaver e não gastar o dinheiros, já que, no próximo mês, terão este valor pago a mais descontado de uma só vez (salário de fevereiro, pago no início de março), já que a SEPLAG não parcelará a devolução. Tal informação foi repassada por uma funcionária da Subsecretaria de Gestão de Pessoal, após uma consulta desta com diretora de Pagamento da SEE.

O Sepe aconselha os profissionais de 40 horas da rede estadual, no caso em que estes recebam no seu pagamento de janeiro a gratificação indevida, para que não façam uso deste dinheiro, que terá que ser devolvido no próximo mês.


Merenda do estado do Rio está sem reajuste há dez anos

O Globo Online. Publicada em 26/01/2010

Hora da merenda num Ciep de Itaboraí: verba congelada pelo estado / Foto: Márcia Foletto - Arquivo O Globo

RIO - Uma tabela de valores divulgada nesta terça-feira no Diário Oficial mostra que, ficando ou não na geladeira, a merenda dos alunos da rede estadual anda mesmo congelada. Segundo o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe), há pelo menos dez anos o estado não reajusta o repasse da alimentação escolar que é enviado para as unidades. Este ano, o valor diário por aluno será de R$ 0,40, acima dos R$ 0,32 pagos em 2009. O aumento, porém, é resultado apenas de um acréscimo na verba enviada pela União, que passou de R$ 0,22 para R$ 0,30. O estado continuará dando somente R$ 0,10.

Com os valores da merenda estacionados, o Rio vai se distanciando dos vizinhos. Em São Paulo, por exemplo, o valor que o estado dava para a merenda por aluno/dia era, até o ano passado, de R$ 0,15. Em 2010, houve reajuste para R$ 0,22. Com isso, o valor total paulista passa para R$ 0,52. Presidente da Comissão de Educação da Alerj, o deputado Comte Bittencourt (PPS) diz que as pequenas escolas são as que mais sofrem:

- As unidades maiores conseguem fazer uma gestão de compra e estoque. Mas nas pequenas é difícil trabalhar com esse valor. Há regiões do estado em que a merenda é a única alimentação de muitos alunos.

O reajuste da merenda de R$ 0,32 para R$ 0,50 estava entre as promessas de campanha do governador Sérgio Cabral. Júlio Cesar da Hora, substituto eventual da secretária de Educação, Teresa Porto, diz que um reajuste depende da arrecadação estadual:

- Vamos acompanhar a evolução de receitas e gastos para saber se chegaremos lá. Em 20% das escolas, vamos começar o ano implementando um sistema de controle de fornecimento da merenda, que vai tornar o processo mais eficiente. Sem desperdício, aumenta a possibilidade de haver reajuste.

Sem reajuste na merenda, a previsão de orçamento para 2011, segundo a Comissão de Educação da Alerj, é de R$ 187 milhões. Hoje, a verba é repassada para que as direções de cada escola fiquem responsáveis pela compra dos alimentos.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores