quinta-feira, 11 de julho de 2013

VÍDEO: Rede municipal e estadual farão paralisações no dia 8 de agosto

Em Assembleia unificada, realizada nesta quinta-feira (11 de julho), no Cine Odeon, os mais de 600 profissionais da educação das redes estadual e municipal do Rio presentes decidiram fazer uma nova paralisação conjunta no dia 8 de agosto, com assembleias separadas.

Os profissionais da rede municipal decidiram alterar o seu calendário de atividades, antecipando a paralisação, prevista para os dias 13 e 14 de agosto, e que agora será realizada unicamente no dia 8 de agosto, quando será realizada uma assembleia da rede, para decidir se o município já entrará em greve a partir deste dia ou não.

A rede estadual também vai parar no dia 8 de agosto para realizar uma assembleia, à tarde (local a confirmar), para discutir os rumos da mobilização da educação estadual em luta pela garantia dos seus direitos e de melhores condições de trabalho.

A assembleia desta quinta-feira também aprovou um indicativo para as redes municipais do interior para que também realizem paralisações no dia 8 de agosto.

Veja o calendário das redes definido pela assembleia: 

Rede Municipal

Os profissionais de educação decidiram antecipar a paralisação para o dia 08 de agosto, quando será realizada uma assembleia na parte da manhã (horário e local a confirmar). Na assembleia será decidida a entrada ou não em greve.

Rede Estadual

Os profissionais da Rede Estadual decidiram fazer uma nova paralisação também no dia 08 de agosto, quando será realizada uma assembleia  à tarde (horário e local a confirmar). Nela serão discutidos os novos rumos da mobilização. 

Vídeo: Profissionais cantam: "Educação Parou!"

Escolas públicas estaduais e municipais vão paralisar as atividades nessa quinta-feira, 11 de julho, Dia Nacional de Lutas convocado pelas Centrais Sindicais

As escolas públicas das redes estadual e municipal do Rio de Janeiro vão paralisar as atividades nessa quinta-feira, dia 11 de julho, para participar do Dia Nacional de Luta convocado pelas centrais sindicais em defesa dos direitos dos trabalhadores.

Também no dia 11 de julho ocorrerá uma assembleia unificada na categoria, no cinema Odeon, na Cinelândia, às 10h. Em seguida, a categoria participará de uma passeata convocada pelo comando das centrais sindicais, com concentraçãona Candelária a partir das 15h.

Outras redes municipais também vão paralisar amanhã; são elas: Niterói, São Gonçalo, Volta Redonda, Macaé, NovaFriburgo, Duque de Caxias, São João de Meriti, Itaboraí e Campos.

Os profissionais de educação do Rio vão levar às manifestações suas reivindicações históricas, que são: piso salarial para o professor de cinco salários mínimos para o professor e de 3,5 salários para o funcionário administrativo; fim daterceirização e privatização das redes; eleição para diretor de escola; autonomia pedagógica das escolas e discussão daspolíticas educacionais com os governantes; implementação de Planos de Carreira Unificados para as redes que ainda nãoforam contempladas e cumprimento dos mesmos naquelas em que eles já existem, entre outras reivindicações.

Os profissionais de educação estiveram em todos os grandes atos realizados na capital e nas demais cidades do estado,desde o começo das manifestações populares, em junho.

As propostas nacionais que as centrais defendem são as seguintes:

- Reduzir tarifas e melhorar a qualidade dos transportes coletivos;

- Mais investimentos na saúde e educação pública;

- Fim do fator previdenciário e aumento das aposentadorias;

- Redução da jornada de trabalho;

- Fim dos leilões das reservas de petróleo;

- Contra o PL 4330 - da terceirização;

- Reforma Agrária.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores