segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Dicas Culturais para o Carnaval (parte I)

Cora Coralina – Coração do Brasil de 11 Jan a 13 Mar

Horário: Terça a domingo, das 9h às 21h 
Exposição em homenagem aos 25 anos do falecimento de Cora Coralina, pseudônimo de Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, poetisa e contista, mulher simples, doceira de profissão, que produziu uma obra rica em motivos do cotidiano do interior brasileiro, em particular dos becos e ruas históricas de Goiás, estado onde nasceu, localizado no coração do Brasil. Começou a escrever aos 14 anos, mas só teve seu primeiro livro publicado aos 76.


 
* Melhores Filmes do Ano | ACCRJ  de 22 Fev a 6 Mar 
Local: Cinema I | CCBB RJ 
Horário: Ver programação

Não perca a oportunidade de assistir a uma seleção dos 10 melhores filmes de 2010, escolhidos por um júri especializado, e ainda poder debatê-los com especialistas após a sessão? A mostra dos filmes selecionados pela Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro, num panorama diversificado que inclui desde animação, comédia, filmes polêmicos, grandes dramas e até o arrasa quarteirão, campeão de público e bilheteria, Tropa de Elite 2.

OS FILMES

01 | A Fita Branca, de Michael Haneke
02 | Vincere, de Marco Bellocchio
03 | Tropa de Elite 2, de José Padilha
04 | Kick-Ass - quebrando tudo, de Matthew Vaughn
05 | Ilha do medo, de Martin Scorsese
06 | Mother - a busca pela verdade, de Bong Joon-ho
07 | O Escritor Fantasma, de Roman Polanski
08 | O Segredo dos seus olhos, de Juan José Campanella
09 | Tudo pode dar certo, de Woody Allen
10 | Um Homem Sério, de Joel e Ethan Coen


Além das sessões (cada filme será apresentado duas vezes), serão organizadas 5 mesas de debates, formadas por críticos da ACCRJ e convidados, entre eles:

- Ingrid Guimarães (atriz), Fernando Ceylão (autor, ator e diretor), Jurandir Freire Costa (psicanalista), Arnaldo Bloch (jornalista e escritor), José Padilha (cineasta) e Arnaldo Branco (quadrinista) Marcelo Pedreira (romancista, dramaturgo e diretor de teatro). Silvio Da-Rin (cineasta).


 

CCBB Na Orla | Quiosque 17 - Praia de Copacabana  19 Fev a 31 Dez

Local: Quiosque 17 | Praia de Copacabana

Horário: Sábados, às 18h | Domingos, às 11h ou 17h

O CCBB na Orla promove, desde o dia 19 de fevereiro, atividades culturais e educativas e shows musicais gratuitos aos sábados e domingos, no Quiosque 17 na Praia de Copacabana.
Aos sábados às 18h, o Quiosque recebe os shows do projeto nos ciclos Samba de Verão, Choros de Outono, Aqui Jazz Inverno / Inverno Clássico e Primavera Bossa Nova, reunindo nomes de referência da MPB, talentos em ascensão e estudantes, além da participação especial de alguns artistas que integram a programação de música do CCBB. Aos domingos, em horários que variam conforme a atividade oferecida (11h ou 17h), o projeto promove oficinas de percussão, DJ, dança e prática de contação de histórias.


ANIMÓDROMO - Bloco do Cinema de Animação do Carnaval 2011 de 24 de Fev a 03 de Mar
 
O Animódromo será a passarela do bloco do cinema de animação do carnaval 2011. O bloco será exibido de 24 de Fevereiro a 03 de Março de 2011 - exceto dias 28/02 e 01/03, em cinco sessões diárias com início as 14h30, 16h, 17h30, 19h e 20h30, no Cinema do CCJF - Centro Cultural Justiça Federal, Avenida Rio Branco 241, Centro, Rio de Janeiro.
O Animódromo é o evento oficial e exclusivo de estréias e retrospectiva do Cinema de Animação do Carnaval no Brasil. Entre os blocos de rua do Carnaval carioca, os foliões fantasiados pagam meia entrada no Animódromo.
Separe os confetes e serpetinas. O Carnaval vai ser animado!


MAIORES INFORMAÇÕES 

ACOMPANHE OUTROS EVENTOS


CCBB


CENTRO CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL


CAIXA CULTURAL


CENTRO CULTURAL CORREIOS


CASA FRANÇA BRASIL

INSTITUTO CULTURAL CINEMA BRASIL 




  

Deu na TV: Alunos protestam contra calor nas escolas estaduais do Rio




    Alunos e profissionais de educação dos Colégios Estaduais Bagu e Leopoldina da Silveira  realizaram protesto na Secretaria Estadual de Educação (Rua da Ajuda – Centro Administrativo do Governo do Estado) na última segunda-feira (dia 28/2) para exigir da SEEDUC melhores condições nas duas unidades. Na semana anterior, os estudantes já haviam realizados outros protestos nestas escolas por causa do calor excessivo, agravado pela grande quantidade de alunos em sala de aula e pela falta de equipamentos de climatização. No Colégio Estadual Bangu, a queixa da comunidade escolar é que o governo do Estado instalou equipamentos de climatização, mas os aparelhos não funcionam. No Leopoldina da Silveira, até hoje as obras para a instalação de aparelhos de ar condicionado não foram inciadas.
   Com a pressão uma comissão de representantes formada por diretores do Sepe, responsáveis e profissionais de educação dos Colégios Estaduais Bangu e Leopoldina da Silveira conseguiu ser recebida pelo subsecretário de Gestão de Ensino, professor Antônio Neto. No encontro, o Sepe e os participantes da comissão protestaram contra a falta de condições de funcioamento nas escolas de Bangu. O sindicato também aproveitou para denunciar algumas medidas arbitrárias e anti-democráticas tomadas pelas direções das duas escolas que tentaram impedir que os alunos viessem para o Centro para participar da manifestação desta manhã.
   Segundo informações repassadas por alunos e responsáveis, as direções das unidades chegaram a segurar o documento assinado pelos pais dos alunos autizando a vinda deles para o ato de protesto no Centro. A direção do sindicato também reclamou e exigiu garantias da SEEDUC, no que foi atendida pelo subsecretário, no sentido de que os alunos que lideraram os protestos por melhores condições nas escols não sofrerão represálias por parte da direção das escolas. Tivemos informação de que a direção de uma das escolas chegou a ameaçar uma aluna de expulsão por participar dos protestos.
   O subsecretário garantiu que não vai aceitar qualquer medida repressiva contra os alunos e dissse que irá visitar as escolas nesta terça-feira para verificar in loco todos os problemas denunciados pelos manifestantes, como o da superlotação das salas de aula. Segundo o subsecretário "Nâo se pode ter uma sala com mais de 40 alunos numa sala de aula, pois a escola precisa ter o mínimo para funcionar e a meta do governo do estado é não deixar que as turmas fiquem superlotadas". Por fim, o Sepe sugeriu que a SEEDUC aproveite o período do carnaval para promover obras nas escolas e garantir melhores condições para os alunos em sala de aula. Antônio Neto disse que iria encaminhar a sugestão do sindicato para o secretário Wilson Risolia.



Assista os vídeos:

http://videos.r7.com/alunos-protestam-contra-calor-nas-escolas-estaduais-do-rio/idmedia/217b209f331ecfc3a117bfcb7f414442.html


http://videos.r7.com/estudantes-de-bangu-no-rio-fazem-protesto-contra-falta-de-ar-condicionado-em-escolas/idmedia/e6478c304190f0bc2e3a3efd294d1eaa.html


http://videos.r7.com/estudantes-passam-sufoco-com-o-calor-no-rio/idmedia/83e78c73f7bdc0de212a6351130c6b1c.html

Leia a deliberação do Conselho Estadual de Educação sobre o funcionamento das escolas

O site do Sepe disponibiliza a deliberação da Comissão Estadual de Educação Nº316/2010, órgão subordinado ao Cconselho Estadual de Educação, datada de 30/03/2010, e que determina em seu Art.12 que as dependências físicas destinadas ao Ensino Fundamental e/ou ao Ensino Médio devem:

- Ter área mínima de 1m² (um metro quadrado) por aluno, sendo permitida a ocupação máxima corresponder a 80% (oitenta por cento) da área física.

Pelo exposto para abrigar 35 alunos a sala deve ter a área mínima de 43,75m².

Extendendo o cálculo temos:


Para 36 alunos a área da sala deve ser no mínimo de 45,00 m² ;

" 37 " " " " " " " " " " 46,25 m² ;

" 38 " " " " " " " " " " 47,50m² ;

"39 " " " " " " " " " " 48,75m² ;

"40 " " " " " " " " " " 50,00m².

Leia aqui a deliberação.

Missa de um mês de falecimento do fotógrafo Jorge Nunes será no dia 2 de março na Candelária

A família do fotógrafo Jorge Nunes, que faleceu no mês de janeiro, comunica aos amigos que a missa de 30 dias de falecimento do profissional será realizada na próxima quarta-feira (dia 2 de março) na Igreja da Candelária - Centro- RJ, às 11h.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Aposentados: Sepe realizará debate sobre aposentadoria/Previ-Rio

Aos companheiros/as aposentados/as e aposentáveis da rede municipal de ensino: 
Convidamos para um debate com Ulisses Silva (PREVI-RIO) no dia 1o de março de 2011, às 14h no SEPE/RJ. 
O debate será sobre aposentadoria/Previ-Rio. 

Calendário da Paralisação Conjunta da Rede Estadal e Municipal do Rio


24 de fevereiro a 26 de março: Corrida às escolas, atos descentralizados e assembléias locais;

01 de março: Corrida aos gabinetes da Alerj para entrega de dossiê contendo a situação dos funcionários administrativos.

23 de março: Ato dos funcionários Administrativos na SEEDUC, às 14h;

23 de março - 18h no Sepe: Conselho Deliberativo da rede municipal;

26 de março: às 9h, plenária de professores docentes II e, às 10h, Conselho Deliberativo da rede estadual (os dois eventos, no auditório do Sepe Central);

31 de março: Dia de Luta em Defesa da Educação Pública. Com paralisação de 24 horas nas redes estadual e municipal do Rio,  assembléia geral (local a divulgar) e ato no Centro do Rio.

13º Congresso: ata de delegados e normas


Já estão à disposição as atas para a eleição de delegados e as normas do 13º Congresso. O prazo para a eleição de delegados, por exemplo, começa hoje e vai até 19 de maio. Abaixo, os links para os textos:

Ata de delegados (núcleos e regionais);


Ata de delegados (escolas);


Normas.

Ato em Brasília no dia 24 de fevereiro pela defesa do salário mínimo e dos direitos dos trabalhadores, aposentados e servidores públicos

     
    No dia 24 de fevereiro será realizado um ato no auditório Petrônio Portella, em Brasília, a partir das 9h, em defesa do salário mínimo, dos serviços e servidores públicos, da aposentadoria e dos direitos dos trabalhadores brasileiros. O ato foi convocado após uma reuniãto realizada no dia 27 de janeiro e da qual participaram 119 sindicalistas de quatro Centrais Sindicais, nove Confederações, nove Federações e dezenas de sindicatos de diversos setores de estados como São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Goiás, Ceará, Rio Grande do Sul, Paraíba, Maranhão, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.
     O protesto visa combater as recentes medidas aprovadas pelo Congresso Nacional e pelo governo federal, como o irrisório aumento do salário mínimo, em contraste com os escandalosos aumentos para parlamentares e para presidente da República, o desinvestimento nos serviços públicos e a não valorização dos servidores e as ameaças de ataques a direitos adquiridos dos trabalhadores como o da aposentadoria e as ameaças de flexibilização, diminuição ou eliminação dos mesmos.

Sepe convoca categoria para participar do lançamento dos Princípios do Fórum Estadual em Defesa da Escola Pública na Uerj nesta quarta (dia 23/2)



No dia 23 de fevereiro (quarta-feira), às 14h, no auditório 71 da UERJ, ocorrerá o Ato de Lançamento dos Princípios que norteiam a ação do Fórum Estadual em Defesa da Escola Pública. O Fórum foi lançado durante a realização do Seminário de Educação do Sepe, em novembro de 2010; participam representantes de entidades diversas ligadas à área educacional, movimentos sindicais, trabalhadores sem-terra, educadores das redes públicas e das universidades, estudantes secundaristas e universitários. A criação do fórum é uma prova de que educadores e movimentos sociais estão unidos para rearticular a luta pela educação pública e de qualidade em nosso estado.


Os últimos indicadores internacionais e nacionais evidenciam o que educadores e sindicatos dos profissionais de educação já dizem há muito tempo. As políticas públicas para a escola básica e para a Universidade caminham para precarizar ainda mais as relações de trabalho , de ensino e de produção acadêmica. As mazelas resultantes da aplicação dessas políticas explodem no dia a dia nas escolas e universidades e exigem de nós uma reação conjunta e coordenada .


Já o Ipea, recentemente (ver matéria neste site) anunciou uma pesquisa em que comprova que o investimento em educação pública é o que mais reverte para o crescimento do PIB, se comparado com os demais gastos vitais, como saúde e transporte.


O Sepe está à frente dessa construção e aponta a atividade do dia 23 de fevereiro de 2011 como início de nossas campanhas salariais, mas também como um marco na unidade em defesa da educação.


Veja quais são os 10 princípios do Fórum em Defesa da Escola Pública:


1 - Defender a educação pública, gratuita, laica, democrática e de qualidade social, em todos os níveis, como um direito social universal e dever do Estado;


2 - Exigir do poder público a garantia de acesso e de permanência, assegurando efetiva assistência estudantil (moradia, transporte, meia entrada nos eventos culturais, bolsa de manutenção etc.);


3 - Defender a organização de um efetivo Sistema Nacional de Educação que articule e garanta o cumprimento das responsabilidades educacionais dos diferentes entes federais;


4 - Defender a aplicação imediata de montante equivalente a,pelomenos, 10% do PIB na educação pública em todos os níveis e que as verbas públicas sejam destinadas somente para as escolas públicas;


5 - Combater todas as formas de mercantilização da educação e a introdução de critérios produtivistas no trabalho dos profissionais de educação e na avaliação das instituições e dos estudantes;


6 - Exigir controle social sobre a educação privada, como concessão do poder público. É função do Estado regulametnar e fiscalizar seu funcionamento; , observando a garantia de carreira digna aos seus trabalhadores e a autonomia didático-científica diante de suas mantenedoras;


7 - Articular a luta em prol da qualidade da educação com a defesa da garantia pelo Estado das condições de trabalho dos profissionais da educação, incluindo a valorização salarial e a autonomia didático-científica;


8 - Exigir que a gestão democrática das instituições e sistemas educacionais seja realizada por meio de órgãos colegiados democráticos;


9 - Defender a formação inicial e continuada, pública e gratuita, presencial e de qualidade de todos os trablahadores em educação, em todos os níveis e modalidades educacionais;


10 - Ampliar o debte com os movimentos sociais e populares e entidades acadêmicas com o objetivo de reconstruir o Fórum Nacional em Defesa da Escola Pública e fortalecer a luta pela elaboração coletiva e democrática do Plano Nacional de Educação: proposta da sociedade brasileira.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Os EUA querem proibir Paulo Freire!

 Notícia recente, na coluna de Elio Gaspari (É dura a Vida no Arizona, 12.01.11): “O diretor da rede escolar pública de Tucson, Estado do Arizona, EUA, quer fechar os cursos de história e cultura latinas. Entre os livros que pretende tirar dos currículos está a ‘Pedagogia do Oprimido” de Paulo Freire”.
     Em novembro de 2009, em Brasília, durante o Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, a Caravana da Anistia promoveu o julgamento político e declarou formalmente para a sociedade a anistia de Paulo Freire, em nome do governo brasileiro. Escrevi: “Paulo Freire, educador popular e cidadão do mundo, finalmente vai voltar a ser cidadão brasileiro em sentido pleno: com direito a reconhecimento formal de sua brasilidade e de sua contribuição à educação como prática da liberdade, à pedagogia do oprimido, da indignação e da autonomia.” E concluía: “O povo e o governo brasileiro o reconhecem cidadão brasileiro em sentido pleno e o oferecem ao mundo também como seu cidadão” (Paulo Freire Cidadão brasileiro, 23.11.2009).
     A crise econômica mundial, especialmente nos países ricos (não sei se ainda dá para dizer ‘desenvolvidos’), está levando a um rápido aumento da xenofobia, à expulsão sumária de imigrantes, à exclusão do diferente, seja por expulsão, segregação, repressão, e, em casos mais extremos, ao simples assassinato e a todo um conjunto de medidas e iniciativas de retorno a valores ultraconservadores.
     Políticos republicanos de seus Estados, entre os quais o Arizona,querem cassar a cidadania dos filhos americanos de imigrantes que entraram ilegalmente nos Estados Unidos. Só em 2008 nasceram 340 mil. A iniciativa é inconstitucional, mas, para o Tea Party (movimento político americano ultraconservador), atrai votos. A Constituição americana, como a brasileira, dá a cidadania a quem nasce na terra. Numa nação de imigrantes, a intolerância de parte da sociedade já perseguiu negros, católicos, irlandeses, chineses, coreanos e japoneses. A bola da vez, há tempos, são os latinos. Eles formam a maioria dos 12 milhões de estrangeiros que trabalham no país sem a devida documentação. Talvez 700 mil sejam brasileiros. Cidadãos do Estado organizam-se em milícias para patrulhar a fronteira com o México. Uma delas é filonazista. É dura a vida no Arizona. Qualquer estrangeiro de aparência suspeita pode ser parado na rua. Se não tiver os papéis, será deportado” (Elio Gaspari).
     A crise do capitalismo não é apenas econômica. Vai muito além disso. O que acontece nos EUA, também acontece nos países mais ricos da Europa. A crise do desemprego brutal, da diminuição da renda, do enfraquecimento da economia revela a podridão da sociedade. Baseada apenas no lucro, que enriquece desmedidamente a poucos, a organização econômica mostra que a mesma separação entre o luxo, a riqueza de poucos e a pobreza de muitos, está presente também nos valores que orientam a convivência. Da mesma forma de que quem tem tudo não precisa dos outros ou só precisa para explorá-los, não precisa da natureza, a não ser para servir-se dela e dela tirar seus ganhos e aumentá-los todo dia. Agora aparece à luz do sol que quem trabalha para sobreviver sofre antes de todos as conseqüências. Se conseguia ‘conviver’ com o opulento e sua riqueza que antes não aparecia, e tudo parecia certo e dentro da lei e da ordem, agora não consegue conviver com seu vizinho que é pobre, tão ou mais pobre que ele.
     Da segregação pela riqueza que vai para poucos de quem sempre apenas sobreviveu, passa-se à segregação da convivência e das idéias. Brasileiros, argentinos, costarriquenhos, mexicanos, haitianos têm outra pele, outra cultura e outros costumes. Não fazem parte do ‘american way of life – o modo americano de viver -, tão celebrado em filmes e na arte em geral. O americano é superior, invade outros países sem pedir licença, impõe suas idéias e valores ao resto do mundo. E agora, na crise e na dor, mostra que seus valores supostamente superiores se esfumaçam no vento da intolerância e do preconceito.
     Paulo Freire está sendo proibido nos currículos escolares de Tucson, Arizona (Aliás, um comentário paralelo. Lá ele está nos currículos das escolas públicas, aqui mal é conhecido, senão rejeitado. Ora pelo exílio forçado, ora pela desinformação, ora pela pequenez de visão e conservadorismo dos gestores educacionais pátrios)
     O Brasil (re)declarou-o cidadão brasileiro e promoveu sua anistia política de forma pública. E agradeceu ao mundo que durante a ditadura militar o adotou como seu cidadão e pedagogo reconhecido, inclusive os Estados Unidos da América, que o acolheram por um tempo. Agora, parece que é preciso fazer um movimento para reconhecer sua cidadania planetária, antes que queimem mais uma vez seus livros e idéias em praça pública. 

Plano de Metas para Educação Estadual está fadado ao fracasso.

por professora Denise


Esse sistema meritocrático só deveria ser implementado depois que se tornasse todas as escolas estaduais em iguais condições de competição. E essa igualdade só será obtida em médio prazo se tomadas as seguintes providências:
 Seleção com avaliações de Português e Matemática para ingresso na rede estadual, essa medida fará com as prefeituras se preocupem cada vez mais com a aprendizagem dos seus alunos e  tal como o estado se preocupará em melhorar a relação ensino/aprendizagem. Hoje a maioria dos alunos recebidos no ensino médio é analfabeta funcional e não aprenderam os fundamentos da Matemática elementar do ensino fundamental e, tão necessária como ferramentas na Física, Química e na continuidade do ensino da Matemática;
A grade curricular do ensino médio é fraquíssima, pois contempla somente dois (2) tempos semanais para as disciplinas de Física, Química, Biologia, Português/Literatura e etc. No entanto maquia a grade com religião, MPB etc, que até poderiam constar como extra-curriculares, mas não como curriculares;
É  necessário que juntamente com as providências citadas haja a valorização salarial do docente da rede estadual, é inadmissível um prof. do ensino médio da rede estadual ter como piso salarial  valor que é em muitos casos inferior à metade do que pagam muitas prefeituras (do próprio estado) aos docentes do ensino fundamental. Essa situação faz com que diariamente vários colegas peçam exoneração, havendo uma constante falta de docentes em várias escolas da rede durante os anos letivos.
- Após a valorização salarial do docente, viabilizar por opção do docente a transformação do docente de 16h em 30h ou 40h, pois hoje muitos fazem essa carga horária como GLP ( hora extra)e torná-lo dedicação exclusiva a determinada unidade escolar.
 Depois de todas essas providências serem tomadas, após um período de maturação poderia ser avaliado e discutido com a categoria /sindicatos a implantação da meritocracia, mas empurrar-nos a meritocracia goela abaixo é típico desse governo, de jogar para a platéia, pois como sabemos países em que a educação é realmente levada a sério pelos seus governantes e, implantaram o sistema da meritocracia, constataram que ele é falho e o abandonaram, sendo o EUA o mais recente, pois ele privilegia sempre as mesmas unidades escolares, que se situam em locais mais privilegiados etc.
   Por tudo que foi exposto e comentado, dizemos NÃO a meritocracia (Nova Escola II).

* Se você concorda com o que está exposto, solicito que assine o abaixo-assinado que está disponível em: www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N5290
Professor Omar Costa

Animação Cultural: Nossa luta é pela investidura!

          Após a última audiência com o novo secretário de Educação do estado do RJ, instaurou-se um clima de instabilidade no grupo de animadores culturais.  O secretário afirmou ter um parecer da procuradoria do Estado em que julgava a PEC da animação inconstitucional e que, portanto, o aconselhava a demitir todos estes profissionais.  Na última terça feira (01/02), nos reunimos no coletivo de animadores e após as devidas avaliações tiramos alguns encaminhamentos que deverão nortear nossas ações de luta para este ano de 2011.  Queremos aqui democratiza-las com os diversos setores deste sindicato.
            Em primeiro lugar, não é a primeira vez que atravessamos uma fase de instabilidade.  Nossa condição funcional em várias ocasiões nos colocou em situações parecidas.  Já vimos estampado na capa de jornais: “Estado demitirá em massa os animadores culturais”.  No entanto, graças a nossa mobilização nos mantemos até aqui.
            Em relação à PEC, após diversas consultas a especialistas, constatamos que uma vez aprovada se transformou numa emenda à Constituição do Estado, só podendo ser “julgada” inconstitucional por instância superior, no caso o STF.  Que mesmo assim ficaria numa “sinuca de bico”, pois, sua principal atribuição é proteger a constituição e, ainda mais neste caso, que possui jurisprudência.  Não cabe ao Ministério Publico a função de julgar a PEC, nem, tão pouco à procuradoria do Estado, até porque a PEC não existe mais. 

ENTÃO O PORQUÊ DA FALA DO SR. RISOLIA SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO?
            Bem, é obvio que na lógica da “meritocracia”, não há lugar para a animação cultural.  Os 50 milhões que o Estado descontou dos animadores ao longo destes anos e deixou de repassar a previdência, soa para o novo secretário apenas como custo.  Entretanto, a fala do  secretário na última audiência é fala de “cão acuado”.  A demissão em massa dos animadores abriria um canal de mobilização ainda maior nas ruas e inauguraria uma grande disputa jurídica.  Cá pra nós...  Com toda imagem de bonzinho que o senhor governador do Estado tenta passar a população, tal responsabilidade ou irresponsabilidade, não cairia bem em seu currículo! Então essa fala não passa de uma ameaça que põe o governo Sérgio Cabral numa situação muito complicada, pois, em audiência no início de seu primeiro governo, assumiu o compromisso público de resolver a questão dos animadores, e agora não realiza seu papel de executivo, que seria no momento simples: convocar e investir os animadores, cumprindo, assim, a emenda aprovada por unanimidade, ou seja, com votos de toda sua bancada e aliados na Assembléia Legislativa do Estado. 
            Pra nós não é nenhuma surpresa.  Tudo que conquistamos até agora, foi fruto da nossa mobilização e luta. E depois desta fala do governo, vamos intensificar o movimento.  Entendemos que a causa da animação cultural possui sim um intuito idealista, de defesa de uma nova escola, de novas relações, de valorização da Cultura local, enfim, de uma referencia para pensar o fazer pedagógico-cultural na escola e na comunidade.  Mas, não é só isso.  Nossa luta, hoje mais que nunca, possui uma dimensão humana extremamente chocante e cruel.  Tratamos de pessoas e não de números, as lágrimas de revolta de uma animadora que estava presente à última audiência, deixou isso bem claro ao governo.  São muitas pessoas de idade já avançada em tempo de aposentadoria, são famílias que ficaram desamparadas com a morte do animador, são outros tantos doentes precisando de atendimento, e ainda muitos produzindo inúmeros projetos em suas escolas.  Lutar por essa causa, significa acreditar na possibilidade de uma escola marcadamente diferente em suas relações, mas, sobretudo, significa a correção de uma grande injustiça histórica contra um grupo de trabalhadores.  Precisamos  do apoio de todos! 

PLANO DE LUTAS.
Foi unânime na última reunião do Coletivo, que precisamos intensificar o movimento.  Se durante mais de dez meses realizamos grandes e bonitos atos na ALERJ “faixa de Gaza” em prol da aprovação da PEC, hoje devemos mudar nosso foco e retomar os atos mensais de forma ainda mais bonita e forte.  Desta forma aprovamos algumas propostas:
·      Retomada dos atos >>> Realização de atos culturais mensalmente em frente à Secretaria Estadual de Educação;

·      Dossiê da Animação Cultural >>> Montagem de um dossiê da animação cultural que nos forneça um tratamento estatístico apontando quem são estes profissionais hoje;

·      Perseguição ao Secretário e sua equipe >>> Realização de atos culturais descentralizados na ocasião das visitas do secretário para a implantação da nova estrutura da Educação proposta por ele (criação das agencias);

·      Fórum de Educação >>> Participação integral no Fórum de defesa da Educação Pública;

·      Congresso do SEPE >>> Apresentação de uma tese específica da Animação Cultural no Congresso do Sepe deste ano;

·      Articulação interna >>> Realização de Seminários e encontros com os animadores;

Todos Juntos Somos Fortes, Somos Flecha, Somos Arco, Todos Nós No Mesmo Barco, Não Há Nada Pra Perder...”.
                                                                                    Chico Buarque

Coletivo de Animadores - Sepe - RJ

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Fórum em Defesa da Escola Pública se reúne dia 23/02 na UERJ

   
   No dia 23 de fevereiro (quarta-feira), ocorrerá o Ato de Lançamento do Fórum em Defesa da Educação Pública de Qualidade, às 14h, no auditório 71 da UERJ. O Fórum foi lançado durante o Seminário de Educação do Sepe, em novembro do ano passado; participam representantes de entidades diversas ligadas à área educacional, movimentos sindicais, trabalhadores sem-terra, educadores das redes públicas e das universidades, estudantes secundaristas e universitários. A criação do fórum é uma prova de que educadores e movimentos sociais estão unidos para rearticular a luta pela educação pública e de qualidade em nosso estado.
    Os últimos indicadores internacionais e nacionais evidenciam o que educadores e sindicatos dos profissionais de educação já dizem há muito tempo. As políticas públicas para a escola básica e para a Universidade caminham para precarizar ainda mais as relações de trabalho , de ensino e de produção acadêmica. As mazelas resultantes da aplicação dessas políticas explodem no dia a dia nas escolas e universidades e exigem de nós uma reação conjunta e coordenada .
    Já o Ipea, recentemente (ver matéria neste site) anunciou uma pesquisa em que comprova que o investimento em educação pública é o que mais reverte para o crescimento do PIB, se comparado com os demais gastos vitais, como saúde e transporte.
    O Sepe está à frente dessa construção e aponta a atividade do dia 23 de fevereiro de 2011 como início de nossas campanhas salariais, mas também como um marco na unidade em defesa da educação.
     Acesse a página do Fórum Estadual em Defesa da Escola Pública

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

RESOLUÇÕES DA ASSEMBLÉIA GERAL DA REDE MUNICIPAL REALIZADA NO DIA 12/02/11


CIRCULAR/SEPE/RJ/003/11.

Companheiras/os,

Encaminhamos as deliberações da Assembléia Geral dos Profissionais de Educação da rede municipal de ensino, realizada no dia 12 de fevereiro do corrente, no teatro da ACM/RJ:

  • de 14 de fevereiro a 22 de março – Assembléias locais;
  • 17 de fevereiro – 16h no SEPE/RJ - Seminário da Campanha salarial de 2011 (com análise do DIEESE sobre as contas do orçamento da prefeitura). Convidar os membros do Movimento Unificado de Servidores do Município do RJ para o Seminário;
  • 23 de fevereiro, a partir de 14h no auditório 71 da UERJ - lançamento do Fórum Estadual em Defesa da Escola Pública (SEM PARALISAÇÃO NA REDE – solicitar abono de ponto);
  • 23 de março – 18h no SEPE conselho deliberativo da rede;
  • 31 de março - Dia Estadual de Luta em defesa da Educação Pública (COM PARALISAÇÃO NA REDE), com indicativo de assembléia unificada, ato e passeata da Candelária a Cinelândia;
  • Inclusão do município na campanha publicitária (outdoor, busdoor, rádio, camisetas, jornais, etc);
  • O calendário específico da campanha salarial da rede será discutido nas assembléias locais e remetido ao Conselho Deliberativo de 23 de março, no SEPE.

Saudações sindicais,
 DIREÇÃO ESTADUAL DO SEPE/RJ

RESOLUÇÕES DA ASSEMBLEIA GERAL DA REDE ESTADUAL REALIZADA NO DIA 12/02/11

CIRCULAR/SEPE/RJ/002/11.

Companheiras/os,

Encaminhamos as deliberações da Assembléia Geral dos Profissionais de Educação da rede estadual de ensino, realizada no dia 12 de fevereiro do corrente, no teatro da ACM/RJ:

  • Eixo da Campanha Salarial de 2011: aumento salarial com paridade e qualidade na educação. Incorporação imediata do Nova Escola, 26% de recomposição salarial imediata (variação da arrecadação do Estado) e descongelamento do Plano de Carreira dos funcionários. Relembrar as bandeiras históricas  (5 salários mínimos de piso para o professor e 3,5 para funcionários);
  • Somos contrários ao Plano de Metas e realizaremos uma campanha para denunciar o que ele representa;
  • Suspensão do boicote ao lançamento de notas e abertura da discussão nas escolas e deliberação na próxima assembléia;
  • Slogan “Seu plano é me culpar, sua meta é privatizar”;
  • 23 de fevereiro, a partir de 14h no auditório 71 da UERJ - lançamento do Fórum Estadual em Defesa da Escola Pública (SEM PARALISAÇÃO NA REDE – solicitar abono de ponto);
  • 24 de fevereiro a 30 de março – Corrida às escolas;
  • Até 25 de março – Assembléias locais;
  • 26 de março às 09h – reunião de professores docente II e às 10h Conselho deliberativo da rede, todos no auditório do SEPE/RJ;
  • 23 de março – 14h - ato de funcionários na SEEDUC;
  • 31 de março - Dia Estadual de Luta em defesa da Educação Pública (COM PARALISAÇÃO NA REDE), com indicativo de assembléia, ato e passeata da Candelária a Cinelândia. As escolas deverão enviar ao SEPE/RJ demanda de ônibus que o Sindicato arcará com esse custo, desde que haja o compromisso da escola em enviar o ônibus lotado – para garantir a presença da comunidade escolar no ato de lançamento do Fórum Estadual em Defesa da Escola Pública, que será realizado no dia 23 de fevereiro, a partir de 14h no auditório 71 da UERJ. Neste dia, as escolas que não puderem enviar representantes, o SEPE sugere que se façam debates sobre o tema e onde houver possibilidade, que sejam feitas panfletagens;
  • Comissão para ajudar a imprensa com as novas mídias: Gesa, Tarcísio, Marta, Eliana e Rodrigo (Niterói);
  • Garantir linguagem acessível à categoria e à população nos materiais da campanha publicitária oficial e alternativa;
  • Fazer camisetas para a furiosa e da campanha salarial já para o dia 08 de março.

Saudações sindicais,

DIREÇÃO ESTADUAL DO SEPE/RJ

Animador cultural faz rap contra a meritocracia: veja a letra

A história que se conta

nesses dias atuais

é a saga corajosa

dos animadores culturais

que vai pra faixa de gaza

botando o bloco na rua

mostrando pra população

a verdade nua e crua.

Perseguidos pelos monstros

que dirigem a educação

buscaram aos deputados

atrás de uma solução

conseguiram com uma emenda

aprovar com maioria

agora vem um burocrata

que se chama Risolia

que gagueija feito louco

credo em cruz virgem Maria

metendo goela abaixo

essa tal meritocracia.



Desrespeita a Assembléia

desrespeita ao animador

parece até general

da antiga ditadura

não ata e nem desata

o ato de investidura

somos seres humanos

aqui ninguém é trouxa

como disse o Paulo Ramos

a animação cultural

parece uma rosca frouxa

que afolosa mais num entra

bambeia mais num cai

finge que vai

mais num vai.



Se a educação é um negócio

pra esse tal risolia

porque então esse peste

não senta e negocia

a animação cultural

vai vir aqui todo dia

porque somos seres humanos

e não casa de mãe maria

não tomamos banho em poço

e nem mijamos na bacia.

Pablo Queiróz. (Animador Cultural- Com muito Orgulho).

Meritocracia não!!!!!!

Mais de 300 pessoas na assembleia do estado decidem paralisar em 31/03


Na primeira assembléia da rede estadual deste ano, mais de 300 profissionais compareceram hoje (dia 12/2) à ACM para dar o pontapé inicial da campanha salarial 2011. Um calendário foi aprovado, tendo como principal data uma paralisação com marcha da educação no centro do Rio no dia 31 de março (quinta-feira). A assembléia decidiu as duas principais reivindicações da campanha: antecipação do pagamento da gratificação do Nova Escola e reajuste emergencial de 26% para repor as perdas salariais.
O mote da campanha será: valorização salarial garante a qualidade na educação.
Abaixo o calendário:
17 de fevereiro -  Seminário da campanha salarial 2001 da rede municipal, no auditório do Sepe (Rua Evaristo da Veiga 55 – 7º andar). Neste encontro, que reunirá as direções da rede municipal do Sepe Central e regionais da capital, teremos a participação de técnicos do DIEESE, que farão uma análise sobre as contas do orçamento da prefeitura e serão convidados representantes do Movimento Unificados dos Servidores Públicos Municipais.
23 de fevereiro - haverá o lançamento do Fórum Estadual em Defesa da Educação Pública. A cerimônia será realizada no auditório 71 da UERJ, às 14h (não haverá paralisação, mas o Sepe solicitará abono de ponto da SME para os profissionais que participarem de evento).
4 a 25 de março - atos descentralizados nos núcleos em preparação à paralisação e marcha da rede estadual dia 31/03.
No dia 31 de março - a plenária deliberou que a rede municipal vai participar do Dia Estadual de Luta em Defesa da Educação Pública. Neste dia, a rede municipal fará uma paralisação de 24 horas, com indicativo de assembléia unificada, ato de protesto e passeata da Candelária até a Cinelândia em conjunto com os profissionais da rede estadual.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Sepe se prepara para lançar campanhas salariais 2011 da educação estadual e municipal

   O Sepe realizará assembléias gerais para os profissionais das redes estadual e municipal do Rio no auditório da ACM (Rua da Lapa 186 – 6º andar), no sábado (dia 12/2). Pela manhã, às 10h, haverá uma assembléia da rede estadual, quando os professores e funcionários das escolas estaduais discutirão as estratégias para o lançamento da campanha salarial de 2011 da rede estadual. A partir das 14h, no mesmo local, será a vez dos profissionais das escolas municipais do Rio realizarem a sua assembléia que terá com um dos pontos de destaque na pauta de discussão a reivindicação de um plano de carreira unificado (professores e funcionários) para a educação municipal e reajuste salarial imediato.

Rede estadual:
    Os profissionais das escolas estaduais (78 mil professores e 12 mil funcionários que trabalham em 1.466 escolas que atendem cerca de 1,2 milhão de alunos) reivindicam desde o início do governo Sérgio Cabral a incorporação imediata da gratificação do Nova Escola de uma só vez (ela está sendo feita em prestações que irão até 2015); inclusão dos funcionários administrativos no plano de carreira em vigor e reajuste emergencial (índice a ser discutido na assembléia) para a recomposição das perdas salariais. Na assembléia, também será discutido pela categoria o novo plano de metas para a educação do estado, recém-lançado pelo novo secretário de Educação Wilson Risolia. A categoria é contra a política de meritocracia e de premiações e gratificações a partir do cumprimento de metas estabelecidas. Hoje, o piso de um professor do estado é de R$ 756,66 e o dos funcionários administrativos é de um salário mínimo.


Rede municipal:
    Na rede municipal do Rio, os cerca de 32 mil professores e 10 mil funcionários que integram uma rede composta por 1.062 escolas (a maior rede municipal da América Latina), que atendem a mais de 700 mil alunos do ensino fundamental, reivindicam do prefeito Eduardo Paes a implementação de um plano de carreira unificado (que englobe professores e funcionários) e construído em conjunto com a categoria. Os profissionais também querem melhores condições de trabalho nas escolas que, hoje, tem turmas superlotadas e lutam contra a falta de infra-estrutura para o seu funcionamento.

   Direção do Sepe realiza seminário para preparar campanha salarial  


O Sepe está realizou no dia 03/02, no auditório do sindicato um seminário de preparação da campanha salarial do estado - a primeira assembléia geral da categoria ocorrerá dia 12, às 10h, no auditório da ACM. Pela manhã, a diretoria se reuniu e discutiu a conjuntura política. Também pela manhã, o fotógrafo Jorge Nunes, falecido recentemente e que prestava serviços para o Sepe há mais de 15 anos, foi homenageado.
    Na parte da tarde, o seminário contou com a presença dos funcionários do sindicato, que estão apresentando propostas para a diretoria discutidas em cada um dos setores. Na foto de Samuel Tosta, o momento de apresentação da Secretaria de Imprensa.

Conheça as normas do 13º Congresso do Sepe

Em maio (26 a 28), o Sepe realiza seu 13º Congresso Ordinário, a mais alta instância do sindicato. O tema desta vez será: "Escola não é fábrica, aluno não é mercadoria, educação não é negócio - contra a meritocracia e produtividade na educação". Nesta matéria publicamos fotos do 12º Congresso, realizado em 2008 (fotos de Jorge Nunes). Leia a seguir suas normas: 

XIII CONGRESSO ORDINÁRIO DO SEPE/RJ

Escola não é fábrica, aluno não é mercadoria, educação não é negócio - Contra a meritocracia e produtividade na educação


Dias 26, 27 e 28 de maio de 2011

Estado e município realizam a primeira assembléia de 2011


As redes estadual e municipal do Rio realizam assembléias gerais no auditório da ACM (Rua da Lapa 186 – 6º andar), amanhã, sábado (dia 12/2). Pela manhã (10h), haverá uma assembléia da rede estadual, quando os professores e funcionários das escolas estaduais discutirão as estratégias para o lançamento da campanha salarial de 2011 da rede estadual. A partir das 14h, no mesmo local, será a vez dos profissionais das escolas municipais do Rio realizarem a sua assembléia, que terá com um dos pontos de destaque na pauta de discussão a reivindicação de um plano de carreira unificado (professores e funcionários) para a educação municipal e reajuste salarial imediato.


Rede estadual:
Os profissionais das escolas estaduais (78 mil professores e 12 mil funcionários que trabalham em 1.466 escolas que atendem cerca de 1,2 milhão de alunos) reivindicam desde o início do governo Sérgio Cabral a incorporação imediata da gratificação do Nova Escola de uma só vez (ela está sendo feita em prestações que irão até 2015); inclusão dos funcionários administrativos no plano de carreira em vigor e reajuste emergencial (índice a ser discutido na assembléia) para a recomposição das perdas salariais. Na assembléia, também será discutido pela categoria o novo plano de metas para a educação do estado, recém-lançado pelo novo secretário de Educação Wilson Risolia. A categoria é contra a política de meritocracia e de premiações e gratificações a partir do cumprimento de metas estabelecidas. Hoje, o piso de um professor do estado é de R$ 756,66 e o dos funcionários administrativos é de um salário mínimo.


Rede municipal:
Na rede municipal do Rio, os cerca de 32 mil professores e 10 mil funcionários que integram uma rede composta por 1.062 escolas (a maior rede municipal da América Latina), que atendem a mais de 700 mil alunos do ensino fundamental, reivindicam do prefeito Eduardo Paes a implementação de um plano de carreira unificado (que englobe professores e funcionários) e construído em conjunto com a categoria. Os profissionais também querem melhores condições de trabalho nas escolas que, hoje, tem turmas superlotadas e lutam contra a falta de infra-estrutura para o seu funcionamento.

Propostas aprovadas na reunião do Coletivo de Funcionários do Sepe


Propostas aprovadas na reunião do Coletivo de Funcionários do Sepe, realizada no dia 10 de fevereiro:
Rede estadual:
  • Convocar a categoria para o lançamento dos princípios do Fórum Estadual em Defesa da Educação Pública, dia 23/02 na UERJ;
  • Solicitar levantamento ao DIEESE sobre os funcionários do concurso de 1993;
  • Boletim de funcionários;
  • Fazer a denúncia sobre o piso do funcionário utilizando contracheques;
  • Quando membros da Secretaria de Funcionários não puderem comparecer às audiências com a Secretaria de Educação, indicar um membro do coletivo de Funcionários;
  • Participar, enquanto Secretaria de Funcionários, de todas as audiências com a SEE;
  • Redução da carga horária de funcionários;
  • Luta pelo Plano de Carreira e pela inclusão dos concursados de 40h no Plano;
  • Realizar atos em frente à Secretaria de Estado de Educação;
  • Garantir de maneira explicita no estatuto do Sindicato que todos somos profissionais da educação;
  • Realizar curso de formação política para funcionários;
  • Acrescentar as propostas que não foram incluídas, mas foram aprovadas no relatório do XIV Encontro Estadual de Funcionários;
  • Comissão aprovada para escrever a tese dos funcionários para o XIII Congresso do SEPE: Ângela, João, Telma, Juvenil, Eduardo, Roberto, Eva, Anália, Jorge César e Creuza;
  • 23 de março – ato de funcionários na SEE. Garantir, através do SEPE Central, todos os recursos necessários ao bom andamento do ato como água, som, passagem alimentação, boletim convocando, jornal mural, etc;
  • 01 de março – Corrida aos gabinetes dos deputados estaduais na ALERJ com material sobre Plano de Carreira. Comissão: Ângela, Roberto, Graciete, Mário, Eduardo, Creuza, Eva, João e Pitéu.
Rede municipal:
  • Boletim/material informativo sobre audiência específica sobre merendeiras, auxiliares de creches, PII, etc;
  • 31/03 – 13h – ato centralizado na Câmara de Vereadores com corrida aos gabinetes dos vereadores. Eixo: Plano de Carreira do município;
  • Incorporação da gratificação do Decreto 17.042;
  • Reeditar a nossa proposta de Plano de Carreira;
  • Solicitar, através de oficio, audiência com a Secretária de Educação;
  • Solicitar audiência pública com a SME à Comissão de Educação e Cultura da Câmara de Vereadores. Pauta: assuntos relativos aos funcionários;
  • Garantia de toda a estrutura do ato do dia 31/3;
Organização:
  • Ter uma estrutura física (sala, armários, etc);
  • Organizar o acervo da Secretaria de Funcionários;
  • Plantão semanal da Secretaria em conjunto com o coletivo, todas as quartas-feiras, com a presença de dois membros da Secretaria e dois do Coletivo de Funcionários;
  • Dia 26/2 – próxima reunião do coletivo – sábado, às 09h na sede do SEPE/RJ;
  • 16/02 – 09h – reunião da comissão para fazer material para os dias 01/3, 23/3 e 31/3 (Estado) e às 18h município. Comissão: Juvenil e Roberto (Coletivo) e Mário e Pitéu (Secretaria);
Garantir, através do SEPE Central, alimentação e transporte para estas reuniões e para as atividades aprovadas.

Curso da Secretaria de Saúde de saúde vocal

A Secretaria Estadual de Saúde está realizando o Programa de Saúde Vocal, com as fonoaudiólogas Ellaine Torres e Thayse Barros. O programa pretende ensinar aos profissionais que utilizam a voz como instrumento de trabalho a melhor maneira de manter a saúde vocal, prevenindo o aparecimento de alterações vocais que dificultam ou impeçam o desempenho profissional e social do indivíduo. O curso será com teoria e prática. O curso é totalmente gratuito. Eis os detalhes do curso:

LOCAL: Superintendência Central de Perícia Médica e Saúde Ocupacional
ENDEREÇO: Rua Silva Jardim, 31, Praça Tiradentes, Centro.
DATA: agendamento prévio
HORÁRIO: manhã ou tarde
TEL: 2332-6539

As inscrições deverão ser feitas pelo tefone (segunda-feira pela manhã e sexta-feira manhã/tarde) oupor email: pericia.medica@saude.rj.gov.br


LOCAL: Superintendência Central de Perícia Médica e Saúde Ocupacional
ENDEREÇO: Rua Silva Jardim, 31, Praça Tiradentes, Centro.
DATA: agendamento prévio
HORÁRIO: manhã ou tarde
TEL: 2332-6539

As inscrições deverão ser feitas pelo telefone (segunda-feira pela manhã e sexta-feira manhã/tarde) oupor email: pericia.medica@saude.rj.gov.br

Animadores Culturais da rede estadual se mobilizam pela investidura

   Após quase duas décadas de luta para terem sua situação regularizada, o que, afinal, acabou sendo anunciado no ano passado, os animadores culturais que trabalham nas escolas estaduais correm o risco ter a sua investidura suspensa. Em audiência com a direção do Sepe em meados de janeiro, o secretário de Educação Wilson Risolia disse ter em suas mãos um parecer da Procuradoria Geral do Estado que julgava a Proposta de Emenda Constitucional para regularização da animação cultural inconstitucional.
    Veja o documento tirado durante a última reunião do Coletivo de Animadores do Sepe/RJ, realizada no último dia 1º de fevereiro e que faz uma avaliação dos encaminhamentos que irão delimitar a luta deste segmento da categoria para este ano de 2011.


Coletivo de Animadores - Sepe - RJ

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

TENHA ACESSO A CENTENAS DE OBRAS DA LITERATURA BRASILEIRA, PINTURAS E MUITOS MAIS...

LIVROS EM PDF, VÍDEOS EDUCATIVOS E MUSICAS PARA BAIXAR 
DIVILGUE PARA O MÁXIMO DE PESSOAS!

Uma bela biblioteca digital, desenvolvida em software livre, mas que está prestes a ser desativada por falta de acessos. Imaginem um lugar onde você pode gratuitamente:

· Ver as grandes pinturas de Leonardo Da Vinci ;
· escutar músicas em MP3 de alta qualidade;
· Ler obras de Machado de Assis Ou a Divina Comédia;
· ter acesso à historinhas infantis e vídeos da TV ESCOLA
· e muito mais ... Esse lugar existe!


O Ministério da Educação disponibiliza tudo isso, só de literatura portuguesa são 732 obras!  
Basta acessar o site: www.dominiopublico.gov.br


Estamos em vias de perder tudo isso, pois vão desativar o projeto por desuso, já que o número de acesso é muito pequeno. Vamos tentar reverter esta situação, divulgando e incentivando amigos, parentes e conhecidos, a utilizarem essa fantástica ferramenta de disseminação da cultura e do gosto pela leitura.

Sepe convoca para ensaio do bloco da educação

O Sepe está convocando os profissionais de educação para o primeiro ensaio da bateria da Banda Furiosa no dia 12/2 (sábado), a partir das 18h, no bar que fica localizado ao lado da portaria do prédio do sindicato. A banda necessita de ritmistas para integrar a sua bateria e os interessados devem comparecer neste dia ao ensaio, que terá por objetivo preparar a bateria para um desfile da Furiosa, previsto inicialmente para o dia 08 de março, mesma data em que se comemora o Dia Internacional da Mulher. Maiores informações, podem ser obtidas na secretaria do Sepe (tel. 2195-0450 ou email: secretaria@seperj.org.br ). 

Capacitação da SME continua gerando queixas da categoria

   O curso de capacitação que a SME do Rio está promovendo para todos os professores da rede municipal continua gerando problemas e queixas da categoria. Nesta segunda, o atraso de mais de uma hora para o início do curso para cerca de 600 professores de Educação Física, dentro da lona de um circo montada na Quinta da Boavista, causou revolta e mal-estar por causa do intenso calor que fazia no interior do espaço improvisado e sem refrigeração. Quando a secretária Cláudia Costin chegou, com um atraso de mais de uma hora, ela teve que enfrentar vaias e protestos da categoria e o curso acabou sendo cancelado.
   Hoje (dia 08/2), o Sepe recebeu uma denúncia de um profissional de educação que foi escalado para fazer o curso num dos campus da UniverCidade. Segundo este professor, os fiscais da SME estavam controlando (por meio um scanner eletrônico) a entrada e saída dos profissionais - até mesmo para os casos em que estes iam ao banheiro. O sindicato deixa patente a sua revolta contra tais atitudes da SME e informa a categoria que a sua direção está percorrendo os  diversos locais da cidade onde o evento está sendo promovido, distribuindo panfletos com a real situação da rede municipal e averiguando as irregularidades que estejam ocorrendo com a categoria.

Desorganização faz SME cancelar capacitação de professores da rede municipal na Quinta da Boa Vista

   Mais uma vez, o descaso e a desorganização da Secretaria Municipal de Educação causou confusão e problemas de saúde para diversos professores da rede municipal, convocados para um curso de capacitação numa lona na Quinta da Boa vista, iniciado nesta segunda-feira (dia 7 de fevereiro). A desorganização da SME, aliada ao calor que fazia no interior da lona instalada para recepcionar a categoria fez com que vários professores passasem mal e tivessem que procurar atendimento médico. Por causa do problema, a secretaria resolveu cancelar o evento na Quinta da Boa Vista, destinado à capacitação de professores de Educação Física da rede. Ao longo desta semana, outros profissionais estão sendo convocados para participar de capacitações como esta em diversos pontos da cidade.
   Ao chegar à Quinta da Boa vista, a secretária Cláudia Costin foi vaiada pelos profissionais presentes, que também fizeram protestos contra a política educacional da SME e o descaso do órgão para com a categoria. Costin não quis se manifestar sobre novas datas para a realização da capacitação dos profissionais de Educação Física. O Sepe irá acompanhar a apresentação dos profissinais nos outros pontos onde serão realizadas as capacitações e distribuirá um panfleto com uma avaliação das condições da rede municipal, convocando os profissionais para se mobiizarem em torno da campanha salarial de 2011 e da luta por melhores condições de trabalho.

Rede municipal do Rio: Sepe convoca para reunião professores contratados que não receberam seus direitos

     O Sepe convoca os professores contratados da rede municipal do Rio, que não tiveram seus contratos rescindidos e permanecem sem o pagamento de seus direitos, para uma reunião que será realizada no dia 10 de fevereiro (quinta-feira), no auditório do sindicato (Rua Evaristo da Veiga 55 - 7º andar - Centro). 
     No encontro, discutiremos uma maneira de pressionar o governo municipal a regularizar as pendências com estes profissionais.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Ipea afirma: gasto na educação é o que mais eleva o PIB

     O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) do governo federal anunciou em seu Comunicado nº 75 que o gasto público na educação é o que mais eleva o PIB brasileiro. Segundo pesquisa do instituto, que utilizou dados de 2006, cada R$ 1 investido na educação tem um retorno de R$ 1,85 para o PIB. O diretor do Ipea, Jorge Abrahão, toca especificamente na questão salarial, ao dizer no site do instituto, que o gasto com educação, chamado de gasto social, “não gera apenas conhecimento. Gera economia, já que ao pagar salário a professores aumenta-se o consumo, as vendas, os valores adicionados, salários, lucros, juros”. Foram pesquisados os investimentos da União, estados e municípios.
     Este estudo comprova como os investimentos para aumentar os salários dos profissionais de educação são fundamentais em todos os níveis de governo em nosso país. O Rio vive há anos uma grave crise no setor.  Boa parte dessa crise, como o Sepe sempre denunciou, deve-se aos baixos salários. Ano passado, por exemplo, o prefeito Eduardo Paes poderia ter investido quase R$ 1 bilhão a mais nos salários dos servidores, pois tinha receita para isso. Mas ele concedeu um reajuste de pouco mais de 4%. Já a rede estadual paga a seus professores salários 4,3 vezes menor do que aqueles pagos aos professores do CAP Uerj, por exemplo.
     Este ano o sindicato está convocando as redes estadual e municipal do Rio para a primeira assembléia do ano. As assembléias se realizarão no dia 12 de fevereiro – às 10h a do estado; 14h a do município, no auditório da ACM. A categoria vai se mobilizar em torno do mote: sem valorização salarial do profissional não existe educação pública de qualidade!


Clique aqui para ler a matéria sobre a pesquisa do Ipea no site do instituto.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores