segunda-feira, 13 de junho de 2011

Sepe convoca rede estadual para assembléia geral nesta terça (dia 14/6) no Clube Municipal



A rede estadual, em greve desde o dia 7 de junho, fará uma assembléia geral nesta terça-feira (dia 14 de junho), a partir das 14h, no Clube Municipal (Rua Haddock Lobo - 359 - Tijuca). Nesta assembléia, a categoria vai decidir os rumos da greve iniciada há uma semana.

Centro Acadêmico da Faculdade de Medicina da UFRJ enviou moção de apoio aos servidores estaduais em luta

Moção de apoio aos servidores estaduais em luta

O Centro Acadêmico Carlos Chagas, entidade representativa dos estudantes de medicina da UFRJ, vem por meio desta nota prestar seu apoio aos bombeiros e aos profissionais de educação, que estão se mobilizando exigindo reajuste salarial e melhores condições de trabalho. Além disso, vimos manifestar nosso repúdio ao governador Sérgio Cabral, que num ato arbitrário, deu ordens para que o BOPE reprimisse violentamente uma manifestação dos bombeiros, numa ação que terminou com 439 presos, alguns feridos e um aborto da esposa de um bombeiro. Ao mesmo tempo em que o governo Sérgio Cabral sufoca os servidores estaduais com um salário de fome e não investe nos serviços públicos fazendo com que não se tenha as mínimas condições de trabalho, responde com truculência a qualquer tentativa dos trabalhadores se organizarem para mudar essa situação. Isto pode ser observado quando o governador ordenou que a polícia acabasse com uma manifestação de professores em 2009, com bombas de efeito moral, balas de borracha, spray de pimenta e até ameaças com arma de fogo, e neste triste episódio que envolve a prisão de 439 pessoas. Cabral chama médicos de vagabundos e safados, e bombeiros de covardes e vândalos. Estes que nosso governador adjetiva desta forma são os mesmos que arriscam suas vidas para resgatar pessoas no mar, em desabamentos, em prédios em chamas e em tragédias como a do morro do bumba e de Nova Friburgo; são os mesmos que apesar da falta de condições dos hospitais estaduais trabalham incessantemente para atender com a máxima dignidade que é possível a população fluminense, tendo que fazer consultas em menos de 10 minutos por conta das longas filas, por vezes não conseguindo cumprir seu trabalho por conta da falta de remédios, equipamentos e profissionais; são os mesmos que ensinam nossas crianças, tendo que dar aula em 3 ou 4 escolas com péssimo infraestrutura, com o único recurso de um quadro negro e quiçá 1 giz. Para nós estes que se sacrificam todos os dias para construir um país melhor e que entram em luta para alcançar esse objetivo são verdadeiros heróis. Covarde, vândalo, vagabundo e safado, é aquele que detrás de uma mesa ordena que se ataque barbaramente esses heróis ao invés de iniciar uma negociação.

Não iremos aceitar o aumento da repressão aos movimentos sociais. Lutar é um direito, lutar não é crime. Por isso exigimos do governo estadual, anistia imediata dos 439 bombeiros que foram presos, assim como o atendimento das reivindicações dos bombeiros e profissionais de educação.

Centro Acadêmico Carlos Chagas

Gestão Lutar é Preciso!

Prefeito Eduardo Paes enviou novo projeto sobre previdência municipal quer pode abrir as portas para a votação da PLC 041



A prefeitura enviou para Câmara Municipal, na última quinta-feira (dia 09/06), o Projeto de Lei nº 1005/2011, para ser apreciado e votado em regime de urgência, que DISPÕE SOBRE O PLANO DE CAPITALIZAÇÃO DO FUNPREVI E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.Este é o projeto que o prefeito Eduardo Paes prometeu apresentar como "solução" para sanar o déficit do Previrio e, a partir de sua aprovação, votar tb o PLC 041, que modifica o regime de previdência dos servidores municipais, extinguindo conquistas como a paridade e a integralidade. Os dois projetos podem ser votados a qualquer momento e a categoria deve ficar atenta e mobilizada para paralisar as escolas e ir até o plenário da Câmara Municipal para barrar a votação destes projetos que atingirão nossos direitos.

Sepe vai publicar encarte sobre greve nas escolas estaduais no Jornal O Dia desta terça (dia 14/6)

O Sepe vai encartar na edição do Jornal O Dia desta terça-feira (dia 14/6) um folheto falando sobre o motivo da greve deflagada pelos profissionais de educação nas escolas estaduais no dia 7 de junho. O encarte sairá na edição do Jornal encontrada nas bancas de jornais de todo o Estado.

Assembléia da rede municipal deste sábado (dia 11/6) decidiu reforçar a luta contra o PLC 041


Reunidos em assembléia no auditório do Sepe, realizada no sábado (dia 11 de junho), os profissionais das escolas municipais decidiram reforçar a luta contra a aprovação da PEC 041 na Câmara dos Vereadores. Para tanto, o Sepe vai organizar uma nova campanha publicitária, com outdoors e cartazes para convocar a categoria e o conjunto do funcionalismo a se unirem na luta contra a reforma da previdência do prefeito Eduardo Paes.


CALENDÁRIO DA REDE MUNICIPAL

15/06 e 16/06- Dia de luta e discussão nas escolas. Todos trabalhando de vermelho.

É importante que as escolas construam uma pauta de reivindicações e apresentem propostas para a próxima assembléia.

15/06- aqueles que puderem devem comparecer à Câmara à partir das 16h, para pressionarmos os vereadores a votar contra os dois projetos. Neste mesmo dia haverá um ato de merendeiras:"Prefeito dá uma banana para as merendeiras" para que o prefeito convoque todas as concursadas.

18/06- Dia de panfletagem para a população pelas regionais.

Na Regional 4 estaremos a partir das 10h na Praça das Nações, em Bonsucesso.
        

Passeata encheu a orla de Copacabana em apoio às mobilizações de diversas categorias contra Cabral

Dezenas de milhares de pessoas participaram da passeata na Orla de Copabana neste domingo (dia 12/6). A marcha, organizada por profissionais de educação da rede estadual em greve, em conjunto com os bombeiros do Rio de Janeiro - que também estão mobilizados e convocaram a população para apoiar a sua luta - coloriu a Avenida Atlântica de vermelho e de gritos de guerra conta a política repressiva do governador Sérgio Cabral, o qual tem um histórico de violência e arbítrio contra aqueles que ousam se manifestar contra os seus projetos que arrocham salários de servidores estaduais e impõem uma lógica mercantilista de gestão para diversos setores do serviço público estadual, como acontece agora com a educação.

Como não poderia deixar de ser, as escolas estaduas em greve se fizeram presentes e mostraram que a categoria está decidida a manter a mobilização até que o gonvernador atenda as suas reivindicações. Profissionoais oriundos de diversos municípios vieram até Copacabana para engrossar a passeata, mas o que chamou a atenção de todos foi a participação e o apoio maciço da população do Rio de Janeiro à luta de bombeiros, educadores, policiais civis e militares e outros setores do funcionalismo que participaram do protesto e ajudaram a denunciar a política repressiva e injusta do governador Sérgio Cabral.

A passeata foi iniciada com a soltura de centenas de balões vermelhos e os gritos dos manifestantes exigindo a imediata anistia dos 439 bombeiros presos durante a manifestação da semana passada no QG da corporação. Políticos dos mais diversos partidos. representações de entidades sindicais e centrais de trabalhadores de vários estados, além de lideranças sindicais fizeram discursos apoiando a luta dos servidores estaduais e a anistia dos bombeiros que respondem a inquéritos administrativos. A professoara Amanda Gurgel estava na manifestação e conclamou a população e aos manifestantes presentes a se engajarem nesta luta e, também, na defesa da educação pública.

Veja o encarte sobre a greve da rede estadual distribuído na edicação do jornal O Dia de 13/6 aqui.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores