quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Recesso de final de ano no Sepe

O Sepe comunica que o sindicato (sede central, regionais e núcleos) entrará de recesso durante o período de 21 de dezembro até 02 de janeiro. O sindicato voltará a funcionar no dia 2 de janeiro.
Nós, do Sepe Regional 4, desejamos à todos boas festas e um 2012 de muitas lutas e conquistas!

Pós Graduação em Educação Básica na Uerj

A Secretaria de Pós Graduação da Uerj anuncia inscrição para o Curso de Especialização em Educação Básica (360 horas), nas modalidades Ensino de Geografia (10 vagas) e Ensino de Biologia (08 vagas). 

As aulas serão ministradas às segundas e quartas-feiras, das 7h30m às 12h30m. As inscrições serão abertas de 30 de janeiro a 10 de fevereiro e os cursos são gratuitos. Maiores informações podem ser obtidas no edital publicado no site www.ffp.uerj.br ou pelo email pos.ffp.uerj@gmail.com.

Alerj aprovou calendário único para 2013

Os deputados da Alerj aprovaram ontem no plenário da casa o calendário único para as escolas estaduais, municipais e privadas a partir de 2013. 

O projeto unifica os calendários de todas as redes de educação no estado e terá que ser sancionado pelo governador Sérgio Cabral.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Vereadores aprovam orçamento 2012 da prefeitura do Rio sem aplicar os 25% na Educação

cabou pouco namara de Vereadores do Rio a votação do orçamento 2012 da prefeitura. A bancada do governo aprovou toda a proposta orçamentária do prefeito Eduardo Paes – com isso, a Educação não recebeu os 25% do orçamento que a Constituição Federal determina.

Emenda da vereadora Andrea Gouveia, da oposição, que propunha os 25% e a separação do orçamento da verba do Fundeb sequer foi votada, pois alguns vereadores retiraram seus nomes em apoio à emenda - certamente após pressão do prefeito. Dessa forma, a emenda ficou sem o número de assinaturas mínimo de parlamentares para ir a voto.

Os vereadores que retiraram seus nomes da emenda e prejudicaram a educação foram: Paulo Messina (PV), Jorge Pereira (PT do B), Dr. Jorge Manaia (PDT), Marcelo Piui (PHS), Bencardino (PRTB), Rubens Andrade (PSB) e Patrícia Amorim (PMDB).

O Sepe denunciará ao Ministério Público que a prefeitura do Rio não investe o que a Constituição manda e isso tem como conseqüência o sucateamento da rede. A prefeitura, além disso, vem terceirizando diversos serviços nas escolas e investindo pesadamente em ONGs, em detrimento dos profissionais de educação.

Dia 11 de fevereiro, a rede municipal realiza assembleia para discutir a campanha salarial 2012 e se preparar para os próximos ataques do prefeito Paes, que tem como política maior a privatização das escolas públicas.

A Farsa da Educação Estadual do Rio de Janeiro

A Secretaria Estadual de Educação através das coordenadorias regionais tem exercido uma pressão intensa sobre as direções das unidades escolares da rede e esses sobre o corpo docente dessas unidades visando uma aprovação em massa dos alunos, ainda que já estejam reprovados por não terem tido o desempenho mínimo necessário para aprovação. 

Há diretores de unidades que escancaradamente dizem que farão ajustes nos números de reprovação , passando por cima do docente. Isso é uma vergonha para um (a) diretor(a) se sujeitar a esse jogo sujo da Seeduc. Muitos desses diretores com certeza temem perder a gratificação de direção , que recentemente foi aumentada em 100% e se tornaram verdadeiros senhores feudais. Infelizmente uma grande maioria de docentes se sujeitam e não denunciam esse crime

O objetivo claro do secretario de educação estadual ( me nego a citar seu nome) é maquiar a realidade , tornando público um alto índice de aprovação , enaltecendo o seu plano de metas, que na verdade é um engodo ¹

Colegas professores sou totalmente contra o lançamento de notas no sistema conexão da Seeduc, pois o mesmo não é nada operacional, é falho e não há confiabilidade no mesmo, por isso recomendo ainda que você não lance as informações de notas e faltas nessa coisa (como eu), não deixe de entrar no mesmo para fiscalizar os lançamentos feitos ,pois na ânsia de cumprir a determinação de alto índice de aprovação vinda dos seus superiores (ogts, coordenadores) muitos diretores com certeza farão alterações, portanto não as aceite, não se curve a opressão e mantenha as notas e faltas que os alunos realizaram no ano letivo. 

Não seja um(a) boneco(a), caso contrário rasgue o seu diploma, pois com certeza não és digno de exercê-lo.

¹ Plano de Metas=Convite ao fracasso , disponível em www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N5290

Prof. Omar Costa.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Autoritarismo: Risolia afirmou em audiência que SEEDUC demite quase dois professores por dia

Na audiência de ontem na Alerj, o secretário de Educação Wilson Risolia apresentou dados que mostram um crescimento no número de demissões de professores na rede estadual. Sem qualquer pudor, o secretário anunciou tal fato como se fosse "uma vitória do seu modelo de gestão" que, desde o início do ano implementou o Plano de Metas da Educação estadual, que ataca direitos e promove uma mercantilização do ensino público nas escolas estaduais e que vem sendo combatido com vigor pelos profissionais de educação.

Segundo Risolia, o mero de professores demitods de janeiro a novembro foi de 586, afastados (cerca de dois por dia), segundo ele por que teriam "cometido alguma irregularidade no exercício da profissão." Mas o secretário não disse que irregularidades foram cometidas pelos profissionais. Segundo ele, o número é cinco vezes maior do que em 2007. O Sepe questiona os motivos destas demissões e se isto não faz parte do plano de desmonte da educação estadual, que vem sendo promovido pelo governo Cabral desde a sua primeira gestão, iniciada em 2006.

Risolia também anunciou que o orçamento daEducação deve passar de R$ 120 milhões em 2011 para R$ 320 milhões em 2012 e anunciou a construção de 15 novas escolas, mas não disse nada sobre aumento salarial para os profissionais e projetos de valorização da categoria. Mais uma vez, o secretário deu uma prova clara de que sua gestão e o governo Cabral não tem qualquer compromisso com a melhoria das condições de trabalho e a valorizaçáo dos profissionais da rede estadual. O sindicato alerta a categoria para se manter atenta e mobilizada para que possamos dar uma resposta ao secretário e ao governador Cabral, mostrando a eles que a educação estadual não irá se dobrar ao autoritarismo e ao descado deles para com o ensino público estadual.

Vergonha: Alerj aumenta salários de governador e secretários em até 27,13%

Em mais um episódio que serve para mostrar o descompromisso das autoridades estaduais para com os servidores públicos e população em geral, a Alerj aprovou ontem (dia 15/12) um reajuste salarial de 6,4% para o governador Sérgio Cabral e de 27,13% para  o vice-governador e os secretários estaduais, que valerá a partir de janeiro. A votação foi nominal e apenas cinco deputados se manifestaram cointra os reajustes. Emquanto os servidores tiveram que fazer greves e grandes mobilizações para arrancar reajustes bem inferiores a estes dados aos altos escalões do governo do Estado - os profissionais de educação tiveram que fazer uma greve de 63 dias para conseguir um reajuste irrisório e garantir algumas conquistas e os bombeiros foram reprimidos e se mantém com um dos pisos mais baixos do país - sempre com a desculpa do "impacto na folha salarial", agora, é concedido este amumentoque impactará em mais de R$ 54 milhões os cofres estaduais.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Categoria fez abaixo assinado em repúdio a matéria do programa Fantástico

Os profissionais de educação abriram um abaixo assinado eletrônico contra a série de reportagens do programa dominical Fantástico da TV Globo, intitulada "Conselho de Classe".

Na abertura, o documento diz o seguinte: "(a reportagemem nada contribui para a melhoria da qualidade dos serviços educacionais prestados à população que destes faz uso. Pelo contrário, é de nossa opinião que a iniciativa leva, isto sim, a um aprofundamento de visões unilaterais, rasas e mesmo preconceituosas acerca da imagem do professor, do estudante e da educação pública em geral".

O abaixo assinado pode ser acessado aqui.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Sepe realiza ato nesta quinta-feira (dia 15/12) contra fechamento de escolas do estado

O Sepe realiza ato público nesta quinta (dia 15/12), às 18h, na Praça 15, em frente à estação das Barcas, contra o fechamento de escolas e turmas na rede pública estadual. No mesmo local, ocorrerá também o plebiscito pela aplicação de 10% do PIB na Educação. O Sepe realiza ato público amanhã, às 18h, na Praça 15, em frente à estação das Barcas, contra o fechamento de escolas e turmas na rede pública estadual. No mesmo local, ocorrerá também o plebiscito pela aplicação de 10% do PIB na Educação.

A Secretaria de Estado de Educação desde o mês passado vem fechando turmas e escolas na rede, que está se mobilizando para impedir o fechamento. As escolas mais ameaçadas são as noturnas, que têm alunos que podem estudar à noite, pois trabalham durante o dia.

Relatório do Ipea mostra uma diminuição na participação do governo federal nos gastos públicos em educação

Nos últimos 15 anos, diminuiu a participação do governo federal no gasto público em educação. Em 1995, a União era responsável por 23,8% dos investimentos na área, patamar que caiu para 19,7% em 2009. os municípios ampliaram a sua participação no financiamento de 27,9% para 39,1% no mesmo período. As informações fazem parte de um relatório sobre o tema divulgado hoje (14) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

A parcela estadual no total de investimento também caiu de 48,3% para 41,2%, considerando o mesmo período. O estudo do Ipea ressalta, entretanto, que os dados não significam que a aplicação de recursos em educação tenha diminuído, que, em termos absolutos, houve aumento dos investimentos públicos em educação nas três esferas de governo.


Sepe está na luta pelos 10% do PIB na Educação Pública


A redução dos investimentos dos governos federal, estaduais e municipais no setor da Educação Pública não chega a causar surpresa às entidades representativas dos trabalhadores em Educação e do movimento civil que, ao longo deste semestre se encontram mobilizadas na luta pela aprovação no Congresso de um PNE que destine 10% do PIB na Educação Pública imediatamente. Esta luta, da qual o Sepe faz parte, envolve sindicatos, centrais trabalhistas, entidades representativas dos estudantes e do movimento civil, inclusive com a realização de um plebiscisto nacional para que a população vote se é a favor da aplicação dos 10% do PIB na Educação. O plebiscito começou em novembro e termina nesta quinta-feira e os seu resultado vai subsidiar a luta pelo aumento dos investimentos governamentais em niveis federal, estaduais e municipais no setor educacional.

O relatório foi lançado pelo instituto para subsidiar as discussões do Plano Nacional de Educação (PNE) que irá definir uma meta de investimento público na área a ser atingida nos próximos dez anos. O projeto de lei está em tramitação namara dos Deputados. divergência entre governo e entidades da sociedade civil sobre o patamar a ser aplicado. A meta definida pelo governo é ampliar o gasto público dos atuais 5% para 7% do PIB, mas entidades da área defendem um índice de 10%. O Ipea, entretanto, não indica qual seria o investimento mínimo necessário para melhorar a qualidade do ensino e promover a inclusão da população que ainda está fora da escola, como prevê o plano.

“A atual capacidade de financiamento da educação consegue apenas cobrir o valor das necessidades apuradas para manter e possivelmente gerar avanços pequenos no atual nível educacional brasileiro. Este valor é distante daquele indispensável ao financiamento das necessidades para o cenário que representa as melhorias substantivas para educação”, aponta o relatório.

Apesar de não dizer em quanto é preciso ampliar o investimento, o Ipea indica possíveis novas fontes de recursos para a educação. Entre as sugestões estão a criação de novos tributos, a melhoria da gestão das verbas, a destinação dos recursos do Fundo Social do Pré-Sal para a área e o aumento da participação das três esferas de governo no financiamento público.

Atualmente, 18% da receita de impostos arrecadados pela União são vinculados à educação - o instituto sugere que esse percentual seja ampliado para 20%. os municípios são obrigados a aplicar 25% da arrecadação na área, patamar que poderia ser ampliado para 30%. Segundo o Ipea, a mudança criará um adicional de 0,7% do PIB em investimentos na área.

Audiência na Alerj discute problemas na rede

A Comissão de Educação da Alerj realizou audiência pública hoje, dia 14, sobre as escolas estaduais públicas. O secretário estadual de Educação, Wilson Risolia, compareceu e fez um balanço de sua gestão. A diretoria do Sepe cobrou do secretário diversos assuntos, como o fechamento de escolas noturnas, a perseguição a grevistas e o tratamento da Secretaria Estadual de Educação (Seeduc) em relação à evasão de alunos da rede.

Em novembro, o secretário declarou à imprensa que existem 120 mil "alunos fantasmas" nas escolas estaduais. O Sepe criticou duramente esta fala de Risolia e considera que estes 120 mil alunos que abandonaram as aulas não são “fantasmas” e sim alunos evadidos, que por motivos diversos, inclusive sociais, abandonaram as escolas, sem o apoio devido da Seeduc para continuar os estudos. Também em relação a isso, alunos criticaram a declaração de Risolia e se fantasiarem de fantasmas na audiência (fotos).

Como conseqüência das intervenções da direção do Sepe na audiência, na semana que vem ocorrerá uma reunião na Seeduc para discutir a situação dos profissionais que estão sendo perseguidos nas escolas por terem participado da greve no meio do ano. na segunda-feira, dia 19, às 10h, namara de Vereadores de Nova Iguaçu, ocorrerá uma nova audiência pública para discutir o fechamento de escolas e turmas na rede estadual – a Comissão de Educação da Alerj também vai comparecer a esta audiência.

Ainda hoje, na Alerj, a direção do sindicato entregou ao secretário o livro da professora norte-americana Diane Ravitch, “Vida e morte do grande Sistema Escolar Americano”. Ravitch foi secretária-assistente de educação nos governos Bush (pai) e Clinton; ela era uma defensora da meritocracia e dos testes padronizados nas escolas de seu país, mas após trabalhar no governo, reviu radicalmente sua visão. O livro mostra como os testes padronizados e o modelo de mercado fracassaram nos EUA.

Terminou audiência pública na Alerj

Em audiência pública na Alerj sobre a rede estadual, realizada hoje, a secretário estadual de Educação, Wilson Risolia, compareceu e fez um balanço da sua gestão este ano. A diretoria do Sepe cobrou do secretário diversos assuntos, como o fechamento de escolas noturnas e o tratamento da Seeduc em relação à evasão de alunos da rede, quando o secretário declarou à imprensa, em novembro, que existem 120 mil "alunos fantasmas" nas escolas estaduais. Em relação a isso, alunos criticaram a declaração de Risolia, ao se fantasiarem de fantasmas na audiência.

Os profissionais de educação, neste momento, estão indo para a sede da Seeduc onde realizarão o "Dia do Protocolo", com o pedido protocolado à secretaria de que os professores tenham direito ao 1/3 de planekjamento extraclasse.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Votação do Orçamento Municipal foi adiada

O Sepe recebeu um comunicado damara de Vereadores, informando que a votação da proposta da prefeitura de Orçamento para o município do Rio em 2012 foi adiada e não tem nova data prevista. O sindicato estava organizando uma ida dos profissionais da rede municipal , nesta terça-feira (dia 13/12), ao plenário do Legislativo Municipal para acompanhar a votação e exigir que a dotação orçamentária da Educação fosse respeitada
Agora, com o adiamento da votação, iremos aguardar a marcação da nova data de votação para convocar a categoria para que possamos acompanhar o processo de aprovação do Orçamento Municipal e garantir mais verbas para o setor educacional.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores