segunda-feira, 29 de abril de 2013

Rede municipal paralisa dia 22/05 - plebiscito da avaliação da política educacional da prefeitura foi prorrogado

Na assembleia realizada no dia 22 de maio (quarta), no Instituto de Educação, na Tijuca (foto), os profissionais das escolas municipais decidiram realizar nova paralisação, com um ato na prefeitura, às 11h, e assembleia às 14h em local a confirmar. Ontem (18), a categoria realizou uma paralisação e ato na prefeitura. A rede municipal está em campanha salarial; veja as principais reivindicações:
1) Reajuste salarial: 5 salários mínimos para professor (R$ 3 mil) e 3,5 salários (R$ 2 mil) para funcionários;
2) Plano de Carreira Unificado, com valorização pelo tempo de serviço e formação;
3) Fim dos projetos e da meritocracia. Em defesa da autonomia pedagógica.

Atenção! assembleia do dia 22 será realizada no Clube Municipal, na Tijuca

O Sepe comunica aos profissionais da rede municipal do Rio que, por motivo de realização de obras no auditório do Instituto de Educação, a assembleia da rede municipal, que será realizada no dia 22 de maio, será remarcada para o Clube Municipal (Rua Haddock Lobo, 359, na Tijuca).

Plebiscito foi prorrogado:

O Sepe comunica que o Plebiscito para avaliação da política educacional do governo municipal será prorrogado até o dia 22 de maio. A enquete, iniciada no dia 1º de abril e que iria até o dia 18 do corrente mês, foi prorrogada devido a uma série de tentativas da SME de inibição da realização da consulta nas escolas. Por meio de orientação verbais das CREs, por telefone, diversas direções de escolas chegaram a barrar as urnas volantes do Sepe, destinadas a percorrer todas as escolas municipais da capital.

Tal atitude autoritária da SME acabou prejudicando a realização do Plebiscito e, por isso mesmo, o sindicato resolveu prorrogar o prazo de término da consulta, além de manter disponível no seu site (www.seperj.org.br) um link eletrônico para que a categoria possa participar da votação pela internet e dizer o que acha da política educacional do prefeito Eduardo Paes e da secretária de Educação Cláudia Costin.

Prefeito do Rio mandou recolher kits do jogo Banco Imobiliário nas escolas

Depois da pressão dos profissionais e da imprensa, o prefeito Eduardo Paes mandou recolher os kits do jogo Banco Imobiliário Rio Cidade Olímpica, distribuídos nas escolas da rede municipal. 
O jogo, encomendado pela prefeitura à empresa Estrela, ao custo de cerca de R$ 1 milhão, contém propaganda de realizações da gestão de Eduardo Paes, fato amplamente denunciado pela Imprensa e pelo Sepe. 
O dinheiro foi desviado do Fundo de Manutenção da Educação Básica. O Ministério Público Estadual continua investigando o caso.

Relembre o caso aqui

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores