sexta-feira, 1 de março de 2013

Profissionais de educação do município do Rio e da rede estadual fazem paralisação unificada dia 5 de março

Os professores e funcionários administrativos do município do Rio e da rede estadual farão uma paralisação conjunta de 24 horas, no dia 5 de março (terça). As duas redes estão em campanha salarial e reivindicam piso salarial de 5 salários mínimos para professores e 3,5 para funcionários. No mesmo dia, a categoria participa da Marcha da Educação, em conjunto com outras entidades integrantes do Fórum em Defesa da Escola Pública (FEDEP), com concentração na Candelária, a partir das 16h (clique aqui para ler o boletim conjunto  e aqui para ler o cartaz da marcha).

05/03: Rede estadual fará paralisação de 24 horas e assembleia às 13h


Os profissionais da rede estadual lotaram o auditório da ABI para realizar a assembleia geral da categoria no dia 23 de fevereiro. As principais deliberações da categoria foram: o lançamento da Campanha Salarial de 2013, com a reivindicação de piso de 5 salários mínimos para o professor e 3,5 para o funcionário; a realização de uma paralisação de 24 horas no dia 5 de março, quando os profissionais farão uma assembleia geral, às 13h, no auditório da ABI (Rua Araújo Porto Alegre 71 – 9º andar) e participarão da Marcha da Educação convocado pelo Fórum em Defesa da Escola Pública (FEDEP), com concentração na Candelária, a partir das 16h.

Rede municipal fará aula pública

Em assembleia realizada na noite desta quarta-feira (dia 27/2), os profissionais das escolas municipais do Rio decidiram que a categoria fará uma paralisação de 24 horas, no dia 05 de março. A assembleia deliberou pela realização de uma aula pública neste dia, na Cinelândia, a partir do meio dia, com o seguinte tema: "Escola não é banco, nem de brincadeira".

Além da aula pública, os profissionais também participarão da Marcha da Educação, organizada pelo FEDEP, cuja concentração será na Candelária, a partir das 16h. No dia 5 de março, dia da paralisação da rede municipal, a rede estadual também fará uma paralisação integral, participando igualmente da Marcha da Educação.

A assembleia do município também deliberou que a próxima assembleia será realizada no dia 9 de março, às 10h, em local a ser confirmado, na Zona Oeste do Rio.

Em resumo, a rede tem como reivindicações básicas:

- Aumento salarial – piso de 5 salários mínimos para professor e 3,5 para funcionário;

- Plano de Carreira Unificado (professores e funcionários) – a rede não tem um plano de carreira.

- Contra a meritocracia! Em defesa da autonomia pedagógica.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores