quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Enquete do Jornal do Brasil

Você acha que o professor do Estado do Rio tem seu trabalho valorizado?
Sim
5.3%
Não
94.7%


Resultado verificado no dia 17 de setembro às 20h18min

Participe desta enquete clicando em: http://jbonline.terra.com.br/enquete.asp?cod=Rb

Lançamento do livro: Proletarização do Professor


Companheir@s, acabamos de participar de um movimento muito importante em defesa da carreira do magistério na rede estadual. Precisamos aprofundar as análises em relação aos ataques a nossa carreira que vêem ocorrendo a nivel mundial. Nesse sentido a CONLUTAS/educação(RJ), convida os profissionais de educação a participarem deste debate, que retrata nossa realidade e nos impõem um desafio. A professora paulista, Aurea Costa, procura contribuir c/ esse debate através do seu livro, ela estará presente no lançamento do livro no RJ, agora só falta você....Estarei te esperando...

Até lá.... Vera Nepomuceno

ATO PÚBLICO NA MARÉ

OUTRA MARÉ É POSSÍVEL:
PELA VALORIZAÇÃO DA VIDA E
O FIM DA VIOLÊNCIA.

No domingo, 20 DE SETEMBRO, haverá um ato organizado por moradores, associações, igrejas e organizações de dentro e de fora da Maré. Em um momento em que se tornou impossível conviver com os constantes conflitos, cabe a nós, os moradores da Maré, declarar nosso luto e clamar pela paz. Não agüentamos mais a violência e queremos exigir o fim dos confrontos armados que nos tiram a liberdade e a vida.
Realizar um ato público na Maré significa deixar claro que, nós moradores, não aceitamos que vidas sejam interrompidas, como em junho deste ano, quando dezenas de pessoas foram assassinadas na comunidade, sem contar os feridos. De lá para cá, o número de vítimas só aumenta. A imprensa não noticia. Os governantes ignoram. Quando fazem algo, apenas repetem a ação repressora que costumam utilizar nos espaços populares, gerando mais violência. Entendemos que as ações do Estado não podem ser as mesmas que vêm ocorrendo historicamente nas favelas. Sendo assim, queremos a partir desse ato criar um movimento que luta por outra segurança pública como direito dos moradores da Maré e de todos os espaços populares.
Se para muitos a vida por aqui vale pouco, para nós, moradores, ela é sagrada e deve ser valorizada, sempre. Em memória de todas as vítimas da violência, nos uniremos para defender a vida e pedir a paz nas 16 comunidades da Maré.

NÃO QUEREMOS NOSSAS ESCOLAS VAZIAS!
NÃO QUEREMOS NOSSAS CASAS INVADIDAS!
NÃO QUEREMOS NOSSA COMUNIDADE ÁS ESCURAS!
QUEREMOS NOSSAS CRIANÇAS BRINCANDO NAS RUAS E NAS ESCOLAS!
QUEREMOS A LIBERDADE DE PODER CHEGAR E SAIR DE CASA A QUALQUER HORA!
NÃO QUEREMOS NENHUM TIPO DE VIOLÊNCIA!
NÃO QUEREMOS MAIS CORPOS NO ASFALTO!
QUEREMOS A VIDA DO POVO DA MARÉ RESPEITADA ANTES DE TUDO!

Endereço:Via A1 com rua 14 - Vila do João

Participe! Faça Parte dessa luta!
Att,Comunicação da REDEShttp://www.redesdamare.org.br/3104-3276

Deseducação

Governo policialesco
Não diga que é refresco
O seu spray de pimenta.
Nem um pouco pitoresco
Chega mesmo a grotesco
O furor que violenta.
No asfalto está caído
O professor ferido
Por ação que foi bastarda.
Revólver em seu sentido
Pois soldado é dirigido
Por quem não honra a farda.
Ah, Educação tão pobre
Pois é pública e embora nobre
Não é mais prioridade.
Que cidadania cobre
Para que nunca mais sobre
Da Escola, a mocidade.
Prof. Antonio Francisco
Rede estadual (aposentado)

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores