quarta-feira, 6 de março de 2013

Rede estadual vai parar novamente no dia 21 de março: veja como foi a mobilização de ontem (dia 5/3)


Os professores e funcionários administrativos das escolas públicas estaduais realizaram ontem, dia 05/03, uma paralisação de 24 horas em protesto contra os baixos salários, contra as políticas meritocráticas impostas pela Secretaria Estadual de Educação, os ataques do governo estadual aos direitos dos educadores e as más condições de trabalho. 

Em assembleia realizada no auditório da ABI, no Centro do Rio, centenas de profissionais de educação decidiram realizar uma nova paralisação no dia 21 de março, quando a mobilização pela campanha salarial vai continuar. Neste dia, será realizada nova assembleia, também na ABI, às 11h, quando uma proposta de greve será discutida; logo após a assembleia, também no dia 21, ocorrerá um ato público em frente à Alerj.

As redes estadual e a municipal do Rio fizeram uma paralisação conjunta. Elas reivindicam piso salarial de 5 salários mínimos para os professores e 3,5 para funcionários. O piso do professor estadual hoje é de R$ 1.001,00; no município, o professor recebe de piso salarial R$ 1.092,00.

Na parte da tarde, a categoria participou da Marcha da Educação, em conjunto com outras entidades integrantes do Fórum em Defesa da Escola Pública (FEDEP). A passeata reuniu profissionais das escolas estaduais e municipais; UERJ, UFF, UFRJ, Universidades Estaduais; Colégio Pedro II; Escolas Técnicas estaduais e federais e entidades do movimento estudantil, todas integrantes do Fórum em Defesa da Escola Pública.

Rede municipal marca nova assembléia para sábado 09/03



A rede municipal do Rio vai realizar uma nova assembleia no dia 09/03 (sábado), às 10h, na subsede do Sinpro, na Rua Manaí, nº 180, em Campo Grande. Nessa assembleia, a rede vai discutir se participa da paralisação do dia 21 com a rede estadual.
Ontem, terça-feira, 05/03, o Sepe promoveu uma aula pública na Cinelândia para denunciar os escândalos do governo Eduardo Paes. O tema da aula de hoje foi: "Escola não é banco, nem de brincadeira", uma crítica contra as denúncias de que o prefeito utilizou mais de R$ 1 milhão do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica para a compra de 20 mil kits do jogo Banco Imobiliário - Rio Cidade Olímpica, junto à empresa Estrela e que faz propaganda do seu governo.

Escolas estaduais vão parar de novo no dia 21 de março


Os professores e funcionários administrativos das escolas públicas estaduais realizaram ontem, terça, dia 05/03, uma paralisação de 24 horas em protesto contra os baixos salários, contra as políticas meritocráticas impostas pela Secretaria Estadual de Educação e as más condições de trabalho.

Em assembleia realizada no auditório da ABI, no Centro do Rio, centenas de profissionais de educação decidiram realizar uma nova paralisação no dia 21 de março, quando a mobilização pela campanha salarial vai continuar. Neste dia, será realizada nova assembleia, também na ABI, às 11h, quando uma proposta de greve será discutida; logo após a assembleia, também no dia 21, ocorrerá um ato público em frente à Alerj.

Ontem, as redes estadual e a municipal do Rio fizeram uma paralisação conjunta. Elas reivindicam piso salarial de 5 salários mínimos para os professores e 3,5 para funcionários. O piso do professor estadual hoje é de R$ 1.001,00; no município, o professor recebe de piso salarial R$ 1.092,00.

Depois a categoria participou da Marcha da Educação, em conjunto com outras entidades integrantes do Fórum em Defesa da Escola Pública (FEDEP), com concentração na Candelária. A passeata reunirá os profissionais das escolas estaduais e municipais; UERJ, UFF, UFRJ, Universidades Estaduais; Colégio Pedro II; Escolas Técnicas estaduais e federais e entidades do movimento estudantil, todas integrantes do Fórum em Defesa da Escola Pública.

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Seguidores