quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

EM 2018 VAI TER LUTA!


EM 2018 VAI TER LUTA!

Crivella teve aumento nas diárias de suas viagens, mas não deu reajuste ao funcionalismo, mudou a data do pagamento, cortou os benefícios do PreviRio, fez um plano de saúde com co-participação, se recusa a receber as representações sindicais e não abre com transparência o orçamento.

César Benjamin faz postagens racistas, persegue o sindicato, persegue professoras.  A merenda diminui, a xerox diminui. Professoras (es) continuam sem 1/3, AEI’s não tem o reconhecimento da função magistério, merendeiras e agentes educadoras (res) adoecem com as péssimas condições de trabalho, secretárias(os) escolares continuam sem a incorporação da GDAC e sem saber quando ocorrerá GD inicial e intermediária. O acesso seguro impõe uma responsabilidade aos profissionais que é do governo.

Victer segue seu plano de desmonte da educação pública, diminuindo a rede de ensino, municipalizando, fechando escolas, turnos e turmas, proibindo que direções façam lista de espera, tentando impor rotina de aproveitamento, uma matrícula em várias escolas e às vezes de municípios diferentes, numa matriz curricular imposta, com aumento da sobrecarga de trabalho e 4 anos sem reajuste salarial. Um dia de nossas férias foi tirado e a justiça negou a liminar do SEPE.

Pezão segue no governo em meio as comprovações de desvio de verbas públicas e prisões de seus aliados. O dinheiro que deveria ser usado para pagar salário, para realizar políticas públicas foi parar no bolso de banqueiros, empresários, ex-governadores, assessores, parlamentares, membros do TCE, comprovando que não havia crise e sim roubo. Por isso, aposentadas(os) estavam desde outubro de 2015 com salários atrasados.

Temer liberou milhões de reais e o Congresso o inocentou 2 vezes, e ainda alega que é preciso salvar a economia do país fazendo a Reforma da Previdência, cortando verbas da saúde e educação, retirando direitos.

Diante deste cenário não nos cabe desistir e sim fazer como na Argentina, na Catalunha e a Índia. Sabemos que cada número no contracheque ou letra na lei foi fruto de muita luta. Por isso, nossa tarefa é mobilizar cada escola/creche/EDI, organizar a comunidade escolar, construir a Greve Geral e resistir!

Bem-vindas às lutas de 2018!!!!!!!!!

3/02  - 11h - ISERJ- Assembleia da Rede Estadual

24/02  - 10h - ISERJ- Assembleia da Rede Municipal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga-nos pelo seu e-m@il

As 10 postagens mais acessadas

Arquivo do blog

Pesquisar este blog

Seguidores